Ocean alive | © Jean-Marc Kuffer

Filme português vence competição anual da ONU

Se já é meritório um projeto português vencer a competição mundial da ONU, melhor ainda é ter sensibilizado centenas de milhares de espectadores. És um deles?

Raquel Gaião Silva é uma das três vencedoras da competição TveBioMovies, patrocinada por diversas organizações, entre elas a Organização das Nações Unidas (ONU). No evento, participaram mais de 400 vídeos de três minutos proveniente de 112 países, obtendo mais de 400 mil visualizações. A seleção inicial constou em 20 selecionados pelo júri em cada uma das três categorias, tendo a Raquel conquistado o pódio na categoria “Cities and local action to combat climate change” (‘Cidades e Ação Local para Combater as Mudanças Climáticas).

Lê Também:
Os 26 melhores filmes de desastres naturais

O vídeo de Raquel ajudou a dar voz à iniciativa “Ocean alive”, praticada por ‘mulheres do mar’ dedicadas em manter o estuário do Sado. Entre os seus objetivos, encontram-se sensibilizar a comunidade para a poluição dos plásticos e a importância de um oceano saudável, reduzir a pesca destrutiva e proteger as pradarias de ervas marinhas. Estas últimas não só são fundamentais para manter a biodiversidade marinha, como são reservatórios naturais de carbono. Como tal, a sua destruição resultaria não só em perda de biodiversidade, como em emissão de gases de efeito estufa (como o dióxido de carbono, CO2). Se ainda não conheces o projeto “Ocean alive”, vê o filme sensibilizante de Raquel, já abaixo.

OCEAN ALIVE | FINALISTA DO PRÉMIO TVEBIOMOVIES

Sendo a saúde do nosso planeta fundamental, o que pensas deste projeto português?

Luis Telles do Amaral

Escritor de O Diário da Pandemia, administrador do blogue Para Lá da Kapa e a licenciar-se em Microbiologia. Considero-me um devorador de livros nato e fã assíduo do grande ecrã.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *