Diablo 3 (PS3) | Análise

 

 diablo 3 ps3  

  • Editora: Blizzard Entertainment
  • Produtora: Blizzard Entertainment
  • Plataformas: PlayStation 3, Xbox 360, PC

Classificação  [starreviewmulti id=8 tpl=20 style=’oxygen_gif’ average_stars=’oxygen_gif’]

 

Finalmente “Diablo” chega às consolas! Todos aqueles que não jogaram os primeiros dois jogos têm agora a oportunidade de os jogar nas suas consolas. A questão é apenas uma: terá sido a transição bem feita? A resposta é sim, mas já lá vamos.

Em primeiro lugar temos de indicar que aqui, nas consolas, não há dinheiro real nem necessidade de ligação constante à internet. “Diablo” mantém-se fiel ao que sempre foi, um jogo de progressão constante, onde matar e colecionar é tudo. É a busca por mais poder, por melhores armas e armaduras, até finalmente, enfrentarmos os nossos piores pesadelos.

Diablo-3-PS3-Gameplay

Enredo: Se formos objetivos, este é o fator que menos interessa neste jogo. Claro que é importante, mas também é notório que os criadores de “Diablo” sabem que este é um produto que vence pela experiência de jogo que transmite e onde o enredo não é tão preponderante. Sendo assim, a história é o elo mais fraco, não tendo grande profundidade nem sendo surpreendente, mas a verdade é que não sentimos que tal fraqueza estrague o jogo. Quem tiver jogado os primeiros jogos conseguirá criar uma ponte narrativa e perceber detalhes que irão falhar a quem não tenha jogado os anteriores, e talvez possamos apontar o dedo à Blizzard por não ter criado um resumo das histórias anteriores.

Com muitas horas de jogo (cerca de 15 horas para finalizar a campanha e, provavelmente, umas 80 para chegarem ao troféu de platina), “Diablo 3” começa com a escolha do género de personagem que vamos ter na campanha. Existem 5 diferentes e temos de aplaudir a facilidade com que este jogo nos mostra mais tarde como a nossa escolha inicial condicionou toda a nossa forma de jogar. Fantástico! As diferenças são palpáveis, bem criadas e com sentido. Joguem com todas e perceberão as enormes diferenças que uma simples escolha pode fazer, e que se nota muito mais neste jogo do que nos anteriores.

Diablo-III-Console

Jogabilidade: Era aqui que estavam todas as perguntas: conseguia a versão de consolas chegar perto da experiência de jogo que rato e teclado oferecem? A resposta, uma vez mais, é sim, e é preciso aplaudir como a Blizzard transformou um ícone da jogabilidade PC numa simples e intuitiva experiência para consola. A jogabilidade está de tal forma bem conseguida que se torna difícil decidir onde “Diablo 3” é melhor, se nas consolas ou PC. Dependerá dos gostos e dos hábitos de cada um, mas em termos qualitativos, a jogabilidade das consolas está ao nível da que encontramos no PC.

E é também aqui que está a maior adição a este jogo: a capacidade de rebolar/esquivar. Este movimento, ausente na versão PC, torna-se tão importante que melhora toda a experiência, tornando o jogo mais rápido e a jogabilidade mais complexa. Em tudo o resto, “Diablo 3” está igual a si mesmo: rápida evolução dá-nos cada vez mais opções e obriga-nos a não desligar a consola e, obviamente, os diferentes poderes que vamos adquirindo e escolhendo para nós, pedem para que nos adaptemos a eles. E com isto, apesar de o objetivo do jogo ser repetitivo (matar/colecionar), a verdade é que temos margem de manobra para que o que fazemos no comando não o seja.

Diablo-3-for-PS3

Gráficos: apesar de bastante bons, a versão de consolas não consegue competir com o que um computador de topo nos pode dar de “Diablo 3”. No entanto, se a versão PS3 for a vossa opção (porque ter um computador de topo também não é barato), acreditem que a vossa consola dará conta do recado. Com um design fantástico em todos os cenários e que cria um ambiente constante no jogo como a saga sempre nos deu, a capacidade gráfica da nossa consola é testada quando o nosso ecrã se torna numa carnificina onde existem tantos monstros que quase não vemos o solo (nem a nossa personagem), e aqui as quebras são mínimas. No entanto, voltamos a repetir, não conseguem ser tão bons como num PC de topo.

Os cenários são vastos, diversificados, pedem para ser explorados e em todos, mas mesmo em todos, esperam-nos muitos inimigos. “Diablo 3”, pura e simplesmente, não nos dá descanso, e se no modo Normal alguns não terão dificuldades, acreditem que elas chegaram nos níveis mais altos. É a luta constante num ritmo avassalador. De salientar ainda que quando jogamos com amigos, existe em alguns momentos uma quebra de frame rate mas também é verdade que se torna muito mais divertido jogar com amigos. De lamentar apenas que o menu do nosso personagem ocupe todo o ecrã quando jogamos com amigos, obrigando-os a ficar à espera das nossas alterações. Por último, devemos mencionar que as cutscenes têm a melhor qualidade gráfica que esta geração nos apresentou, com um detalhe esmagador e só lamentamos serem tão poucas.

Diablo-III-Battle

Som: Trabalho de vozes muito bom e banda sonora de grande qualidade. Infelizmente é aqui que se nota com mais frequência a transformação da versão PC para as consolas. É verdade que a versão PC também não está imaculada neste aspeto, mas nas consolas, quando temos o ecrã cheio de inimigos, reparamos que alguns efeitos sonoros são omitidos.

screenshot diablo

“Diablo 3” é um jogo que daqui a muitos meses ainda estaremos a jogar. Muito para colecionar e vários níveis de dificuldade que nos obrigam a ir ao “inferno” que este jogo pode ser, é preciso bater o jogo nessas dificuldades para termos acesso aos melhores items. Neste aspeto é preciso salientar que aumentar o nível é um verdadeiro aumentar das nossas dificuldades. Os nossos inimigos comportam-se de forma diferente e mesmo com a nossa personagem já treinada da dificuldade inferior, preparem-se para suar, mesmo!

“Diablo 3” está muito bom e não tem rival nas consolas. Mas este é um caso que deve ser aplaudido. A Blizzard não se limitou a transportar o jogo de uma plataforma para outra. Existe uma reconstrução, principalmente na jogablidade, que deve ser assinalada e que nos leva a ponderar se o PC oferecerá mesmo a melhor experiência de jogo, porque a versão de consolas está mesmo muito bem conseguida.

Para todos os fãs, ou para quem se queira aventurar pela primeira vez neste mundo, “Diablo 3” é a referência. Agora vamos ver o que a versão PS4 nos pode oferecer. Estamos ansiosos!

 

Pontos fortes:

  • Jogabilidade de topo
  • Muitas armas…
  • …armaduras…
  • e ouro para colecionar!
  • Ritmo frenético, constante, sempre em cenários com um excelente design
  • Nos níveis mais altos de dificuldade, o jogo torna-se um desafio que não será esquecido tão cedo

Pontos fracos:

  • Sendo o primeiro jogo nas consolas, pedia-se um resumo das histórias anteriores
  • Quando existem muitos inimigos, os efeitos sonoros recentem-se.

LP

Lê Também:   Estes são os jogos mais aguardados de 2024

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *