Globos de Ouro 2018 | O melhor e o pior da gala

Os Globos de Ouro sempre foram a versão mais leve dos Óscares, com bebidas e comida e muitas pessoas a passear durante os intervalos. Conhece agora os momentos bons e maus dos Globos deste ano. 

globos de ouro nicole kidman resse whitherspoon

Big Little Lies – Globos de Ouro

Este ano com os movimentos #MeToo e #TimesUp a gala teve um tom mais sério e com menos humor que pode ser visto pelo discurso do apresentador Seth Meyers.

Lê Também:
Foge, em análise

MELHOR: #TIMESUP NO CENTRO DA GALA

Tudo começou com a carpete vermelha, as atrizes encorajaram todos a usar preto como protesto. Oito das nomeadas convidaram algumas mulheres ativistas. Emma Stone levou Billie Jean King, Michelle Williams levou Tarana Burke, Emma Watson levou Marai Laraski, Meryl Streep levou Al-jen Poo, Laura Dern levou Monica Ramirez, Shailene Woodley levou Calina Lawrence, Amy Poehler levou Saru Jayaraman e Susan Sarandon levou Rosa Clemente.

MELHOR: AMY POEHLER SALVA O MONÓLOGO DE SETH MEYERS

O apresentador da gala teve a tarefa cortada para si sendo a primeira pessoa a apresentar uma gala de prémios depois dos escandâlos dos últimos meses. Meyers falou sobre Weinstein e Kevin Spacey entre outros. Foi aí que Poehler entrou em cena e trouxe uma nova energia à sala.

PIOR: A PUBLICIDADE AOS FILMES

Os Globos de Ouro, que são produzidos pela Associação de Correspondentes Estrangeiros de Hollywood, sempre foram metade honra artística e a outra metade publicidade. É por isso que muitos estúdios tentam entrar nas boas graças da associação, no entanto esta constante publicidade dos filmes nomeados leva a que a cerimónia estanque.

MELHOR: A REACÇÃO DE FRANCES MCDORMAND

Quando Sam Rockwell ganhou o prémio de Melhor Ator Secundário em filme foi uma supresa para ele, mas a reação dos outros membros do elenco foi a melhor parte. Um operador de câmara tentou filmar a reação de McDormand mas ela o pôs de lado. Quando a câmara voltou à atriz esta estava visivelmente emocionada com o que tinha acontecido.

MELHOR: RACHEL BROSNAHAN TEM O SEU MOMENTO “MARVELOUS”

A série “The Marvelous Mrs. Maise” é uma fantástica série periódica e a razão para isso é a performance da atriz que interpreta uma mãe solteira que se aventura na comédia stand-up nos anos 50. Brosnahan acabou por ganhar o globo de ouro e ficou a ter a possibilidade de ser nomeada para os Emmy. A Amazon também teve motivos para sorrir, já que depois dos escândalos com a série “Transparent” acabou por ganhar o globo para a Melhor Série de Televisão – Comédia ou Musical com “The Marvelous Mrs. Maise”.

PIOR: COMO É QUE A GALA ESTAVA ATRASADA PASSADOS 45 MINUTOS?

A 45 minutos dentro da gala, os apresentadores Christina Hendricks e Neil Patrick Harris disseram que que a gala já estava atrasada. Esta situação não foi bem entendida já que não houve longos discursos de aceitação e o monólogo de Meyers teve a mesma duração de outros anos.

MELHOR: ALLISON JANNEY GANHA A NOITE COM UMA PIADA SOBRE UM PAPAGAIO

Só apareceu durante menos de um minuto, mas a atriz do “Eu, Tonya” apareceu a usar uma pena vermelha no ombro. Isto é uma referência à mãe de Tonya Harding que fez uma entrevista com um papagaio morto no ombro, que transferiu para o filme.

MELHOR: A APARIÇÃO DE KIRK DOUGLAS

Foi difícil de perceber o que o ator com 101 anos disse ao lado de Catherine Zeta-Jones. Douglas nunca totalmente recuperou do AVC que sofreu em 1996, por isso não tem feito aparições em nenhuma gala.

MELHOR E PIOR: EM PEDAÇOS GANHOU O GLOBO PARA O MELHOR FILME ESTRANGEIRO

Foi uma das grandes surpresas da noite que o filme alemão derrotou alguns dos candidatos aos Óscares como: “Uma Mulher Fantástica”, “O Quadrado” e “Nelyubov”. No entanto deu a reconhecer a performance de Diane Kruger no filme.

MELHOR: A APRESENTAÇÃO DE NATALIE PORTMAN

Depois do discurso de Oprah Winfrey, Ron Howard e Natalie Portman subiram ao palco para apresentarem o prémio de Melhor Realizador. Os dois atores pareciam estar com alguma pressa para apresentar o prémio e foi aí que Portman decidiu adicionar algo ao seu discurso: “E aqui estão os nomeados para esta categoria repleta de homens”. O que fez com que este momento se destaca-se mais foi que houve realizadoras que poderiam ter sido nomeadas para esta categoria. como Greta Gerwig, Patty Jenkins, Angelina Jolie e Dee Rees.

PIOR: SETH MEYERS E OS ESCRITORES DA GALA

Meyers tem dado cartas no “Late Night” atacando o Presidente Trump e a Casa Branca. Um Seth Meyers zangado é excelente, um Seth Meyers não tão zangado nem por isso. O problema é que o apresentador vai ser sempre comparado com Tina Fey e Amy Poehler.

PIOR: O DISCURSO DE LEE UNKRICH

Quando o realizador de “Coco” subiu ao palco para agradecer ao México por inspirar o filme mas o segundo realizador e compositor de descendência mexicana, Adrian Molina, foi posto e não teve um momento para falar.

PIOR E MELHOR: TOMMY WISEAU NÃO TEVE O SEU MOMENTO.

Quando James Franco ganhou o prémio para Melhor Ator com “Um Desastre de Artista” e convidou o seu irmão, Dave Franco, e a inspiração para o filme, Tommy Wiseau, ao palco para o discurso de aceitação Wiseau tentou falar antes de Franco mas este o parou. Depois disso Wiseau não teve a oportunidade para falar. Pode não ter sido um momento muito bom, mas foi Franco que ganhou o prémio, com a sua interpretação de Tommy Wiseau, que levou o cineasta a pensar que poderia falar sobre um prémio que não ganhou.

MELHOR: OPRAH PARA PRESIDENTE

Talvez não aconteça, mas só com aquele discurso poderia acontecer. Oprah falou sobre Sidney Poitier, que ganhou um Globo em criança, e falou sobre Recy Taylor. Este discurso mudou estado de espírito da gala.

PIOR: O ENGANO DA ASSOCIAÇÃO DE IMPRENSA ESTRANGEIRA DE HOLLYWOOD

Tudo começou quando a associação não colocou Jordan Peele, de “Foge” nas categorias de Melhor Realizador e Melhor Argumentista, mas também deixou que o filme não leva-se nenhum prémio no final da noite.

Qual foi o teu momento preferido dos Globos de Ouro 2018?



Sobre Ana Inês Carvalho

Licenciada em História da Arte. Mas que gosta de K-Pop e tudo que isso engloba, filmes, música e wrestling.