69º Festival de Cannes (Dia 10) | Os Apupados

O estilizado gore The Neon Demon do dinamarquês Nicolas Winding Refn e The Last Face, o último filme realizado por Sean Penn, com Bardem e Theron foram muito apupados, nas sessões de imprensa.

The Neon Demon

The Neon Demon de Nicolas Winding Refn (Dinamarca) com Elle Fanning, Jena Malone, Abbey Lee (competição)

A história: Uma linda e exótica rapariga (Elle Fanning), chega Los Angeles e hospeda-se num velho motel em Passadena. O seu sonho é tornar-se manequim. A sua ascensão é fulgurante e a sua pureza acabam por causar ciúmes e assédios.  Se certas manequins profissionais se rendem a ela, outras pelo contrário tentam a todo o custo tirar-lhe a beleza.

Vê trailer de The Neon Demon 

A análise: Depois de Drive (2011), o dinamarquês Nicolas Winding Refn (WFR), regressou a Cannes e a Los Angeles, a cidade onde os anjos não têm asas, com este estranho e insólito, (no pior dos sentidos), The Neon Demon, que foi aliás bastante apupado no final. Agora o ambiente é da moda e da competitiva ascensão e carreira dos manequins, que começam logo a ser estrelas aos 17 anos: como é que raparigas ainda quase crianças, muitas fugidas da familia, conseguem resistir a esta insustentável competição por um sonho? WFN tenta responder a esta e outras questões de uma forma hiperbólica e espalhafatosa, debaixo de cores garridas, luzes florescentes e alucinatórias, e momentos de necrofilia, violência, sexo e cocaína, ao ponto de tornar quase The Neon Demon, num filme de terror.

The Neon Demon

WFR utiliza alguns dos códigos do cinema gore e uma pesada banda sonora, para representar esse mundo obcecado pelos ideias de beleza e perfeição, que em Hollywood é muito semelhante e paralelo ao cinema. No meio de tanta porcaria e mau-gosto, salva-se pelo menos a beleza cândida e as transformações da jovem Ellen Fanning que é divina e a experiência da azougada Jena Malone, que se expõe com dureza aos momentos mais difíceis do filme.

The Last Face

The Last Face de Sean Penn (EUA) com Javier Bardem, Charlize Theron, Adèle   Exarchopoulos (competição)

A história: Na Libéria, um dos países africanos marcados pela guerra, o médico humanitário Miguel Leon (Javier Bardem), e a Dra. Wren Petersen (Charlize Theron), responsável pela ONG, estão apaixonados, para além de estarem ambos envolvidos de corpo e alma na sua missão. No entanto, não estão assim tanto de acordo em relação às políticas adoptar num país onde reina a violência, caos e a falta de meios e recurso para fazer face a tanta violência. São estes permanentes conflitos que acabam por o seu amor em causa.

The Last Face

A análise: Presidente do júri em 2008 em Cannes, o actor-realizador Sean Penn (A Praga), é conhecido mundialmente pelo seu activismo em favor da paz e contra a fome e miséria no mundo. Por isso trouxe-nos à competição este The Last Face, um filme muito bem intencionado (mas que não devia estar nesta secção), que é uma homenagem singela aos Médicos Sem Fronteiras e um visível fascínio pela sua actual companheira Charlize Theron, com quem começou na altura uma relação altamente escaldante, pelos vistos no calor de África, esperemos que não propriamente na Libéria.

The Last Face

Os dois actores franceses Jean Reno e Adèle Exarchopoulos, parecem ter vindo apenas ajudar à co-produção e a estar aqui em Cannes já que em The Last Face, têm pequenas aparições. Mais um dos apupos do dia.

JVM

José Vieira Mendes

Jornalista, crítico de cinema e programador. Licenciado em Comunicação Social, e pós-graduado em Produção de Televisão, pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. É actualmente Editor da Magazine.HD (www.magazine-hd.com). Foi Director da ‘Premiere’ (1999 a 2010). Colaborou no blog ‘Imagens de Fundo’, do Final Cut/Visão JL , no Jornal de Letras e na Visão. Foi apresentador das ‘Noites de Cinema’, na RTP Memória e comentador no Bom Dia Portugal, da RTP1.  Realizou os documentários: ‘Gerações Curtas!?’ (2012);  ‘Ó Pai O Que É a Crise?’ (2012); ‘as memórias não se apagam’  (2014) e 'Mar Urbano Lisboa (2019). Foi programador do ciclo ‘Pontes para Istambul’ (2010),‘Turkey: The Missing Star Lisbon’ (2012), Mostras de Cinema da América Latina (2010 e 2011), 'Vamos fazer Rir a Europa', (2014), Mostra de Cinema Dominicano, (2014) e Cine Atlântico, Terceira, Açores desde 2016, até actualidade. Foi Director de Programação do Cine’Eco—Festival de Cinema Ambiental da Serra da Estrela de 2012 a 2019. É membro da FIPRESCI.

José Vieira Mendes has 485 posts and counting. See all posts by José Vieira Mendes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *