Inauguração do IMAX no CascaiShopping | Entrevista a Don Savant e Giovanni Dolci

A equipa da Magazine.HD esteve na inauguração da nova sala IMAX® DMR Digital 3D nos cinemas NOS do Cascais Shopping e entrevistamos dois dos responsáveis por este formato. 

Agora sim, já podes assistir aos melhores filmes em IMAX no CascaiShopping! A nova sala de cinema foi inaugurada ontem, dia 15 de novembro, e abriu hoje ao público. Como não poderia deixar de ser a Magazine.HD esteve presente no evento de inauguração, no qual foi exibido o filme “Liga da Justiça” que contou com a presença muito especial de dois senhores que comandam a IMAX Corporation.

Tivemos oportunidade de falar com Don Savant, Presidente Global para o Desenvolvimento e Relação com Exibidores, e com Giovanni Dolci, o Diretor Executivo para os Mercados Europa e África. Ambos receberam-nos da melhor maneira possível na sala IMAX, onde conversámos sentados nos cómodos assentos azuis. Sempre bem dispostos, notava-se o agrado nos seus rostos por inaugurarem um novo espaço. Esta torna-se assim a terceira sala no país com a tecnologia IMAX DMR – Digital 3D. A primeira sala foi inaugurada pela NOS Cinemas em 2013 no Centro Comercial Colombo, em Lisboa, e a segunda, em 2015, no MAR Shopping, em Matosinhos. 

Na entrevista que abaixo se transcreve, falamos da história do formato, da colaboração exemplar com a NOS Cinemas e ainda, curiosamente, dos cafés oferecidos pela Starbucks. O melhor é conhecer estas personalidades excecionalmente concentradas em garantir ao público e espetadores a melhor experiência cinematográfica.

O CORTAR DA FITA DE 70MM NESTA INAUGURAÇÃO

IMAX CascaiShopping

MHD: Apesar de estar em Portugal desde 2013, ainda assim muitas pessoas, especialmente das cidades mais pequenas do país, não conhecem a tecnologia IMAX. Podem falar um pouco da sua história e em que consiste a tecnologia?

DS: O IMAX começou há cerca de 50 anos no Canadá. A companhia foi fundada em 1967, com a apresentação do filme “In the Labyrinth” para a Expo 67 e o seu nome significa Eye Maximum, porque afinal é disso que se trata. Foi criada com o propósito de transpor a melhor experiência de cinema. Começou com o melhor sistema de projeção e de som, mas ao longo do tempo evoluímos além dessas premissas. O IMAX é o único formato premium que está disponível em alternativa aos ecrãs convencionais, oferecendo, inclusive, a mais alta resolução de imagem e a melhor qualidade. Além de que, parte do IMAX tem muito a ver com a captura de imagem, através das nossas câmaras. Christopher Nolan utilizou-as em “Dunkirk” e o mesmo acontece com os próximos filmes d’”Os Vingadores” (“Infinity War”), rodados a cem porcento neste formato. O intuito é conceber a máxima experiência cinematográfica.

GD: A máxima experiência cinematográfica é realmente a palavra-chave. Algumas pessoas podem pensar que é apenas a tecnologia, mas digamos que é muito além disso. Mesmo sendo um formato, fazemos parte do processo criativo dos filmes, desde o momento em que são produzidos, até ao momento que são distribuídos e projetados às audiências.

DS: Tudo consiste na qualidade. As nossas salas têm um conjunto de parâmetros muito específicos. Os nossos sistemas de projeção e de som não só têm que respeitar essas normas, como atender àquilo que cineastas e público pretendem. Trabalhamos com um grupo de pessoas muito empenhadas e apaixonadas por cinema.

O IMAX CHEGA AO CASCAISHOPPING

IMAX CascaiShopping

MHD: Tudo começa, portanto, com uma relação intrínseca entre os cineastas, o vosso trabalho e o público…

GD: Exatamente. Queremos providenciar as ferramentas para os cineastas, seja qual for a sua visão, e depois queremos que a mesma chegue ao público.

MHD: Com cada vez mais alternativas para visionar certos filmes, incluindo serviços de streaming, video-on-demand, ou até mesmo downloads, ainda assim muitas pessoas vão ao cinema e a maioria das sessões em IMAX estão esgotadas em Portugal. Consideram que é pela sua lógica de espetáculo que o IMAX continua a captar a atenção das audiências ao longo de tantos anos?

GD: Afirmar por si só lógica de espetáculo é uma boa maneira de colocar as coisas (risos). É a experiência. Nós oferecemos algo diferente daquilo que as pessoas têm em casa, e consideramos que somos bem sucedidos, especialmente agora, com o acesso imediato aos conteúdos, e num momento em que os meios digitais estão por todo ao lado. Entretanto, as pessoas vão exigindo algo mais quando vão ao cinema, mas o apetite continua lá. Quem não gosta de sair de casa e ter uma boa experiencia cinematográfica? Penso que temos um público cada vez mais exigente, para uma experiência também ela mais excitante, e é isso que ambicionamos no IMAX.

DS: Curiosamente ir ao cinema continua a ser acessível. Há quem diga que ir ao cinema é caro, mas hoje em dia, pelo mundo fora, tudo é dispendioso. Vás jantar fora, vás a um concerto, a um evento desportivo ou vás à ópera, e essas experiências continuam a ser caras. Mas ir ao cinema é algo em conta. Já o bilhete IMAX é apenas mais um extra acima do bilhete normal.

DON SAVANT E GIOVANNI DOLCI 

IMAX CascaiShopping

MHD: Quais são as condições para a instalação de um ecrã IMAX num determinado local? Porquê Cascais e não, por exemplo, o Algarve?

GD: Nós fazemos vistorias a vários locais e pesquisamos sobre os elementos demográficos das áreas em que queremos construir um dos nossos cinemas, mas nem todos são adequados. Quando olhamos em redor desta sala percebemos que não é fácil receber um cinema destes. Poderíamos até construir uma infinidade deles, mas temos especificações ao nível do tamanho que são muito importantes. Digo já que a NOS Cinemas tem sido um parceiro fenomenal, porque os cinemas IMAX de Portugal foram propositadamente construídos a partir do zero. Estas “caixas” foram projetadas para serem salas IMAX.

DS: Queremos também locais onde as pessoas possam ir jantar, possam ir às compras, e possam ver grandes filmes. Sejam elas residentes ou turistas, essa é a mais valia.

MHD: Para quando está marcada a próxima inauguração, se é que podem partilhar connosco?

GD: Estamos constantemente a inaugurar novas salas na Europa, muitas delas neste último trimestre de 2017. Estamos muito orgulhosos por continuarmos a alcançar novas audiências. A próxima abertura é já amanhã no Reino Unido, na qual o Don estará presente (risos). Temos também agendadas inaugurações na Turquia, outra no Reino Unido e ainda uma na Irlanda. Existe um apetite, volto a repetir, por esta experiência. Esta inauguração no CascaiShopping é uma consequência direta do sucesso das anteriores salas, a do Colombo e a do MarShopping. O público pede mais e estamos muito felizes por entregar a tarefa à NOS, líder do mercado cinematográfico em Portugal.

DS: Pelo mundo fora, iremos ter, até ao final do mês, quinhentas salas na China. Estamos muito entusiasmados!

A TÃO AGUARDADA SALA DE CINEMA IMAX DO CASCAISHOPPING 

IMAX CascaiShopping

MHD: Desde o início do século que o cinema tem mudado muito, sobretudo ao nível da tecnologia 3D que cresceu, mas que tem apresentado algum declínio nos últimos tempos…

DS: Nós queríamos que o IMAX fosse capaz de projetar tanto em 2D e 3D, e capaz de oferecer a melhor experiência em ambos. Portanto, colaboramos com Christopher Nolan que prefere rodar em 2D e trabalhamos com Michael Bay que adora o 3D. Na América do Norte há uma preferência pelo 2D, mas na China, e até em alguns locais da Europa, o público prefere o 3D. Na realidade, tudo varia conforme o mercado e os espetadores. Quando vemos um filme que recorre especificamente ao 3D, como os trabalhos de James Cameron, as pessoas correm atrás disso e adoram. Mas, outras vezes, os filmes são apenas convertidos em 3D, e perdem o encanto. Colocar os óculos nem sempre significa uma melhor experiência. Ao público interessa o conteúdo e a história. Algumas histórias funcionam lindamente em 3D, outras não precisam de ser contadas dessa forma. 

GD: Um problema pode ser a falta de consistência. O formato pode ser um desafio, mas quando as pessoas vão a uma sala IMAX sabem o que esperar de um determinado filme. No entanto, ao comprar um bilhete para um filme em 3D às vezes não existem as melhores condições. Não falo de Portugal, mas de outros países em que as salas de cinema têm assentos completamente destruídos e um som péssimo. É díficil pedir às pessoas para pagar um valor tão elevado quando existem essas carências.

DS: A consistência é muito importante. Eu vivi na China durante vários anos [Don foi, aliás, Vice-Presidente da IMAX para o Mercado Ásia-Pacífico] e acho curioso avaliarmos o caso dos cafés Starbucks. Eles não oferecem o melhor café do mundo, mas oferecem um café muito bom (risos). Seja qual for o sítio onde estejas ou viajes, há sempre um café Starbucks no virar de cada esquina. Há uma boa caneca de café, mas há também todo um rigor e garantia de qualidade. Estamos num Starbucks e podemos ter vinte minutos de sossego. Podemos conversar com os nossos amigos, ter uma reunião de trabalho, podemos até consultar os nossos e-mails… É um nível de conforto que não tens em mais parte nenhuma, e é por isso que a Starbucks se tornou uma das maiores empresas do mundo. É isso que falta a alguns espaços convencionais que exibem em 3D.

MHD: E a IMAX Corporation está a tentar seguir o exemplo (risos)…

DS: É isso que intencionamos.

Até ao final do ano a NOS espera ainda inaugurar sete novas salas de cinema em Évora, mais especificamente no Évora Plaza.

Virgílio Jesus

Era uma vez em...Portugal um amante de filmes de Hollywood (e sobre Hollywood). Jornalista e editor de conteúdos digitais em diferentes meios nacionais e internacionais, é um dos especialistas na temporada de prémios da MHD, adepto de todas as formas e loucuras fílmicas, e que está sempre pronto para dois (ou muitos mais!) dedos de conversa com várias personalidades do mundo do entretenimento.

Virgílio Jesus has 1391 posts and counting. See all posts by Virgílio Jesus

One thought on “Inauguração do IMAX no CascaiShopping | Entrevista a Don Savant e Giovanni Dolci

  • Bom dia

    artigo muito bom

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.