Do Livro à Tela – God of War

 

god of war capa livroCada vez são mais os jogos que passam para filme ou livro. Depois das adaptações literárias de êxitos como Assassin’s Creed e Uncharted, chega agora God of War!

Não foi preciso muito tempo para Kratos se tornar numa das personagens mais importantes da marca PlayStation. Personagem principal de dois dos melhores jogos da PlayStation 2, Kratos demonstrou a sua fúria, a sua necessidade de vingança contra os Deuses. E pelo meio víamos como essa necessidade era a sua única motivação, numa mente devastada pela perda. De seguida Kratos deu o salto para a PlayStation 3 e continuou o seu ganho de sangue até ao Monte Olímpo.

 

Após vários jogos de God of War, todos eles a elevarem um pouco mais a fasquia da qualidade, a demanda de Kratos apresenta-se como um dos jogos mais desejados para saltarem até ao cinema. Mas enquanto tal não acontece, Matthew Stover (autor de vários livros do universo Star Wars) juntou-se a Robert Vardeman para adaptarem para livro a história do primeiro God of War.

 

Numa escrita simples e uma narrativa que apresenta sempre um ritmo elevado, estes autores levam-nos a conhecer o início da luta de Kratos contra Ares, o Deus da Guerra. Para quem não tenha jogado este início de saga, o livro irá dar-nos tudo o que o jogo nos oferece em termos de enredo. É claro que o livro não oferece as horas de luta sangrenta necessárias para se terminar o jogo, nem é tão visualmente violento, mas a história está lá toda, e ainda mais.

A narrativa segue duas personagens, Kratos e Athena, e esta é a grande adição nesta adaptação: ao não estarmos limitados a ver o que Kratos faz, temos agora consciência de tudo o que a deusa Athena fez para ajudar o Espartano. O jogo de bastidores é onde se ganham muitas batalhas e com este livro vemos os planos, os acordos e os motivos de Athena, sempre pronta a ajudar Kratos.

Com este conhecimento, todo o enredo faz mais sentido. Muitas das nossas perguntas são respondidas, desde o porquê de alguns Deuses darem parte dos seus poderes a Kratos, mas também como Ares e Athena travam uma batalha silenciosa. E quais são os motivos de Ares? Pelo meio vemos a explicação para alguns acontecimentos que Kratos enfrenta e que não tinham explicação, e claro, ficamos a conhecer a identidade do coveiro!

A juntar ao enredo que está presente no jogo, os autores alargam o leque visível da mitologia grega e aqui são dados vários pormenores  sobre outras personagens que não aparecem na histórias, mas que tiveram ações que indiretamente influenciaram o iniciar desta história. Para além disso, o livro tem a possibilidade de nos mostrar muito sobre o passado de alguns do intervenientes, como por exemplo Zeus, Medusa, etc…

Claro que sendo um livro, a obra tem a oportunidade de nos mostrar muito mais sobre algumas personagens, e Kratos é quem ganha mais com isso. Os autores não exageraram, e sem arriscar muito, levam-nos a uma visão mais profunda da mente de Kratos, do que a destrói e a motiva. E com isto o livro ganha muita qualidade, pois é necessário perceber o que sente este personagem para compreender o porquê de não parar, de não desistir, de não sentir remorsos.

Resumindo: tudo o que está no jogo, está no livro, mas esta adaptação tem muito mais enredo. Não tem, nem poderia ter, a ação nem os enigmas que caracterizam esta saga, mas tem a aprofundar de todas as ações e personagens, e claro, tem o lado que antes nunca tínhamos visto, Athena a ajudar o Fantasma de Esparta com um inteligente jogo de intrigas e acordos. a adaptação não é uma obra-prima, mas oferece um conhecimento extra interessante a quem seja fã. Quem não tenha jogado e queira conhecer esta excelente história, este livro é uma grande oportunidade de verem o porquê de um humano ter enfrentado o Deus da Guerra.

LP

 

 

Luis Pinto

Software developer - Autor do canal Tek Test - Apaixonado por jogos desde o tempo do Spectrum!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *