Far Cry 3 (PS3) em análise

 

 boxshot_uk_large
Editora:
Ubisoft 

Produtora: Ubisoft

 

Plataformas: PlayStation 3, Xbox 360, PC

 

Classificação 

[starreviewmulti id=8 tpl=20 style=’oxygen_gif’ average_stars=’oxygen_gif’]

 

 

O primeiro “Far Cry” tornou-se um marco no seu género e o segundo mostrou que “Far Cry” era sinónimo de qualidade. Agora, com o terceiro jogo da série, a Ubisoft escreve o seu nome entre os melhores jogos do ano de 2012 e num dos grandes títulos FPS desta geração.

Enredo: Envolvente, dinâmico e recheado de personagens bem construídas, “Far Cry 3” oferece-nos uma das melhores histórias dos últimos tempos. Jason, personagem principal, está de férias com os seus amigos numa ilha paradisíaca. Mas algo corre mal e agora temos de salvar os nossos amigos das mãos de Vaas. Este início, que parece algo banal, torna-se excelente ao fim de poucas horas de jogo. É verdade que o início deixa um jogo confuso com alguns desenvolvimentos e decisões das personagens, mas no fim terão assistido a uma história forte, sangrenta, consistente e que não nos deixa parar de jogar.

Com algumas personagens de altíssimo nível, destaque para Vaas e Jason, sendo o vilão a grande surpresa do jogo e, certamente, a mais marcante. Jason evolui e a forma como o faz está ligada à nossa própria evolução enquanto jogador. E se no início somos uma máquina de cometer erros, no fim somos uma máquina de matar! Mas o melhor é como esta evolução se nota na sua personalidade!

far_cry 3

Jogabilidade: Liberdade total é o que podemos dizer sobre o que a Ubisoft nos deixa fazer. Numa ilha enorme, preparem-se para conduzir vários veículos, nadar, matar, correr, caçar, apanhar flores, jogar poker… Com um sistema de evolução complexo mas intuitivo, cabe-nos escolher como evoluir a nossa personagem e adaptar a forma de jogar a essa evolução. Matar de longe ou de perto, disparando contra tudo ou avançando furtivamente, “Far Cry 3” dá-nos todas essas hipóteses e ainda nos presenteia consoante a forma como atingimos o nosso objetivo.

Em relação ao controlo da personagem, veículos e armas: tudo perfeito. Até quando temos de escalar torres de comunicação sentimos que temos total controlo sobre Jason.

far cry 3

Gráficos: É o que imediatamente se destaca. A qualidade gráfica é sublime à primeira vista e torna-se memorável durante o jogo. Expressões faciais que tornam cada personagem mais real e efeitos luz/sombra como raramente se vê numa ilha muito grande. Muito grande! Quanto mais jogamos, mais temos noção da grandiosidade da ilha. Água e fogo estão no melhor que esta geração pode oferecer e as cores, normais numa ilha deste género, inundam o nosso ecrã com uma qualidade assinalável.

Som: A banda sonora está boa, com as músicas a ajudarem, e muito, ao ambiente. A forma como se alteram, consoante as nossas ações, dá-nos a sensação que estamos perante um filme onde tudo encaixa. Os efeitos sonoros também estão muito bons, e a variedade da ilha demonstra o enorme trabalho necessário para tornar o mundo real em termos sonoros. Mas é nas vozes que o som tem a sua mais valia. Cada vez mais nesta geração, as vozes das personagens têm um papel importante, e aqui não falham!

far cry

O multiplayer é talvez o ponto mais fraco de “Far Cry 3”. Não que esteja mau, porque na realidade é bom, mas não nos envolve tanto, não sendo tão viciante e tornando-se repetitivo em algumas situações. No entanto devemos destacar o editor de mapa, muito bem conseguido, e o facto de nos apresentar uma história independente, com outras personagens e passada uns meses antes da história principal é uma mais valia. Este pequeno detalhe fará qualquer um querer passar umas horas neste modo.

“Far Cry 3” é um jogo fantástico e que nos dá liberdade total para atuar. A ilha é a imagem deste jogo, onde sentimos vida na Natureza. É preciso caçar, encontrar plantas e retirar a pele a animais para fazermos bolsas onde levamos o nosso armamento. A vida selvagem é uma das melhores criadas nesta geração, onde cada animal se comporta de forma diferente, podendo fugir, atacar ou observar. Atacam-nos tanto a nós como aos inimigos controlados por IA e percebemos que podemos usar toda a flora e fauna na forma como jogamos.

“Far Cry 3” figura no Top 3 dos melhores jogos de 2012 pela MHD e merece-o! Deve ser jogado e jogado novamente. Joguem uma segunda vez, escolham os níveis mais altos de dificuldade e preparem-se para um desafio completamente novo!

Um dos melhores jogos neste género e que nenhum fã deve deixar passar!

Pontos fortes:

  • Ilha: desde os gráficos até à vida animal, todo o cenário parece vivo e merece ser explorado!
  • História envolvente, com personagens memoráveis.
  • Um dos poucos jogos que quase não apresenta falhas na jogabilidade
  • Liberdade total

Pontos fracos:

  • O multiplayer é o mais fraco que este jogo tem… mas não é “fraco”, só não é tão bom!

LP

Lê Também:
Sea of Thieves está a caminho do Steam

Luis Pinto

Software developer - Autor do canal Tek Test - Apaixonado por jogos desde o tempo do Spectrum!

One thought on “Far Cry 3 (PS3) em análise

  • A versao PS3 e mais fraca que PC, mas est ejogo e sem duvida o melhor jogo do ano 2012 e talvez da decada

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *