20 Papéis ignorados pelos Óscares na última década

Com a época dos óscares 2018 cada vez mais próxima, decidimos olhar para a última década e identificar 20 grandes papéis que a Academia não incluiu sequer entre os nomeados. Gostos não se discutem? Claro que se discutem.

Quantas injustiças cometeu a Academia entre 2008 e 2017? Que atores e atrizes viram extraordinários desempenhos ganharem “apenas” o respeito e carinho do público? Num exercício sempre discutível, escolhemos 20 papéis da última década que podiam (e deviam) ter constado entre as quatro categorias de interpretação nesse período. Vejam lá se concordam ou não.

20 GRANDES PAPÉIS QUE OS ÓSCARES IGNORARAM NA ÚLTIMA DÉCADA 

Anterior1 de 20

Jake Gyllenhaal, Nightcrawler

Jake Gyllenhaal

Nomeados Melhor Ator em 2015: Eddie Redmayne (A Teoria de Tudo), Michael Keaton (Birdman), Benedict Cumberbatch (O Jogo da Imitação), Steve Carell (Foxcatcher), Bradley Cooper (Sniper Americano)

Porquê? 2014, ano premiado nos óscares 2015, foi um dos melhores deste século. O que dizer de um ano que teve simultaneamente “Whiplash – Nos Limites”, “Interstellar”, “Boyhood: Momentos de Uma Vida”, “Grand Budapest Hotel”, “Nightcrawler – Repórter na Noite”, “Birdman”, “A Teoria de Tudo”, “Em Parte Incerta” e “O Jogo da Imitação”?

Num ano recheado de qualidade, poucos conseguem no entanto explicar a ausência de Jake Gyllenhaal entre o quinteto de nomeados para melhor ator principal. Nomeado para os Screen Actor Guild Awards (comparativamente com a Academia, quatro escolhas iguais e Gyllenhaal em vez de Cooper), Gyllenhaal esteve incrível como Louis Bloom. Num retrato brutal do circo mediático, de olhar fixo e arregalado, provavelmente o melhor papel da carreira de um dos atores mais consistentes dos últimos anos.

Lê Também:
Stronger - A Força de Viver, em análise

Anterior1 de 20



Sobre Miguel Pontares

Licenciado em Comunicação Empresarial, estudou ainda Escrita de Argumento para Cinema e Televisão.
É um dos autores do blog Barba Por Fazer.