69º Festival de Cannes: duas curtas-metragens portuguesas na Semana da Crítica

As curtas-metragens ‘Ascensão’, de Pedro Peralta, e ‘Campo de Víboras’, de Cristèle Alves Meira foram selecionadas para a 55º Semana da Crítica do Festival de Cannes 2016.

As curtas-metragens portuguesas, estão novamente em grande com Ascensão de Pedro Peralta e Campo de Víboras de Cristèle Alves Meira, a serem selecionadas para a 55ª Semana da Crítica, uma das mais importantes secções paralelas do Festival de Cannes 2016. Até agora são os únicos portugueses numa das competições internacionais do Festival. Sendo que esta competição integra dez curtas-metragens que representam igualmente a diversidade do cinema mundial ao nível das primeiras e segundas obras, como por exemplo, Delírio do brasileiro Felipe Fernandes. As curtas portuguesas estreiam-se em Cannes poucos dias depois de serem apresentadas na competição nacional e internacional do IndieLisboa 2016.

asc

Ascensão de Pedro Peralta é uma ficção de 17’, reduzido a três planos sequência, durante o nascer do sol, quando um grupo de camponeses tenta resgatar o corpo de um jovem de um poço e um grupo de mulheres véu observam em silêncio, numa curta mas angustiante espera, que coincide com a chegada do dia, o renascer da natureza, e uma mãe que dorida que acolhe o filho morto nos braços.

A jovem realizadora francesa, de ascendência portuguesa, Cristèle Alves Meira, estreia-se também nestas andança de grandes festivais apresentando Campo de Víboras, uma produção nacional que cruza realidade e ficção. O filme protagonizado por Ana Padrão, Ana Brito e Cunha e Simão Cayatte foi rodado e inspirado em histórias do concelho de Vimioso, Trás-os-Montes e decorre durante as festas dos tradicionais Caretos. 

A 55ª Semana da Crítica, que decorre este ano de 12 a 20 de maio durante o Festival de Cannes 2016 tem como presidente do júri a atriz e realizadora Valérie Donzelli. Esta secção paralela foi criada em 1962 pelo sindicato de críticos de cinema, para dar a conhecer primeiras e segundas obras de novos talentos e realizadores de todo o mundo. Por aqui passaram Ken Loach, Wong Kar Wai, Jacques Audiard, Jeff Nichols, François Ozon, Gaspar Noé e Alejandro Gonzalez Iñárritu e outros consagrados realizadores.

JVM

José Vieira Mendes

Jornalista, crítico de cinema e programador. Licenciado em Comunicação Social, e pós-graduado em Produção de Televisão, pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. É actualmente Editor da Magazine.HD (www.magazine-hd.com). Foi Director da ‘Premiere’ (1999 a 2010). Colabora no blog ‘Imagens de Fundo’, do Final Cut/Visão JL , no Jornal de Letras e na Visão. Foi apresentador das ‘Noites de Cinema’, na RTP Memória e comentador no Bom Dia Portugal, da RTP1.  Realizou os documentários: ‘Gerações Curtas!?’ (2012);  ‘Ó Pai O Que É a Crise?’ (2012); ‘as memórias não se apagam’, ( 2014). Foi programador do ciclo ‘Pontes para Istambul’,(2010),‘Turkey: The Missing Star Lisbon’, (2012) Mostras de Cinema da América Latina 2010 e 2011, 'Vamos fazer Rir a Europa', 2014 e Mostra de Cinema Dominicano, 2014 e Cine Atlântico, Terceira, Açores. É o Director de Programação do Cine’Eco- Festival de Cinema Ambiental da Serra da Estrela desde 2012. É membro da FIPRESCI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *