© MHD – Catarina Fernandes

Segundo dia do MEO Marés Vivas 2018 em imagens

1 de 6

No segundo dia do MEO Marés Vivas 2018, os The Black Mamba criaram ambiente para as estrelas do dia, Kodaline. David Guetta fechou a noite com muita energia.

A 12ª edição do MEO Marés Vivas ocorreu nos dias 20, 21 e 22 de julho na zona da Antiga Seca do Bacalhau, em Vila Nova de Gaia. E se o primeiro dia foi marcado por boas energias, o segundo, único dia esgotado do festival apesar da meteorologia não estar sorridente, tinha claramente um centro das atenções: Kodaline.

Lê Também:
O terceiro dia do Super Bock Super Rock em imagens

No palco secundário, Tiago Nacarato conquistou os corações às dezenas que se juntaram para ver o ex-concorrente do “The Voice Portugal”. E no principal, foi Carolina Deslandes a abrir as hostilidades, com uma voz doce, muita emoção no olhar e músicas que o público facilmente reconhecia. O serão continuou com sangue português com os The Black Mamba, que com a sua sonoridade envolvente agradaram o público que, apesar dos seus melhores esforços, continuava à espera do que se seguiria. E foi com alegria que o mesmo público recebeu a banda irlandesa, já conhecida dos Portugueses, e que respondeu com os seus melhores êxitos, num alinhamento pouco original, mas muito amor à mistura – os Kodaline podem voltar as vezes que quiserem, que os portugueses agradecem. A fechar a noite com um boost de energia esteve David Guetta, que mostrou que está na mesma boa forma de sempre e que consegue transformar um recinto numa pista de dança, com fumo, luzes e foguetes, durante mais de uma hora, sem que ninguém arredasse pé.

Marés Vivas
© MHD – Catarina Fernandes
1 de 6

Ana Rodrigues

Seriófila, e amante das artes cinematográficas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *