Ghost Recon Wildlands (PS4) | Análise

Ghost Recon Wildlands é ação pura e dura na vossa consola!

 

 

  • Editora: Ubisoft
  • Produtora: Ubisoft Paris
  • Plataformas: PS4

Classificação 

Enredo
Jogabilidade
Gráficos
Som
Nota Final

 

Este é um jogo para quem procure acção. Numa muito interessante reconstituição de algumas zonas da Bolívia, estamos perante um enorme open world cheio de barões da droga, traficantes de armas e carteis altamente protegidos. Sendo graficamente um jogo bem conseguido, sem ser fantástico, o destaque vai para a variedade dos cenários. Desertos, planícies, cidades, montanhas, rios, este jogo tem de tudo um pouco.

 

 

Ainda na parte gráfica, o que aplaudimos aqui é a enorme acção que se desencadeia em algumas missões, principalmente aquelas que não correm tão bem e de repente estamos num filme de acção em que apenas ouvimos tiros e explosões, tornando tudo bastante frenético.

Lê também: Top Jogos | Os 100 melhores jogos de sempre

Com muitos veículos para controlar, mas com controlos algo complicados e nem sempre intuitivos, por vezes é frustrante não conseguirmos retirar todo o partido do que motos, carros ou helicópteros poderiam oferecer. No resto a jogabilidade é boa, sem grandes falhas e temos muito com que interagir. As missões são mais que muitas, mas algo repetitivas na sua base. Teremos de matar, roubar ou sabotar, e ao fim de algum tempo tudo parece demasiado parecido. A isso não ajuda o enredo, que é a parte mais fraca do jogo, principalmente porque não consegue criar uma boa ligação entre missões.

 

Lê ainda: Horizon Zero Dawn (PS4) | Análise

A evolução das armas é interessante, apesar de em alguns casos ser mais uma questão de design do que funcional, tal como a evolução da personagem que também é algo limitada e sem sentirmos que o nosso personagem evolui assim tanto, mesmo tendo em conta que no fim do jogo quase de certeza terão o vosso personagem no máximo.

Com mais de 40 horas de jogo repleto de acção, o jogo peca por não nos obrigar a um grande planeamento das missões. O objectivo passa sempre pelos momentos intensos que o jogo consegue criar. No entanto a grande diversão está no co-op, principalmente se for um amigo. Se for o computador, o jogo torna-se demasiado fácil, pois o nosso companheiro raramente irá morrer e muitas vezes até irá atrapalhar. Contudo, em co-op tudo é mais variado e divertido. Se jogarem com um amigo, a diversão aumenta ainda mais se um conduzir um veículo.

Resumindo, Ghost Recon é um divertido jogo de acção mas que acaba por não conseguir ser em single player o que é ao ser jogado com um amigo.

 

 

HARDWARE USADO PELA MHD PARA TESTES DE JOGOS

PS4:

  • PlayStation 4 Glacier White
  • DualShock 4 White
  • Razer Leviathan Sound System

PC:

  • Headphones Razer Carcharias
  • Keyboard Razer Epic Chroma
  • Mouse Razer Naga Epic Chroma

 

Luís Pinto


 



Sobre Luis Pinto

Software developer - Autor do blog Ler y Criticar - Apaixonado por jogos desde o tempo do Spectrum!