Los Angeles California

Iron & Wine no Porto e em Lisboa em novembro no Misty Fest

Sam Beam, o nome por detrás de Iron & Wine, tem estreia marcada em Portugal com dois concertos intimistas numa apresentação única “a solo e acústica”em Lisboa, no Teatro Tivoli BBVA, e no Porto, na Casa da Música.

Pela primeira vez em solo nacional, Iron & Wine apresenta o seu folk de tocar no coração a 1 e 2 de novembro (em Lisboa e Porto, respetivamente) no âmbito do Misty Fest. Os bilhetes para o concerto em Lisboa custam entre 15 e 25 euros, enquanto que os bilhetes para o concerto na Casa da Música variam entre os 22 a 25 euros.

Recorde-se que em julho Iron & Wine irá lançar o álbum de versões “Sing into My Mouth“, gravado com Ben Bridwell, dos Band of Horses. A primeira faixa é “This Must Be The Place (Naive Melody)”, dos Talking Heads, que pode já ouvir abaixo:


 

No Misty Fest estarão também presentes Lenine e The Cinematic Orchestra.

O Misty nasceu em Sintra em 2010 e nas duas primeiras edições estabeleceu a reputação de festival com características marcantemente diferentes, com uma aposta clara nalguns campos menos explorados por outros festivais, como são os casos dos mais notáveis singer-songwriters da atualidade ou de música oriunda do universo da lusofonia.

Na edição de 2012, o Misty cresceu para lá das fronteiras de Sintra, encontrando em Lisboa o seu novo centro, mas estendendo a sua programação até ao Porto. A expansão geográfica não comprometeu, no entanto, a visão artística de um festival que continuou a proclamar a diferença e a conquistar dessa forma os favores e os aplausos do público e da crítica. 2013 manteve essa curva ascendente: o Misty voltou a expandir-se e além de Lisboa e Porto, a sua ambiciosa programação contemplou ainda um novo polo de concertos em Coimbra e extensões a Vila do Conde e Espinho. Em 2014, o Misty foi ainda mais longe com concertos também na Figueira da Foz, Caldas da Rainha e com o regresso a Sintra.

Daniel E.S.Rodrigues

Sonho como se estivesse num filme de Wes Anderson, mas na verdade vivo no universo neurótico de Woody Allen. Sou obcecado pela temporada de prémios, e gostaria de ter seguido a carreira de cartomante para poder acertar em todas as previsões dos Óscares, Globos de Ouro (da SIC), Razzies, Troféus TV7 Dias e Corpo do Ano Men's Health. Mas, nesse universo neurótico e imperfeito em que me insiro, acabei por me tornar engenheiro. Sigam-me no Instagram para mais bitaites sobre Cinema, Música, Fotografia e outras coisas desinteressantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *