Once Upon a Time | Primeiras Impressões da quinta temporada

 

 

Este não é um regresso em grande. Na verdade, o único aspeto positivo neste começo da quinta temporada de Once Upon a Time é a nova faceta de Emma Swan.

Ao atingirem um certo número de temporadas, por vezes as séries perdem as qualidades que outrora tinham e começam a deteriorar-se lentamente. Once Upon a Time é uma das séries que se encontra atualmente numa corda bamba onde pode aguentar-se mais uns tempos ou eventualmente cair. É preciso compreender a dificuldade que algumas séries têm em manter o enredo interessante e original após tantos episódios e a série de fantasia da ABC tem tentado superar este obstáculo.

Lê mais: Once Upon A Time | O regresso da Capuchinho Vermelho

Depois de duas temporadas focadas nos personagens principais, Once Upon a Time viajou para a Terra do Nunca e em seguida para o mundo Oz durante a terceira temporada, e no capítulo seguinte deu as boas-vindas ao universo de Frozen, assim como às três vilãs mais icónicas das histórias de encantar (Cruella, Maléfica e Úrsula). Curiosamente foi esta mudança a razão principal para um progressivo declínio da série.

 

Once Upon a Time

 

Após o visionamento dos três primeiros episódios da quinta temporada de Once Upon a Time, percebe-se que a série está a tentar redimir-se da sua fraca quarta temporada. A série sempre explorou a temática “bem vs. mal” através dos seus personagens principais e esse trabalho foi, provavelmente, dos pontos mais fortes que a série teve. Agarrando-se a isso, esta nova temporada desenvolve este tema da maneira mais drástica, colocando a protagonista, Emma, conhecida até então como a “salvadora”, no papel de vilã.

Lê Também:
Leighton Meester é a estrela de The Weekend Away para a Netflix

Lê também: Comic-Con 2015 | Dark Swan em ação e Brave na quinta temporada de Once Upon a Time

Jennifer Morrison tem um grande desafio nesta temporada com a sua Dark Swan, e por enquanto ainda não desiludiu, muito pelo contrário. Embora tenha sido dominada pela magia negra e isso tenha afetado claramente a maneira de ser de Emma, tornando-se mais fria e segura, a personagem demonstra que ainda mantém traços da sua personalidade, bem visíveis em momentos como a cena onde a protagonista se tenta aproximar do filho Henry ou quando observa a família a jantar no restaurante de Granny. Este nível de complexidade adicionado à personagem tem sido bem desempenhado por Morrison, apresentando uma performance convincente e credível. Embora ainda seja cedo para fazer grandes afirmações, suspeitamos que Jennifer Morrison conseguirá ter o seu melhor desempenho nesta temporada como Dark One.

 

Once Upon a Time

 

Este não é um regresso em grande. Na verdade, o único aspeto positivo neste começo da quinta temporada de Once Upon a Time é a nova faceta de Emma Swan, pois o resto do enredo não tem grande evolução nem apresenta nada de novo ou surpreendente. A introdução da personagem de Merida não era necessária, mesmo sendo tão fugaz. A evolução de Regina de vilã para possível salvadora é dos poucos aspetos positivos desta temporada, ao contrário do triângulo Regina/Robin/Zelena, que em nada contribui para a história.

Lê Também:
Leighton Meester é a estrela de The Weekend Away para a Netflix

Lê ainda: Once Upon a Time | Camelot já tem Merlin e uma Guinevere portuguesa

A introdução do universo de Camelot é bem-vinda, assim como todos os seus personagens emblemáticos, e terá obviamente a sua importância na série, visto que é nesse mundo que Emma se transforma na Dark One. Por último, é de lamentar que dois dos personagens-chave de Once Upon a Time, Charming e Snow, estejam tão passivos e praticamente irrelevantes na narrativa.

 

Once Upon a Time

 

Sabemos por experiência que este arco da Dark Swan não vai durar mais que uma temporada e estará rodeado de discursos repetidos e cliché da parte dos restantes personagens para tentarem recuperar a verdadeira Emma, no entanto, depois destes primeiros episódios é perceptível o quão positivo vai ser esta mudança, tanto para a revitalização da série como para um interessante desenvolvimento da protagonista.

Será que esta inversão de papéis vai ser suficiente para que Once Upon a Time evite a queda fatal? Só o tempo o dirá. A verdade é esta: a ideia para esta temporada tem tudo para dar certo e tornar a série mais sombria e entusiasmante, mas também pode ser um completo desastre se não for trabalhado corretamente e acabar por repetir algo já feito nas temporadas anteriores.

 

 

Filipa Machado

Uma fã da 7ª Arte, adora ler e passar as suas folgas a fazer maratonas de séries e não pode viver sem um pouco de anime no seu dia a dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *