Filmin Portugal: Cinema Independente Com Dois Cliques!

Foi apresentada ontem a Filmin Portugal, uma plataforma de Video on Demand, dedicada aos filmes independentes, aos festivais, e ao ‘mainstream qualificado’ de cinema, que está disponível a partir de hoje em  www.filmin.pt.

Filmin

Fundado em Espanha em 2008, e presente em vários países ibero-americanos, a Filmin chega agora a Portugal pela mão da equipa que organiza anualmente a 8 1/2 Festa do Cinema Italiano (Stefano Savio, Adriano Smaldone e Anette Dusijin):

‘…a Filmin é um projeto que chega a Portugal numa altura de grandes mudanças em relação à forma como vemos filmes.’

a Filmin é um projeto que chega a Portugal numa altura de grandes mudanças em relação à forma como vemos filmes. Existe uma grande vontade de ver cinema em contraste com um número sempre maior de produções de qualidade que não conseguem alcançar uma mínima visibilidade no mercado, anunciam os seus responsáveis na nota de lançamento. 

Filmin

A Filmin Portugal é uma plataforma VOD que se revê num espírito cinéfilo e criativo, portanto fortemente dedicada aos ‘consumidores’ do chamado cinema de arte & ensaio, cinema independente, cinema de autor e programação dos festivais; mas a plataforma quer igualmente ter no seu catálogo os filmes dos grande cineastas-autores norte-americanos e europeus, pertencentes ao chamado ‘mainstream qualificado’.

‘…ajudar e simplificar o desfrute e o consumo de conteúdos deste tipo através de uma plataforma de fácil utilização e com uma comunicação apelativa…’

O objectivo da Filmin é no fundo ajudar e simplificar o desfrute e o consumo de conteúdos deste tipo através de uma plataforma de fácil utilização e com uma comunicação apelativa e de forte impacto, enunciam os promotores, quanto à facilidade de utilização.

Filmin

Apoiada pelo programa Media da Europa Criativa, a Filmin Portugal está a oferecer inicialmente um catálogo de 500 filmes, disponíveis de imediato para visionamento. E com a facilidade de este poder ser feito à distância de dois cliques: no computador, tablete, smartphone e brevemente nas smartTV, sem subscrição obrigatória, sem necessidade de associação a um operador de TV/telefone.

‘Esta é uma forma importante e privilegiada de levar o cinema de autor a todos os pontos do país (…)

Esta é uma forma importante e privilegiada de levar o cinema de autor a todos os pontos do país, bem como uma possibilidade de podermos promover e darmos visibilidade ao cinema fora dos grandes circuitos, afirmam os promotores.

Filmin

No entanto, o catálogo de filmes — onde cada título é acompanhado por conteúdos editoriais — está em expansão para um maior número de filmes, tendo em conta que todos estarão disponíveis na língua original e legendados em Português e, na maioria, em alta definição. Por esta razão fizemos um grande investimento na linha editorial, com uma programação adaptada ao contexto cultural e social do nosso país, tentando, ao mesmo tempo, abordar os temas que mais possam interessar um público atento e transversal como o nosso, justificando-se assim que a acompanhar os filmes venham sugeridas notas críticas e não apenas as sinopses dos filmes.

‘…uma programação adaptada ao contexto cultural e social do nosso país, tentando, ao mesmo tempo, abordar os temas que mais possam interessar um público atento e transversal…’

O catálogo da Filmin Portugal inclui ainda no seu catálogo as últimas estreias independentes quase em simultâneo que nas salas, conteúdos exclusivos, clássicos, curtas metragens, cinema infantil, concertos e cinema português.

Filmin

O lançamento da Filmin Portugal acontece com a antestreia online, — em parceria com a Bold, uma nova distribuidora nesta área do cinema de arte & ensaio —, no dia 19 de novembro de Eis o Admirável Mundo em Rede (ver Lo and Behold, Reveries of the Connected World | em análise), o documentário de Werner Herzog, recentemente apresentado no DocLisboa 2016.

‘…apostando quer em filmes internacionais, quer em produções nacionais, às quais dedicamos um espaço específico e alargado…’

A partir de hoje mesmo (quarta, 16) estarão já disponíveis a coleção dos primeiros filmes de Luchino Visconti (Obsessão, A Terra Treme, Belíssima, Sentimento e Noites Brancas), um especial dedicado a Jim Jarmusch e uma homenagem a Isabelle Huppert, por ocasião da estreia em sala de Elle, de Paul Verhoeven.

Obsessão

A Filmin Portugal abre também outra novidade que é um permanente diálogo e colaboração entre os operadores cinematográficos portugueses: distribuidores, produtores, críticos, festivais e instituições culturais nacionais e internacionais. Até ao momento, a construção do catálogo Filmin conta já com o contributo e parcerias de: Alambique Filmes, Midas Filmes, Outsider Filmes, Films4You, Legendmain Filmes, Il Sorpasso, Portugal Film, O Som e a Fúria, Ukbar Filmes, Terratreme, Rosa Filmes, Fado Filmes, Filmes do Tejo II, C.R.I.M., Ar de Filmes, Queer Lisboa, Monstra e o 8 1⁄2 Festa do Cinema Italiano, entre os outros confirmados em breve, como é dito mais uma vez na nota de lançamento:

Histórias de Bairro

Estamos também a desenvolver colaborações com varias realidades ligadas à indústria do cinema e da cultura do país, essenciais para o desenvolvimento deste projeto, apostando quer em filmes internacionais, quer em produções nacionais, às quais dedicamos um espaço específico e alargado, refere por último a direção de Filmin Portugal.

Lê Também:
Atlàntida Film Fest 2020 | Descobrir cinema europeu na FILMIN Portugal

José Vieira Mendes

Jornalista, crítico de cinema e programador. Licenciado em Comunicação Social, e pós-graduado em Produção de Televisão, pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. É actualmente Editor da Magazine.HD (www.magazine-hd.com). Foi Director da ‘Premiere’ (1999 a 2010). Colaborou no blog ‘Imagens de Fundo’, do Final Cut/Visão JL , no Jornal de Letras e na Visão. Foi apresentador das ‘Noites de Cinema’, na RTP Memória e comentador no Bom Dia Portugal, da RTP1.  Realizou os documentários: ‘Gerações Curtas!?’ (2012);  ‘Ó Pai O Que É a Crise?’ (2012); ‘as memórias não se apagam’  (2014) e 'Mar Urbano Lisboa (2019). Foi programador do ciclo ‘Pontes para Istambul’ (2010),‘Turkey: The Missing Star Lisbon’ (2012), Mostras de Cinema da América Latina (2010 e 2011), 'Vamos fazer Rir a Europa', (2014), Mostra de Cinema Dominicano, (2014) e Cine Atlântico, Terceira, Açores desde 2016, até actualidade. Foi Director de Programação do Cine’Eco—Festival de Cinema Ambiental da Serra da Estrela de 2012 a 2019. É membro da FIPRESCI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *