© Konami

Inúmeros erros do eFootball aproximam clubes brasileiros da EA

Conhece os inúmeros erros do eFootball aproximam clubes brasileiros da EA!

Em setembro do ano passado, a Konami lançou o tão aguardado eFootball 2022, sucessor do PES 2021. O título era extremamente esperado, já que seria o primeiro da franquia a ser gratuito, contendo ainda um novo motor gráfico e a promessa de crossplay entre as diversas plataformas – com isso, a companhia japonesa esperava dar a melhor experiência com futebol virtual de todos os tempos à comunidade do Pro Soccer Evolution.

Contudo, o tiro acabou saindo pela culatra, e após inúmeras falhas, o eFootball 2022 se transformou em uma grande piada, podendo até mesmo tirar um dos pontos fortes da franquia japonesa: o licenciamento de clubes e jogadores brasileiros.

Dominante no Brasil

Durante anos, a Konami teve uma força impressionante no mercado de games no Brasil, batendo de frente com a EA Sports. Por conta do seu sucesso em terras tupiniquins, a empresa japonesa conseguiu acordos de exclusividade com times e até mesmo com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), além de patrocínios exclusivos, e acertos individuais com vários futebolistas que teriam suas feições e nomes reais representados no PES.

Na sua edição de 2020. a Konami surpreendeu ao incluir além da Série A do Brasileirão, a segundona, torneio extremamente popular no país. Enquanto isso, na competição, os fãs não podiam jogar com os clubes brasileiros desde o FIFA 16. Isso porque a EA Sports acumulava processos movidos por vários futebolistas por utilizar indevidamente suas imagens, o que fazia com que a empresa desistisse de investir no cenário brasileiro. Contudo, o desastre que foi o lançamento do eFootball na comunidade do PES pode dar uma nova chance a EA Sports de trazer o Campeonato Brasileiro para sua franquia.

Lê Também:
Betclic anuncia primeira equipa de eSports do mundo com emissões zero carbono

Pior de todos

O eFootball 2022 foi considerado o pior jogo da história da Steam, perdendo boa parte da base de fãs, assim como pro players e criadores de conteúdo, sendo até mesmo difícil enumerar a quantidade de erros grotescos presentes no título. E até um dos jogadores mais influentes da história do PES, Guilherme “GuiFera”, afirmou que deixará o game da Konami e migrará para o FIFA 22. A declaração foi dada logo após o pro player vencer pela terceira vez o e-Brasileirão em dezembro.

Boa parte da atratividade do PES se dava pelos gráficos impressionantes e similaridade com o futebol real, e para alguns o título poderia muito bem ser considerado um simulador. Essa essência acabou sendo perdida no eFootball, onde a modelagem e feições dos personagens era bizarra e os diversos bugs impediam uma boa jogabilidade. Felizmente, atualmente os fãs não precisam ficar dependentes de um título para ter sua merecida dose de diversão e competitividade, já que cada vez mais alternativas de entretenimento estão disponíveis na internet. A exemplo das plataformas de cassino online, onde o leovegas é seguro e conta com uma gama enorme de jogos, muitos deles com uma versão demo, que os usuários podem experimentar antes de decidir investir o seu dinheiro. Além disso, a plataforma conta com app excelente, sendo perfeita para os usuários que preferem se divertir no celular, e ainda concorrer a bônus exclusivos e odds aumentadas.

Lê Também:
EA Sports e FIFA vão separar-se após 30 anos de ligação

Com as inúmeras falhas, a descrença dos fãs e saída de nomes influentes, o eFootball tem perdido cada vez mais força no país, e equipes que anteriormente tinham contrato de exclusividade com a Konami, como São Paulo, Flamengo e Corinthians, já têm seus logos representados no FIFA, por conta da parceria da Conmebol com a empresa canadense.

Atualmente, a EA Sports possui mais poder de mercado que a Konami, assim como um maior público e uma grande visibilidade. Dessa forma, a desenvolvedora tem a faca e o queijo na mão para abocanhar a parcela do mercado brasileiro apaixonada por jogos de futebol e acabar de vez com sua rival das últimas décadas. E talvez em breve a companhia passe a negociar os direitos de imagens com os jogadores e clubes – e apesar desse contato direto dar algum trabalho, a oportunidade é boa demais para a desenvolvedora deixar passar.

Qual dos jogos de desporto é o teu favorito?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.