"Assalto ao Poder" | © NOS Audiovisuais

Assalto ao Poder | 10 razões para ver o filme

Assalto ao Poder”, a surpreendente sequela de “Assalto à Casa Branca” e “Assalto a Londres”, é um dos grandes filmes de ação deste verão.

Com o novo filme sobre o agente secreto Mike Banning a chegar aos cinemas, aqui pela MHD estamos desejosos de ir às salas e voltar a observar como Gerard Butler salva o Presidente dos EUA e o mundo. Até agora, as obras desta saga não nos têm desiludido com suas quantidades industriais de adrenalina, emoções fortes e muita, muita ação. É claro que, apesar de se manter no mesmo modelo, “Assalto ao Poder” é ligeiramente diferente dos seus antecessores. Confere isso com o trailer e com a sinopse oficial do filme.

Depois de uma tentativa de assassinato contra Allan Trumbull (Morgan Freeman), Presidente dos EUA, o seu fiel confidente e agente dos serviços secretos Mike Banning (Gerard Butler), é erradamente acusado e detido por essa tentativa. Depois de escapar à detenção, torna-se um foragido e é obrigado a fugir à sua própria agência para descobrir a verdadeira ameaça contra o Presidente. Desesperado para encontrar a verdade, Banning recorre a aliados improváveis para ajudar a limpar o seu nome, manter a família a salvo e salvar o país dos perigos iminentes. Este é “Assalto ao Poder”.

Se o trailer e a sinopse não foram suficientes para convencer a ir aos cinemas ver “Assalto ao Poder”, então propomo-nos aqui a apresentar-te 10 razões pelas quais não podes perder o filme. Elas vão desde questões da sua produção até às tonalidades desta nova narrativa e o papel do seu extraordinário elenco.

Lê Também:
20 filmes odiados pelas razões erradas (Parte I)

Para leres todo o artigo, só tens que usar as setas para ires de página em página, de slide para slide. Portanto, sem mais alarido ou demoras, aqui ficam 10 razões pelas quais não podes perder “Assalto ao Poder” nos cinemas portugueses.

2 de 10

SEQUÊNCIAS DE AÇÃO BOMBÁSTICA

assalto ao poder
© NOS Audiovisuais

Acima de tudo, os filmes desta saga têm-nos trazido algumas das cenas de ação mais energéticas e divertidas do cinema atual. Este terceiro capítulo na história de Mike Banning promete ainda mais cenas estrondosas, desta vez com um tom mais visceral e negro. Há uma violência mais sentida em “Assalto ao Poder”, uma intensidade maior que faz vibrar o espectador no seu lugar. É claro que, para ter sequências tão espetaculares assim, há que se tomar alguns riscos e os atores nem sempre saem ilesos.

2 de 10

Cláudio Alves

Licenciado em Teatro, ramo Design de Cena, pela Escola Superior de Teatro e Cinema. Ocasional figurinista, apaixonado por escrita e desenho. Um cinéfilo devoto que participou no Young Critics Workshop do Festival de Cinema de Gante em 2016. Já teve textos publicados também no blogue da FILMIN e na publicação belga Photogénie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *