Artavazd Pelechian

Artavazd Pelechian de visita à Cinemateca Portuguesa em maio

A Cinemateca Portuguesa-Museu do Cinema prepara uma retrospetiva integral a Artavazd Pelechian e um encontro com o cineasta arménio. 

A Cinemateca Portuguesa fica durante o mês de maio mais perto do cinema proveniente da Arménia, uma vez que irá dar foco à obra do cineasta Artavazd Pelechian.

Durante os dias 27 a 31 de maio, Artavazd Pelechian vem à Cinemateca apresentar a sua obra cinematográfica e participará numa conversa com o público, numa iniciativa realizada em colaboração com a Fundação Calouste Gulbenkian.

Artavazd Pelechian (nascido na Arménia em 1938) é um dos mais importantes cineastas do presente cuja obra começou a ser conhecida no Ocidente a partir de meados dos anos oitenta. Mestre absoluto da montagem, Pelechian é autor de uma filmografia breve, mas magnífica, composta essencialmente por curtas-metragens de natureza documental assentes em imagens de arquivo, mas também em imagens por si filmadas, reveladoras de uma poética única e do poder transformador do cinema. Segundo Artavazd Pelechian:

Para mim, a montagem à distância abre os mistérios do movimento do universo. Posso sentir como tudo é feito e colocado em relação; posso sentir o seu movimento rítmico.

Desenvolvendo-se ao longo de três décadas, o início da sua obra cinematográfica remonta a meados da década de sessenta, o período em que frequentou o conhecido instituto de cinema de Moscovo, o VGIK, momento em que estabelece ainda as bases de uma reflexão teórica, que desenvolverá paralelamente à prática cinematográfica. Os últimos filmes, os belíssimos “Fim” e “Vida”, datam de meados dos anos noventa, altura em que Pelechian deixa de filmar.

É desde o início clara a sua relação com a tradição clássica soviética da montagem, mas também a sua singularidade, como revela o seu conceito de “montagem à distância”. Através de uma apurada manipulação das imagens de base com que trabalha em que a música desempenha um papel essencial, Pelechian constrói um cinema que se desenvolve à margem do cinema dominante em que o homem é retratado como parte de um mundo em movimento incessante, numa visão verdadeiramente única do cinema e do mundo.

Artavazd Pelechian
Artavazd Pelechian

O cineasta arménio Artavazd Pelechian estará na Cinemateca para apresentar a sessão inaugural do Ciclo Artavazd Pelechian na segunda-feira, dia 27 de maio, às 21h30. Artavazd Pelechian irá estar ainda presente num encontro com o público que acontece quarta-feira, dia 29 de maio, às 18h30.

Alguns dos filmes a apresentar no ciclo serão “O Início” (1967); “Os Habitantes” (1970) e “Vida” (1993). A programação completa poderá ser conhecida aqui. Poderás ainda conhecer outros filmes a não perder na Cinemateca Portuguesa em maio!

Fica atento à programação da Cinemateca Portuguesa-Museu do Cinema! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *