Star Wars | 03. O biquini de escrava de Leia Organa

 

<<04. Luke Skywalker | 02. O traje da Rainha Amidala no Senado>>

Filme em que apareceu: A Guerra das Estrelas: Episódio VI – O Regresso do Jedi (1983)

Ator que vestiu: Carrie Fisher

Figurinista: Annie Gerard Rodgers e Nilo Rodis-Jamero

 

Star Wars

Ao longo da trilogia original, dois figurinos que Carrie Fisher usou como princesa Leia ganharam um estatuto icónico. O primeiro foi mesmo o seu figurino no primeiro filme da saga Star Wars, um vestido simples branco, pontuado pelo famoso penteado que tem o nome da personagem. O segundo figurino icónico e a escolha desta lista é o fato de escrava que Leia enverga quando é capturada na corte de Jabba, o Hutt. Esta indumentária que tornou Carrie Fischer num sex symbol da ficção-científica consiste num revelador biquíni metálico conjugado com alguns pedaços de tecido que mantêm a modéstia da atriz.

Lê Também:
Disney+ Portugal | Um dezembro de festividades

Vê Também: Revelado o poster oficial de Star Wars: O Despertar da Força

Star Wars

Todos os anos, especialmente aquando das Comic-Cons, a internet é invadida por imagens de mulheres vestidas com as suas versões deste célebre look, e com razão, pois, para além de sensual, este figurino tem o curioso efeito de subverter a sua própria sensualidade. Leia está disfarçada como um objeto sexualizado de um mundo injusto, mas é sob essa imagem que ela se afirma como uma guerreira indispensável à rebelião, assassinando um tirano com as próprias correntes com que ele a subjugava. As intenções de Lucas e os seus figurinistas podem não ter sido as melhores quando tiveram a ideia para este figurino, mas no final, é possível ver, por detrás do erotismo destas roupas, uma heroína que usa a objetificação dos seus opressores como arma para a destruição deles mesmos.

Lê Também:
Star Wars: Ahsoka encontra a sua Sabine Wren

Star Wars

 

<<04. Luke Skywalker | 02. O traje da Rainha Amidala no Senado>>

 

Cláudio Alves

Licenciado em Teatro, ramo Design de Cena, pela Escola Superior de Teatro e Cinema. Ocasional figurinista, apaixonado por escrita e desenho. Um cinéfilo devoto que participou no Young Critics Workshop do Festival de Cinema de Gante em 2016. Já teve textos publicados também no blogue da FILMIN e na publicação belga Photogénie.

Cláudio Alves has 1520 posts and counting. See all posts by Cláudio Alves

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *