© El Deseo

Para além de Almodóvar: nomes do cinema espanhol que todos os cinéfilos devem conhecer

Alguns dos melhores realizadores de cinema da actualidade são espanhóis, sendo Pedro Almodóvar provavelmente o mais conhecido deles. No entanto, há muitos outros nomes que trabalham na indústria do cinema, mas não têm a mesma fama quando se trata do grande público.

O cinema realizado na Espanha já tem tradição, e alguns prémios importantes relacionados ao sector acontecem por ali, caso dos Prémios Goya e Gaudí. Nos últimos anos, apesar de ter vivenciado uma queda, as bilheterias nacionais ainda lucram muito com os espectadores locais.

Além disso, as produções espanholas ganharam muitos espectadores internacionais nos últimos anos, especialmente diante do sucesso da série “La Casa de Papel”. Por isso, neste artigo mencionaremos alguns nomes de realizadores e realizadoras espanhóis que merecem mais visibilidade por conta do seu grande talento.

María Ripoll

María Ripoll é uma realizadora de Barcelona que tem vindo a ganhar muito destaque tanto no cenário nacional quanto internacional. Um dos seus títulos de maior sucesso é “Agora ou Nunca” (“Ahora o Nunca”), que conta com estrelas como Dani Rovira e María Valverde no elenco. Na história, as personagens principais decidem casar-se na Inglaterra, o mesmo lugar em que se conheceram, o que implica fazer uma longa viagem – desde a Espanha – para eles e para a família. No entanto, muitas confusões acontecem, e o casamento é afectado.

Um dos últimos filmes realizados por María Ripoll é “Vivir Dos Veces”, uma comédia que está disponível na Netflix e que conta a história de Emilio. Diagnosticado com Alzheimer, embarca em uma jornada com a família para reencontrar com um antigo amor.

Isabel Coixet

Isabel Coixet é uma realizadora de cinema nascida em Barcelona. A sua primeira longa-metragem, “Coisas que Nunca te Disse” (“Cosas que Nunca te Dije”), foi filmado nos Estados Unidos e lançado em 1996. No entanto, o reconhecimento veio mais tarde, em 2003, com um trabalho intitulado “A Minha Vida sem Mim” (“Mi Vida sin Mi”), nomeado ao Urso de Ouro no Festival de Berlim.

Um dos últimos filmes de Isabel Coixet é “A Livraria” (“La Librería”), cujo enredo é baseado no livro homónimo de Penélope Fitzgerald e conta a história de uma mulher que decide abrir uma livraria num povoado da Inglaterra, sofrendo preconceito de alguns moradores. A realizadora também lançou recentemente uma série pela HBO, intitulada “Foodie Love” .

Eduard Cortés

Eduard Cortés é um dos mais proeminentes realizadores do cinema espanhol. Ele foi nomeado pela primeira vez aos Prémios Goya em 2002, pelo filme “A vida de ninguém” (“La Vida de Nadie”). Nesta obra, o protagonista tem um bom emprego e uma vida feliz em família, mas uma mentira acaba por mudar o curso da história.

Além disso, este realizador tem alguns outros excelentes filmes no currículo, como é o caso de “Los Pelayos”, um filme de 2012 que é baseado numa história real. A trama trata da vida de uma família que domina os jogos de roleta nos casinos e viaja para lugares como Las Vegas, Paris, Madrid e Amsterdão para jogar, mudando radicalmente as suas vidas.

Neste filme, Cortés procurou cativar os espectadores por meio da fascinação que os jogos de roleta exercem sobre as pessoas, afinal, essa é uma das modalidades mais tradicionais quando se trata de jogos de casino, tendo sido originada na França do século XVII, conforme comenta a plataforma de roleta online Betway Casino, especializada no ramo. Além disso, esse jogo tem diferentes versões, como a Europeia, a Americana e a Francesa, conforme se vê no mencionado site, e cada uma delas proporciona características únicas ao jogo. Conforme podemos ler no portal 50 Anos de Filmes , fazem parte do elenco da longa-metragem nomes como Daniel Bruhl, o ator alemão que estrelou clássicos como “Adeus, Lenine” e “Os Edukadores”. Um ponto que já parece ser o suficiente para cativar cinéfilos de plantão. Um filme com temática semelhante à de “Los Pelayos” é “21”, produção de 2008 com realização de Robert Luketic, como conta o site CineClick. Atores do calibre de Jim Sturgess fazem parte do elenco, e a trama gira em torno de um grupo de estudantes do MIT, o renomado Instituto de Tecnologia de Massachusetts, que se especializam na modalidade blackjack.

Icíar Bollaín

Icíar Bollaín é uma actriz, realizadora e argumentista espanhola que já ganhou um Prémio Goya com o filme “Dou-te os Meus Olhos” (“Te Doy mis Ojos”), de 2004. O drama conta a história de uma mulher vítima de violência doméstica que foge com o filho para o apartamento da irmã. Ela tenta refazer a sua vida, mas fica na dúvida quando o ex-marido quer reatar, alegando que está a fazer tratamento psicológico.

Bollaín também realizou o filme “A Oliveira do Meu Avô” (“El Olivo”), produção que conta a história de uma jovem que viaja para recuperar uma oliveira milenar que pertencia a sua família.

Como é possível perceber, diversos realizadores e realizadoras espanhóis têm se destacado com filmes de qualidade, seja na Espanha ou fora do país. Agora que as plataformas de streaming de filmes são amplamente utilizadas, a tendência é que produções em língua não inglesa fiquem ainda mais conhecidas e que realizadores como os mencionados ganhem cada vez mais espaço no universo do cinema.

Ângela Costa

Mestre em Cinema pela Universidade da Beira-Interior, sou apaixonada pelo cinema japonês e toda a cultura que o envolve. Adoro igualmente fotografia e se tiveres curiosidade passa no meu Instagram ;) Música e videojogos são dois outros grandes interesses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *