EFA 2017: Uma Palma Que Vai Abanar com o Urso!

A cerimónia dos 30º EFA-European Film Awards — os Prémios na Europa, correspondentes aos Óscares de Hollywood —, realiza-se no próximo sábado (9 de Dezembro às 18h) em Berlim. Os favoritos são ’O Quadrado’, do sueco Ruben Östlund, que lidera com 5 nomeações e ‘Corpo e Alma’, da realizadora húngara Ildiko Enyedi, com 4 nomeações.

30º EFA

Aproveitando tratar-se de um número ‘redondinho’, depois de trinta edições dos Prémios do Cinema Europeu, importa reflectir sobre duas questões oportunas: existe uma verdadeira indústria de cinema europeia e até que ponto esta concorre com o potencial da indústria norte-americana? Qual a importância dos EFA, — as nomeações foram anunciadas há cerca de um mês no Festival de Cinema Europeu de Sevilha — um evento que quase passa despercebido e se tornou quase alternativo à exploração mediática e massiva dos congéneres Óscares?

30º EFA

‘O Quadrado’, do sueco Ruben Östlund, foi Palma de Ouro e tem 5 nomeações.

 

As respostas estão efectivamente nas nomeações e nas obras quase todas de grande qualidade artística — vão confrontar-se por exemplo a Palma de Ouro de Cannes 2017 com o Urso de Ouro de Berlim 2017 — mas todos os  nomeados estão longe de atingirem o box office de um filme médio da indústria de Hollywood. De qualquer modo, a cerimónia dos EFA tem sido um espectáculo de uma excelente dinâmica e originalidade, com um razoável glamour, muitos convidados e muitas estrelas do cinema do Velho Continente e sobretudo muita emoção — para os conhecedores e admiradores do cinema europeu. Todos os anos, entre as mais diversas actividades da Academia de Cinema Europeu, com sede em Berlim, presidida pelo realizador alemão Wim Wenders — um grande admirador de Portugal e do cinema português, que recebeu recentemente o Prémio Europeu Helena Vaz da Silva para a Divulgação do Património Cultural 2017 (instituído pelo Centro Nacional de Cultura) — culminam nesta cerimónia dos EFA (Prémios do Cinema Europeu). No total são 22 categorias, entre elas Melhor Filme Europeu, Melhor Realizador Europeu, Melhores Atriz Europeia e Ator Europeu, tudo igualzinho aos Óscares, mas para distinguirem a excelência e a diversidade do cinema europeu — também linguística — que decerto modo luta contra a formatação e promoção de massas da maioria do cinema de Hollywood. 

30º EFA

‘Corpo e Alma’, da húngara Ildiko Enyedi, filme vencedor do Urso de Ouro da Berlinale 2017, tem quatro nomeações.

 

Lê Também:
Táxi Sófia | Passatempo MHD

A cerimónia decorre em Berlim a cada dois anos. Em anos anteriores, os European Film Awards viajaram por outras cidade: Londres, Paris, Roma, Barcelona, Varsóvia, Copenhaga,  Bochum, Tallinn, Malta, Riga, Breslávia…entre outras. As nomeações para o 30º European Film Awards foram anunciadas a 4 de novembro passado no Festival de Cinema Europeu de Sevilha, aliás com tem acontecido nos últimos anos.

VÊ TRAILER DE ‘O QUADRADO’:

O vencedor da Palma de Ouro deste ano, O Quadrado, do sueco Ruben Östlund, lidera a lista de candidatos com cinco nomeações: Melhor Filme, Melhor Realizador, Melhor Argumento e Melhor Actor — para o protagonista, o actor dinamarquês Claes Bang —, assim como a nomeação para Melhor Comédia Europeia. Efectivamente este ano vamos ter uma acesa corrida aos EFA — até parece que estamos a falar dos Óscares de Hollywood — entre os vencedores dos prémios mais importantes do grandes festivais europeus. Corpo e Alma, da húngara Ildiko Enyedi, filme vencedor do Urso de Ouro da Berlinale 2017, tem quatro nomeações: Melhor Filme, Melhor Realizador, Melhor Argumento e Melhor Actriz para Alexandra Borbély. Outros filmes, apresentados em Cannes, têm três nomeações cada um: Loveless, do russo Andrey Zvyagintsev (Melhor Filme, Melhor Realizador, Melhor Argumento para Zvyagintsev e Oleg Negin) e The Killing of a Sacred Deer, do grego Yorgos Lanthimos (Melhor Realizador, Melhor Argumento, para Lanthimos e Efthymis Filippou e Melhor Actor para Colin Farrell, provavelmente ausente da cerimónia, aliás como tem acontecido infelizmente com a maioria das grandes estrelas internacionais, apesar das nomeações. Filmes de cineastas europeus consagrados, que estiveram nesta selecção como ­Aki Kaurismäki (O Outro Lado da Esperança), Michael Haneke (Happy End) e François Ozon (Frantz)­, lograram apenas uma nomeação.

VÊ TRAILER DE ‘CORPO E ALMA’:

Há também algumas novidades, surpresas e juventude nas nomeações de Florence Pugh como Melhor Actriz pela sua interpretação em Lady Macbeth, de William Oldroyd — uma primeira longa­-metragem que conquista duas nomeações, com Prémio Revelação/Descoberta Europeia —, e de Nahuel Pérez Biscayart como Melhor Actor em 120 Pulsações por Minuto. Alguns dos bons filmes do ano, que foram sucessos importantes da crítica nos festivais internacionais e nacionais, como Western, A Ciambra, Taxi Sofia ou o filme português A Fábrica de Nada — vencedor do Festival de Cinema Europeu de Sevilha — ficaram de fora das principais nomeações ou mesmo ausentes da lista final. O português Gabriel Abrantes encontra-­se entre os nomeados na categoria de Curta­ Metragem com o seu Os Humores Artificiais.

30º EFA

O jovem Nahuel Pérez Biscayart como Melhor Actor em ‘120 Pulsações por Minuto’.

 

Lê Também:
EFA 2017: Seis Prémios Que Arredondaram ‘O Quadrado’

Como já é costume, foram anunciadas anteriormente as categorias a Melhor Comédia, Melhor Filme Europeu de Animação — destaque para a artística Loving Vicente como forte concorrente na distinção de Longa­-Metragem — e Descoberta Europeia/Prémio  FIPRESCI. Igualmente na cerimónia de sábado próximo em Berlim vão ser entregues os já anunciados prémios técnicos nas categorias de direcção de fotografia, montagem, cenografia, guarda-roupa, música/compositor e som.

A RTP2 faz a transmissão em diferido por volta das 22h15. É um espectáculo televisivo e uma cerimónia de entrega de prémios, absolutamente a não perder!

José Vieira Mendes



Sobre José Vieira Mendes

Jornalista, crítico de cinema e programador. Licenciado em Comunicação Social, e pós-graduado em Produção de Televisão, pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. É actualmente Editor da Magazine.HD (www.magazine-hd.com). Foi Director da ‘Premiere’ (1999 a 2010). Colabora no blog ‘Imagens de Fundo’, do Final Cut/Visão JL , no Jornal de Letras e na Visão. Foi apresentador das ‘Noites de Cinema’, na RTP Memória e comentador no Bom Dia Portugal, da RTP1.  Realizou os documentários: ‘Gerações Curtas!?’ (2012);  ‘Ó Pai O Que É a Crise?’ (2012); ‘as memórias não se apagam’, ( 2014). Foi programador do ciclo ‘Pontes para Istambul’,(2010),‘Turkey: The Missing Star Lisbon’, (2012) Mostras de Cinema da América Latina 2010 e 2011, ‘Vamos fazer Rir a Europa’, 2014 e Mostra de Cinema Dominicano, 2014. É o Director de Programação do Cine’Eco- Festival de Cinema Ambiental da Serra da Estrela desde 2012. É membro da FIPRESCI.