Robert De Niro | © Angela George

Robert De Niro acusado de assédio, em causa estão milhões e a sua reputação

A ex-funcionária de Robert de Niro, Graham Chase Robinson, alega que o ator utilizou linguagem imprópria no local de trabalho, entre outras ofensas.

Robert De Niro acabada de ser abalado por um processo de 11 milhões de euros, acusado de comportamento sexista no local de trabalho (segundo o divulgado pela Variety). O processo foi iniciado por uma das ex-funcionárias do ator, Graham Chase Robinson, que chegou a ser vice-presidente de produção e finanças da Canal Productions, em 2017. De Niro entrou com um processo de 5,5 milhões de euros contra Robinson em agosto, afirmando que esta desviou dinheiro da empresa (para almoços) e que assistia a programas da Netflix enquanto devia estar a trabalhar. Curiosamente, o processo inicial de De Niro conquistou atenção por este ter acusado Robinson de passar quatro dias seguidos a assistir à série “Friends” no trabalho.

Lê Também:
Livros | 10 títulos a ler antes dos Óscares

Agora, o novo processo de 11 milhões de Robinson contra De Niro afirma que o ator é:

Alguém que se apegou a costumes antigos. Ele não aceita a ideia de que os homens devem tratar as mulheres como iguais. Ele não se importa que a discriminação de género no local de trabalho viole a lei. Robinson é vítima dessa atitude.

O processo alega que “sexismo e o estereótipo sexual eram comuns” no escritório de produção de De Niro. O ator supostamente utilizou palavras depreciativas como “cadela” e “c*nt” ao se dirigir a Robinson e desviou o olhar quando Robinson foi espancada por um colega de trabalho. O processo de Robinson também adianta que De Niro pediu que ela “lhe coçasse as costas, abotoasse as camisas, arrumasse os colarinhos, amarrasse as gravatas e o estimulasse a acordar quando estava na cama“.

Entretanto, o advogado de Robert De Niro, Tom Harvey, emitiu a seguinte declaração: “As alegações feitas por Graham Chase Robinson contra Robert De Niro são absurdas“. Este já tinha previamente anunciado que De Niro é vítima de alegações falsas e falsamente patrocinadas pelos media e pelas pesquisas do Google. Os resultados têm sido devastadores, com a sua carreira e reputação colocadas em cheque.

O processo contra De Niro chega ‘oportunamente’ um pouco antes do novo filme do ator, “Joker”. A Warner Bros. está prestes a estrear o filme nos cinemas, já amanhã, dia 4 de outubro.

Luis Telles do Amaral

Escritor de O Diário da Pandemia, administrador do blogue Para Lá da Kapa e a licenciar-se em Microbiologia. Considero-me um devorador de livros nato e fã assíduo do grande ecrã.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *