© Konami

PES 2020 (PS4) | em análise

PES 2020 chega-nos este ano e tenta dar uma cara completamente nova. O nome mudou, agora mais focado nos eSports, chamando-se eFootball PES 2020.

ANÁLISE | PES 2020

Com este jogo, a Konami ataca o mundo onde FIFA era o rei, que são as licenças desportivas. O destaque vai, por exemplo para a Juventus, agora oficial neste jogo, e que assim se junta a outras equipas para este novo PES 2020.

Contudo, continua a ser no futebol em si, no que acontece dentro do campo, que PES declara a sua excelência. Existem novidades, sendo que a primeira que sentimos é a nova “camera default” chamada estádio.

A seguir nota-se a evolução nas fintas e controlo de bola, muito mais focados em pequenos toques no analógico direito, sendo mais intuitivo e rápido de se usar. Outro aspeto claramente melhor é o jogo físico. Os jogadores usam muito mais o corpo, principalmente os defesas nas dificuldades mais altas. A pressão é enorme e o poder físico de alguns obriga a agilidade do nosso lado. Com isto torna-se mais difícil rematar bem quando estamos pressionados e temos de ter uma abordagem mais estratégica para ganharmos espaços.

Destaque ainda para melhores guarda redes, maior facilidade em conseguirmos marcar uns golos de cabeça e menos bugs na inteligência artificial, mas ainda há espaço para melhorar.

Em termos visuais é um dos melhores jogos de desporto que já vi. Os jogadores são realistas, detalhados, com grande veracidade nos movimentos. As sombras estão melhores, o ambiente nos estádios também, principalmente antes do jogo começar. Na parte sonora, os efeitos estão na mesma, mas não havia muito a melhorar. O problema continuam a ser os comentários que pouco ou nada melhoram e mantém-se repetitivos em vários momentos.

VÊ TAMBÉM – Razer Blackwidow Elite – Em análise

O que se nota também com facilidade é que o jogo está um bocado mais lento, finalmente, o que melhora bastante o realismo apesar de retirar algum espectáculo. No entanto, o PES precisava disto, de ser um bocado mais lento, mais estratégico, mais realista em certos momentos, e com isso melhora bastante. Com isto, também as características dos jogadores saltam mais à vista. Facilmente identificamos alguns dos jogadores mais famosos, as suas características, pontos fortes e fracos. O anterior PES tinha melhorado este aspeto, mas agora está superior.

Por fim, a inteligência artificial que melhorou bastante quando o computado tem a bola, é muito menos repetitivo, muito mais inteligente e capaz de ser diferente. O problema é que sem bola os jogadores ainda não têm o posicionamento que deveriam ter, e respondem por vezes de forma pouco realista, algo a melhorar no futuro.

Fora do campo as grandes diferenças estão na Master League, com muitas cutscenes, perguntas, momentos de decisão e muito mais que ajuda a criar uma história e evolução mais personalizada. Pelo meio preparem-se mais conferencias, muitas entrevistas e conversas com colegas de equipa e treinadores. De notar também que o mercado é mais dinâmico, podendo um jogador mudar de equipa com mais facilidade e realismo. Tudo isto torna o jogo muito mais realista, mas é pena que as nossas decisões não tenham grande impacto dentro de campo. A forma da equipa muda um pouco, mas podia ser muito mais importante, com mais impacto. Onde o jogo ainda falha é no facto de se jogarmos muitas e muitas temporadas, vemos jogadores a retirarem-se e a aparecerem mais novos noutras equipas, algo que deveria ser mudado.

O Became A Legend quase não tem alterações em relação ao ano passado, o que é uma pena. O myClub também não muda assim muito, o que é uma pena, porque é aqui que o PES deveria atacar. A diferença a assinalar é o Matchday, bastante viciante por sinal, e que nos leva para jogos que só aparecem umas horas por dia, temos de escolher um lado, jogar e ganhar pontos para a nossa equipa. É simples e viciante, mas é pena não estar disponível mais do que umas poucas horas por dia, pelo menos para já.

O facto de o Euro 2020 já estar garantido como DLC gratuito é excelente e um grande murro na concorrência, e só fica a sentir-se a falta de equipas femininas, algo que o FIFA já tem há uns anos.

VÊ TAMBÉM – Razer Kraken Tournament Edition – Em análise

Globalmente este é um jogo com dois pesos. Fora de campo continua a ter problemas, com modo de jogo que precisam de evoluir, de ter algo que nos faça ficar a jogar durante os próximos 12 meses. Por outro lado, se os modos de jogo não são o fundamental para vocês e dentro de campo é que interessa, então PES 2020 é, talvez, o melhor jogo de futebol de sempre, dificultando a vida ao futuro FIFA 20. É um jogo que ainda tem defeitos e pontos fracos dentro de campo, mas é o melhor até agora. Se será o rei deste ano, vamos ver, mas está bem encaminhado!

 

Luís Pinto

HARDWARE USADO PELA MHD PARA TESTES DE JOGOS

PS4:

  • PlayStation 4 Pro
  • Razer Raiju Controller
  • Razer Leviathan Sound System

PC:

  • Headphones Razer Kraken TE
  • Keyboard Razer Blackwidow Elite
  • Mouse Razer Naga Epic Chroma
  • Monitor AOC U3277PWQU

Mobile:

  • Huawei P30

PES 2020
efootball pes 2020

Game title: PES 2020

Game description: PES 2020 chega-nos este ano e tenta dar uma cara completamente nova. O nome mudou, agora mais focado nos esports, chamando-se eFootball PES 2020.

  • Jogabilidade - 86
  • Gráficos - 82
  • Som - 75
81

RESUMO

O MELHOR: Dentro de campo é um jogo fantástico

O PIOR: Poucas melhorias nos modos de jogo. Comentários continuam a ser os mesmos.

EDITORA: Konami

PLATAFORMA: PlayStation 4

Sending
User Review
5 (1 vote)
Comments Rating 1 (1 review)

Luis Pinto

Developer de videjogos e inteligência artificial - Autor do canal Luís Pinto - Apaixonado por jogos desde o tempo do Spectrum!

Luis Pinto has 827 posts and counting. See all posts by Luis Pinto

Leave a Reply

Sending