ArteKino | Duas produções portuguesas vão estar online

John From e A Morte de Luís XIV, duas produções portuguesas, fazem parte das 10 longas-metragens que vão ser disponibilizadas online no festival ArteKino.

john from artekino

Uma iniciativa do Canal ARTE e da plataforma online festival Scope, o Festival ArteKino é uma nova proposta de festival de cinema. Aqui, uma seleção de dez ilustres longas-metragens internacionais, vão ser disponibilizadas online, entre 30 de setembro e 9 de outubro, e o seu visionamento é completamente gratuito. O único senão é que o número de bilhetes é, infelizmente, limitado e se queres ver um dos filmes convém que vás já reservar bilhete.

Duas dessas dez obras em exibição têm particular interesse para audiências lusitanas, sendo elas produções portuguesas. John From de João Nicolau, já fez uma breve passagem pelos cinemas portugueses em circuito comercial ainda este ano. Contudo, não esteve muito tempo em sala e a sua fama tem sido maioritariamente feita à base dos festivais de cinema internacionais.

john from artekino

Para quem não viu o filme em sala, esta é uma excelente oportunidade para apreciar esta colorida obra sobre o Verão na vida de uma adolescente de quinze anos. Juntamente com Cartas da Guerra, esta produção, também de O Som e a Fúria, volta a afirmar a qualidade do cinema português a nível internacional, especialmente pela sua inquestionável beleza fotográfica.

Lê Também: Cartas da Guerra, em análise

Também portador de uma extraordinária beleza pictórica é A Morte de Luís XIV, uma coprodução entre Portugal e França assinada pelo realizador espanhol Albert Serra. Depois de maravilhar muitas audiências com o seu estudo de um Casanova vampiro em História da Minha Morte, Serra regressa aqui às explorações da mortalidade humana só que agora o seu protagonista é o Rei Sol durante os seus últimos dias de vida.

a morte de luis XIV artekino

Com uma atenção ao detalhe quase arqueológica, o cineasta reproduziu neste filme a angústia dessas derradeiras horas em que um homem que em tempos se achou divino, se encontra agora traído pela fragilidade do seu corpo moribundo. No papel titular, o filme conta com a lenda viva do cinema francês, Jean-Pierre Léaud num dos melhores papéis da sua muito longa carreira. Haverá melhor escolha para o papel do mais icónico rei de França que não este imperador do cinema francófono, cujo reinado se iniciou há mais de meio século com Os 400 Golpes?

 


De que é que estás à espera? Vai já reservar os bilhetes para estes filmes no site do festival ArteKino. Não percas esta oportunidade!


 

Cláudio Alves

Licenciado em Teatro, ramo Design de Cena, pela Escola Superior de Teatro e Cinema. Ocasional figurinista, apaixonado por escrita e desenho. Um cinéfilo devoto que participou no Young Critics Workshop do Festival de Cinema de Gante em 2016. Já teve textos publicados também no blogue da FILMIN e na publicação belga Photogénie.

Cláudio Alves has 1523 posts and counting. See all posts by Cláudio Alves

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *