Chris Pratt dá a sua opinião sobre Suicide Squad

O actor Chris Pratt deu recentemente a sua opinião sobre os aspectos que considera terem corrido menos bem em Esquadrão Suicida!

Enquanto que Guardiões da Galáxia 2 se prepara para a sua tão aguardada estreia, algumas críticas sugerem não se tratar de um filme tão bom como o primeiro, mas que ainda assim promove bastante acção e uma grande química entre os protagonistas. Numa entrevista recente, o actor Chris Pratt pronunciou-se sobre a produção da concorrência, Esquadrão Suicida.

A personalidade e complexidade das personagens estão entre os maiores atributos de Guardiões da Galáxia, o que não se pode dizer de Esquadrão Suicida. O filme foi considerado a pedra no sapato do Universo Expandido da DC, por nos apresentar uma quantidade considerável de personagens que, na opinião de Chris Pratt, foram bastante subdesenvolvidas.

Suicide Squad, Esquadrão Suicida, Chris Pratt, Guardiões da Galáxia 2, Guardians of the Galaxy

Lê também: Dave Bautista explica como foi trabalhar com James Gunn em Guardiões da Galáxia 2

Na referida entrevista, Pratt terá sido abordado sobre os filmes mais recentes do Universo Expandido da DC e, embora tivesse mostrado bastanta relutância em pronunciar-se acerca do estúdio (Warner Bros.), ofereceu a sua mais sincera opinião sobre os aspectos menos conseguidos do filme Esquadrão Suicida em comparação aos melhor sucedidos do Universo Cinematográfico da Marvel.

Eu gosto realmente de todos os filmes da Warner Bros. Acho que são mesmo fixes e não sou muito crítico sobre esses filmes. Mas uma das falhas poderá ter sido terem introduzido demasiadas personagens em “Esquadrão Suicida”. Eles passaram 10 minutos a dizer-nos porque nos deveriamos importar com essas personagens, em vez de criarem trilogias para cada personagem e convencerem-nos a preocuparmo-nos com as personagens.

Nesta comparação de gigantes, Pratt focou-se particularmente no desenvolvimento de personagens. Na sua opinião, a DC teria beneficiado de uma gradual apresentação das personagens, com filmes a solo de Harley Quinn, Deadshot e outros, à semelhança do que a Marvel fez com Iron Man e Capitão América, que introduziram os fãs ao universo e a alguns dos seus personagens ainda antes do surgimento de Os Vingadores.

O actor fez um ponto bastante saliente sobre Esquadrão Suicida, mas que não se aplica aos filmes de super-heróis em geral. O problema não foi tanto a introdução de várias personagens, mas sim a introdução de personagens que não foram bem escritas o suficiente para despertar o interesse do público. O actor podia ainda ter reforçado os seus argumentos com base no seu próprio filme, como um exemplo de como se pode desenvolver um conjunto de personagens memoráveis.

Apesar de tudo, temos a certeza que o problema que Pratt descreve em Esquadrão Suicida não será algo com que tenhamos que nos preocupar em Guardiões da Galáxia 2.

E ainda: AMC Portugal promete abalar o mundo seriólico em 2017

Alexandra Brito

Estudante de Pintura na Faculdade de Belas-Artes da Universidade do Porto. Seriéfila compulsiva nos tempos livres, com predilecção por tudo o que envolva fantasia e/ou o sobrenatural.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *