Mass Effect erradamente associado ao massacre em Connecticut

 

De acordo com o site Kotaku, os primeiros relatórios sobre o massacre que ocorreu ontem em Connecticut, que resultou na morte de 26 pessoas numa escola elementar, davam a entender que o atirador seria um homem de 24 anos chamado Ryan Lanza.

A página de Facebook de Ryan Lanza revelou ao mundo que este é fã da série “Mass Effect”, o que gerou uma onda de ataques ao jogo da BioWare e à sua respetiva página de Facebook. Os contestatários acusavam a produtora de ter desenvolvido um jogo violento e responsabilizavam-na pelo massacre.

“Existe uma relação entre os jogos violentos e a violência sem sentido na vida real.”, escreveu Becky Laird Gluff, uma utilizadora do Facebook, no mural da página de “Mass Effect”.

“Banam esse jogo e as pessoas que criaram essa doença.”, disse Melanie Bowers, outras das contestatárias.

No entanto, veio-se a saber mais tarde que o presumível responsável pelo atentado tinha sido na realidade o irmão mais novo de Ryan, Adam Lanza. Segundo o site Mashable, depois de se conhecer a verdadeira identidade do atirador, os fãs de “Mass Effect” começaram a defender o jogo e a explicar que os media tinham cometido uma troca de identidade.

A BioWare e a Electronic Arts não teceram ainda qualquer comentário na página de Facebook, nem apagaram nenhum dos comentários acusadores.

Pedro Dias Marques

Pedro é um fã do mundo dos videojogos desde que aos seis anos recebeu uma consola da Nintendo no Natal. O tempo foi passando e essa paixão pelo mundo virtual foi sendo reforçada pela evolução dos jogos. Adora um bom jogo de ação e um RPG com uma história memorável.