Snail Mail, Lush | em análise

Com apenas 19 anos, Lindsey Jordan entusiasma-nos incansavelmente em “Lush”, álbum de debute dos Snail Mail, surpreendendo-nos com este encontro de virtuosismo e juventude.

Como não podia deixar de ser, o indie rock não nos deixou ficar mal. Perguntam-se quem poderá ser desta vez. E com grande admiração (e possível inveja) deixamo-vos com Lush. Lindsey Jordan, guitarrista e vocalista americana de Snail Mail, começou a escrever as suas músicas com quinze anos de idade. Quatro anos mais tarde, aquele que começou por ser um projeto a solo – acompanhado agora por dois amigos já antes conhecidos, Alex Bass, das aulas de guitarra do liceu, e Ray Brown, de um possível concerto – agracia-nos com o tão esperado álbum, editado pela Matador e na sequência do lançamento de uma grande série de singles.

Lush
Lindsey Jordan (Snail Mail)

A voz suavemente melódica, que tanto se parece difundir com as notas instrumentais, quanto nunca abdica de se manter perceptível ao longo do tempo, consegue também dar espaço, de modo a fazer justiça, ao baixo, à guitarra e à bateria. Assim (neste que parece ser o menor dos quebra-cabeças), somos, em trinta e oito minutos, sorrateiramente encaminhados por uma batida a querer também, a ter uma vontade enérgica de participar, sem precisar de chegar alguma vez a explodir. Variando entre momentos mais sossegados e agitados, mas sem mudanças ou embates notórios, deixa-nos com um “sim, estou a gostar disto” que nunca sabe a pouco. Lush fá-lo na dose certa, que nos põe a querer de novo para poder ter mais.

A guitarra preenche os momentos que a voz deixa em branco, mas contribui, sobretudo, para que haja uma humilde entrega sua no que diz. Um desempenho vocal hábil em tornar universal o que lhe é próprio e muito próprio o que é universal, convidando-nos para a intimidade da sua pessoa enquanto nos conforta com o relato das relações que vive, com que aprende e com as quais cresce.

Lê Também:
25 Melhores Álbuns de 2018 (até agora)

Em “Pristine” as cartas são postas em cima da mesa, e Lindsey Jordan descreve assertivamente o que é para si uma relação séria, aqui em acto. Mostra a vontade de permanecer, de querer investir na relação, sem recuar ou desistir. Snail Mail luta por um laço que reconhece não depender só de si: “Do you like me for me?” Da sua parte, “I know myself and I’ll never love anyone else”. Conhece-se a si mesma a ponto de saber que, independentemente da relação perdurar ou não, “I’ll still see you in everything”. Mais universal do que associar lugares, conversas, músicas a outras pessoas não há.

“Pristine” evidencia bem como, ao longo de Lush, Jordan, qual episódio que acaba em suspense, intui a cada instante o que dar ou guardar, quando parar ou continuar. Deste modo, os seus versos são sopros de vento, constantemente a mudar de sentido, naquela instabilidade de estado de espírito previsível em alguém de tão tenra idade.

LUSH | “PRISTINE”

“Heat Wave” é atravessada pelo conflito interior de querer, acima de tudo, o bem do outro. Por um lado, no que não parece ser uma relação estável, admitindo que exista sequer, reconhece querer que “[the] love that you find swallows you wholly”. Com esta mesma sinceridade, repete ainda quatro vezes ao longo da música “And I hope”, insistência que, longe do registo de quem que se limita a expor o que acha, descobre alguém que carrega consigo um desejo longamente meditado. Por outro lado, acusa a insuficiência da vida quando sem entrega e compromisso, acabando num lamento infinitamente replicado: “I’m feeling low, I’m not into sometimes”.

LUSH | “HEAT WAVE”

Numa Audiotree Live Sessions, Lindsey confessa que o canto foi “sempre uma paixão, agora é uma paixão que posso perseguir”, apesar de nunca ter pensado que seria cantora. Ainda bem que a vida dá muitas voltas. Neste álbum, que acaba por se tornar num prazenteiro quebra-cabeças, deixamo-nos perder e voltar a encontrar, aceitando o jogo de pensar quanto controlo temos ou não, desejamos ter ou não sobre nós e os outros. “I want better for you”. Também nós.

LUSH | AUDIOTREE LIVE SESSION

Snail Mail, Lush | em análise
Lush

Name: Lush

Author: Snail Mail

Genre: Indie rock, Indie pop

Date published: 2018-06-08

More...

  • Carolina Ferreira - 90
  • Maria Pacheco de Amorim - 83
  • Rui Ribeiro - 85
86

Um resumo

Com o tão esperado Lush, os Snail Mail entram com o pé direito nesta nova dimensão. Lindsey Jordan, nos seus 19 anos, não se limita a pôr em palavras o que sente ou a tocar uns acordes, mas dá voz ao tanto que tem para dizer, de uma forma única, suave e assertiva. Um álbum sincero, que não há maneira de cansar. Neste momento e por muito tempo ainda, em rotação contínua por aqui.

Carolina Ferreira

Fotografia, filmes, música. Atenta ao mundo que me rodeia, tento absorver tudo o que possa mais tarde vir a ser uma história. Sempre disposta a sair da minha zona de conforto no que toca a gostos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *