© MiniAvailable

Duque Província abrem os Delfins no MEO Arena

Fomos ver os Duque Província, banda que já tínhamos começado a acompanhar, tocar no maior palco de Portugal, o MEO Arena.

Já antes escrevemos sobre eles, e agora vimo-los ao vivo. Os Duque Província, uma banda composta por jovens de Cascais e Lisboa, tocaram no concerto de celebração dos 40 anos de carreira dos Delfins, no dia 6 de abril.

Tendo surgido em novembro de 2018 e focando-se em criar uma sonoridade que engloba indie, rock, e pop, a banda tem vindo a crescer desde o lançamento de 2032Este disco, lançado em 2022, serviu de arranque para todo um novo patamar de profissionalismo a este grupo. No último ano e meio foram tocando em sítios cada vez mais distintos, já tendo passado pelas Festas do Mar e o Festival O Sol da Caparica.

Lê Também:   Festival da Canção 2024 | Segunda Semifinal promete atuações memoráveis e muitas surpresas!

Bom, parece que chegou a vez do palco que mais marcou, até agora, os quatro jovens, que deram um concerto a que fomos assistir.

Sem perder muito tempo, os Duque arrancaram a atuação com a criação de um ambiente misterioso devido à progressão de acordes usada. Ouvíamos, sem o saber, a introdução ao “Cai-me a Ficha”, canção que serviu de arranque à primeira atuação do conjunto no palco da Expo.

Apesar de os lugares do público ainda não estarem todos ocupados , a audiência era bastante considerável. A (boa) ansiedade por tocarem numa sala daquela dimensão era visível nos jovens. Porém, a genuinidade de Henrique Gonçalves, vocalista, ao cumprimentar o público no fim da canção, a par da sensação de liberdade que vem de tocar uma faixa que vai crescendo em intensidade, deu-lhes o “à vontade” que precisavam.




Sem qualquer pausa para deixar os instrumentos respirar, a banda fez uma transição para “Prata da Casa”, o seu mais recente single. Esta faixa, especialmente marcada pela linha de baixo intrusiva das estrofes e pelo acompanhamento das teclas no refrão, destacou os músicos destes instrumentos, Philippe Keil e António Horgan.

Seguiram-se três singles mais antigos, e o terceiro serviu para dar a conhecer o baterista. Francisco Cunha fez um solo pujante no fim de “Pão de Forma”, encerrando com energia uma obra que pede exatamente isso, seja pela sua melodia, progressão de acordes, ou a letra divertida.

Lê Também:   O mais recente filme da Disney já está disponível também na Apple TV+.

Seguiu-se aquela que foi a surpresa da noite. A banda apresentou “Linkedin”, uma faixa que ainda não foi lançada. Com uma letra muito interessante, e que mais interessante fica na voz rouca de Henrique, esta canção aborda um tema que não costumamos ver na arte: a entrada dos jovens no mercado de trabalho. Com uma áurea fatalista e jogos de frases sarcásticos, esta obra de semblante bastante próximo do rock clássico pediu, e teve, muitos aplausos .

A banda encerrou o concerto com “Silhueta”, um dos seus primeiros e maiores sucessos, terminando-a com o típico salto sincronizado de Henrique e Philippe enquanto tocavam o último acorde.

Foi, então, com entusiasmo e honestidade que os Duque Província deram o primeiro concerto num palco que, esperemos, os receberá muitas mais vezes.

PRATA DA CASA | DUQUE PROVÍNCIA

Aconselhamos a que ouçam e descubram a originalidade das canções que esta banda tem feito. Deixamos, para os interessados, o vídeo oficial da canção “Prata da Casa”, que mostra, a par de qualidade musical, a jovialidade e boa disposição destes quatro amigos. 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *