Live Action de Mulan será “uma extravagância feminina em artes marciais”

Depois da Bela e o Monstro, é a a vez de Mulan chegar aos cinemas. Segundo a realizadora Niki Caro, o novo live-action da Disney será “uma extravagância feminina em artes marciais”.

A informação foi avançada pela realizadora durante uma entrevista, onde revela que ainda não tem muitos pormenores sobre o que está a ser preparados para os fãs.

“Eu ainda não comecei por isso não posso dar nenhum detalhe real. O budget, a localização e a história oferecem-me a oportunidade para uma incrível e muscular peça de extravagância feminina em artes marciais na China. E eu mal posso esperar”, disse a realizadora.

Por definir está também se o live-action será virado para o lado musical ou não. Segundo uma entrevista de Niki Caro, neste momento músicas como “Reflection” e “I’ll Make a Man Out of You” não fazem parte dos planos.

“Daquilo que eu entendi, não existem músicas agora, para horror dos meus filhos”, confirmou a realizadora.

Vê Também: Biblioteca de A Bela e o Monstro inspirada na Biblioteca Joanina

O filme será produzido por  Jason Reed, Chris Bender e Jake Weiner, enquanto que a produção executiva ficou a cargo de Bill Kong. Rick Jaffa e Amanda Silver reescreveram o guião de Lauren Hynek e Elizabeth Martin, intitulado The Legend of Mulan. Quanto ao elenco, não existem ainda confirmações.

Mulan conta a história de uma jovem corajosa que se disfarçou de homem para salvar o seu pai. Durante a invasão dos Hunos, é chamado um elemento masculino de cada família para os representar no exército. Mulan, para salvar o seu pai debilitado alista-se no exército, onde aprende a lutar e a utilizar a espada. Ao longo desta aventura, a jovem é acompanhada pelo pequeno dragão Mushu. Mulan com a sua inteligência e perspicácia consegue ajudar o exército chinês a vencer a batalha contra os Hunos e salvar a China. Pelo meio, consegue ainda conquistar o coração do Capitão Lee Shang. O filme original foi lançado pela Disney em 1998.

Mulan chega às salas de cinema americanas a 2 de novembro de 2018.

Será que a heroína da China vai conseguir conquistar os espectadores?



Sobre Joana Lopes