Cinema 2015 | Alguns estúdios sem personagens LGBT

Em 2015 registou-se um decréscimo de personagens LGBT no cinema. A Disney e a Paramount são exemplos de estúdios que não tiveram nenhuma personagem LGBT nos seus filmes, o ano passado.

Segundo um estudo da GLAAD Media, Gay & Lesbian Alliance Against Defamation, é a primeira vez que existem estúdios sem representação da comunidade LGBT nos seus filmes. Mesmo os filmes que tiveram, foram muito poucos. Estes valores representam cerca de 17,5% de todas as personagens interpretadas em 2015.

Lê mais sobre: GLAAD Media Awards | Lista Completa de Nomeados

A Warner Bros., a Paramount e a Disney foram considerados “failures” no que diz respeito à integração destas personagens nos seus filmes.

“Failure” não quer necessariamente dizer que o estúdio não tenha tido representação da comunidade nas personagens. No caso da Warner Bros., dos 25 filmes que estreou o ano passado, 5 tinham personagens LGBT.  Foi a maneira como estas personagens foram estereotipadas que lhes deu a avaliação de “failures.” Vejam o exemplo de Kevin Hart e Will Ferrell em “Get Hard.”

Lê Também:
Helen Mirren protagoniza sequela de Wonder-Encantador

 

More inclusive portrayals of LGBT characters are being seen on television and through streamed content than ever before. Diz a Presidente da GLAAD.GET HARD LGBT

Lê mais sobre: Get Hard | Trailer

Nem todas as representações têm que ser más. Vejamos o exemplo de Carol. A história de uma mulher que se apaixona por outra e que conquistou corações por todo o mundo.

O Lionsgate foi considerado o estúdio que mais personagens LGBT incluiu nos filmes, com 8 em 24 filmes o ano passado. Segue-se a Sony Pictures com 3 em 16 filmes.

A comunidade LGBT, em Hollywood, continua a ser maioritariamente representada por homossexuais. O estudo da demonstra, também, que são os filmes de comédia aqueles que têm maior representação de personagens homossexuais, bissexuais e transsexuais.

A GLAAD sugeriu ainda à Disney que incorporasse personagens lésbicas, bissexuais, gay ou transsexuais nos seus filmes, sugerindo mesmo que o filme Star Wars serie uma óptima opção.

As sci-fi projects have the special opportunity to create unique worlds whose advanced societies can serve as a commentary on our own, the most obvious place where Disney could include LGBT characters is in the upcoming eighth Star Wars film. 2015’s The Force Awakens has introduced a new and diverse central trio, which allows the creators opportunity to tell fresh stories as they develop their backstory.

A integração e representação da comunidade LGBT em Hollywood é necessária, bem como a existência de uma maior representação da comunidade africana, latina, chinesa e muçulmana.

Lê Também:
Prequela de Hunger Games confirma Jason Schwartzman

O objetivo do estudo parece-nos bastante claro, é necessário incluir personagens de todas as comunidades, para se conseguir chegar a todos os públicos.

Afinal deve, ou não, a comunidade LBGT estar mais vezes e melhor representada em Hollywood? E vocês, o que acham?


 

Beatriz Monteiro

25 @ Coach @ Social Media Manager @ Magazine Editor. Viciada em banda desenhada, cinema, música e confesso jelly beans. A minha bucket list inclui receber uma carta para Hogwarts. Não aconteceu, ainda! Fã incondicional da Marvel e da DC. Não escolho lados. Escrevo todos os artigos a ouvir o albúm Leftoverture dos Kansas. Mais sobre mim no meu instagram! :)

Beatriz Monteiro has 557 posts and counting. See all posts by Beatriz Monteiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.