Óscares 2018

Óscares 2018: As previsões finais dos vencedores da cerimónia de domingo

1 de 2

A cerimónia dos Óscares será transmitida no próximo domingo, e nesta fase, restam muito poucas dúvidas sobre quem serão coroados os grandes vencedores. A Forma da Água, de Guillermo del Toro, parte na frente com 13 nomeações, mas isso nem quer dizer grande coisa. 

2018 foi um ano demasiado atípico quanto ao que a temporada de prémios diz respeito. Se é certo que os Festivais de Toronto e Veneza voltaram a delinear os favoritos (Três Cartazes à Beira da Estrada e A Forma da Água), também é verdade que os múltiplos prémios que se seguiram ajudaram a criar um conjunto de quatro filmes que repartem entre si as probabilidades de vencer o Óscar máximo (Melhor Filme). A saber: Três Cartazes à Beira da Estrada, A Forma da Água, Lady Bird e Foge.

The Shape of Water - Sally Hawkins
The Shape of Water – Sally Hawkins

Os crículos de críticos amaram”Chama-me Pelo Teu Nome”, “The Florida Project”, colocaram Greta Gerwig na rota do Óscar de Melhor Realização por “Lady Bird” e trouxeram “Get Out” para a discussão. Já os Critics Choice Awards, decidiram optar por escolhas mais conservadoras e parece que acertaram na grande maioria dos principais vencedores da cerimónia do próximo domingo. Os Globos de Ouro resolveram trazer alguma confusão para o centro da mesa, ao darem o prémio de Melhor Realização a Guillermo del Toro (A Forma da Água) e o prémio de Melhor Filme a “Três Cartazes à Beira da Estrada”. Os BAFTA seguiram a ideia dos Globo e repetiram esses vencedores. O prémio do sindicato dos realizadores (DGA) acabou por colocar um ponto final na corrida pelo prémio de Melhor Realização: será de del Toro, sem espinhas. Mas o prémio do sindicato dos produtores (PGA), o mais forte indicador para prever o Óscar de Melhor Filme, decidiu-se por “A Forma da Água”. Uma valente confusão que não termina aqui.

Lê Também:
Timothée Chalamet | Perfil de uma estrela em ascensão

Desde que a Academia introduziu em 2009 o sistema de voto preferencial para a categoria de Melhor Filme (onde os votantes têm de ordenar, por preferência, todos os nomeados nessa categoria) que a previsão do vencedor do Óscar de Melhor Filme se tornou mais difícil. Não se trata de tentar adivinhar o nome do filme que reuniu o maior número de números “1” nessa lista ordenada, mas o filme que reuniu maior consenso (mais números “2” e “3”). Foi desta forma que “Moonlight” conseguiu vencer um divisivo “La La Land”, e é assim que “Get Out”, “Lady Bird” e “A Forma da Água” pretendem vencer o divisivo “Três Cartazes à Beira da Estrada”. Está tudo em aberto, mas o mesmo não se pode dizer nas restantes categorias.

filmes mais vistos
Três Cartazes à Beira da Estrada

Já quanto aos prémios de representação, o sindicato dos atores (SAG) confirmaram todos os vecedores dos Globos de Ouro, e mais tarde os BAFTA viriam a fazer o mesmo. Neste momento, todos os principais prémios da temporada coroaram Sam Rockwell, Allison Janney, Gary Oldman e Frances McDormand… não restam grandes dúvidas. No que respeita aos argumentos, sendo “Chama-me Pelo Teu Nome” o único argumento adaptado nomeado também para Melhor Filme, a vitória avizinha-se fácil. Já no caso de Melhor Argumento Original, “Três Cartazes à Beira da Estrada”, “Get Out” e “Lady Bird” disputam esse Óscar a três. Se “Três Cartazes à Beira da Estrada” triunfar, pode dar-se o caso dos outros dois irem para casa sem nenhum Óscar amealhado.

Lê Também:
Timothée Chalamet | Perfil de uma estrela em ascensão

Nas categorias técnicas, deve existir uma dispersão de prémios entre “Dunkirk”, “A Forma da Água” e “Blade Runner 2049”, sendo as categorias mas renhidas as de Melhor Banda Sonora Original, Melhor Canção Original e Melhores Efeitos Visuais.

Seguem-se as nossas previsões (e alternativas) em todas as categorias:

DESIGN DE PRODUÇÃO

  • Aposta: A Forma da Água, Paul Denham Austerberry
  • Alternativa: Blade Runner 2049, Dennis Gassner

FOTOGRAFIA

  • Aposta: Blade Runner 2049, Roger A. Deakins
  • Alternativa: Dunkirk, Hoyte van Hoytema

GUARDA-ROUPA

  • Aposta: A Linha Fantasma, Mark Bridges
  • Alternativa: A Forma da Água, Luis Sequeira

EDIÇÃO DE SOM

  • Aposta: Dunkirk, Richard King e Alex Gibson
  • Alternativa: Baby Driver, Julian Slater

MISTURA DE SOM

  • Aposta: Dunkirk, Mark Weingarten, Gregg Landaker e Gary A. Rizzo
  • Alternativa: Baby Driver, Julian Slater e Tim Cavagin e Mary H.Ellis
dunkirk oscar
Dunkirk

CURTA-METRAGEM DE ANIMAÇÃO

  • Aposta: Revolting Rhymes, Jakob Schuh e Jan Lachauer
  • Alternativa: Dear Basketball, Glen Keane e Kobe Bryant

CURTA-METRAGEM LIVE-ACTION

  • Aposta: DeKalb Elementary, Reed Van Dyk
  • Alternativa: The Silent Child, Chris Overton e Rachel Shenton

CURTA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO

  • Aposta: Heaven is a Traffic Jam on the 405, Frank Stiefel
  • Alternativa: Traffic Stop, Kate Davis e David Heilbroner

EFEITOS VISUAIS

  • Aposta: Planeta dos Macacos: A Guerra (Joe Letteri, Daniel Barrett, Dan Lemmon e Joel Whist)
  • Alternativa: Blade Runner 2049 (John Nelson, Gerd Nefzer, PaulLambert e Richard R. Hoover)

MAQUILHAGEM & CABELOS

  • Aposta: A Hora Mais Negra (Kazuhiro Tsuji, David Malinowski e Lucy Sibbick)
  • Alternativa: Wonder (Arjen Tuiten)

MONTAGEM

  • Aposta: Dunkirk, Lee Smith
  • Alternativa: Baby Driver, Paul Machliss e Jonathan Amos

 

[continua na próxima página]

1 de 2

Daniel E.S.Rodrigues

Sonho como se estivesse num filme de Wes Anderson, mas na verdade vivo no universo neurótico de Woody Allen. Sou obcecado pela temporada de prémios, e gostaria de ter seguido a carreira de cartomante para poder acertar em todas as previsões dos Óscares, Globos de Ouro (da SIC), Razzies, Troféus TV7 Dias e Corpo do Ano Men's Health. Mas, nesse universo neurótico e imperfeito em que me insiro, acabei por me tornar engenheiro. Sigam-me no Instagram para mais bitaites sobre Cinema, Música, Fotografia e outras coisas desinteressantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *