The Cure | A viagem ao passado

Os The Cure actuam hoje em Lisboa num concerto que ambiciona ser uma verdadeira viagem pelos melhores momentos de uma invejável carreira. A histórica banda promete transformar o Meo Arena numa verdadeira arena do rock.

Os The Cure dispensam apresentações! Com uma carreira de 40 anos e depois de terem sido cabeça-de-cartaz nos mais importantes festivais de música europeu, a banda regressa hoje a Portugal e na bagagem trazem os êxitos de sempre, temas menos conhecidos e até alguns inéditos.

Portugal não é um destino desconhecido para os The Cure que há 27 anos tocaram pela primeira vez em Lisboa, na altura no estádio José de Alvalade. Durante este tempo a formação da banda alterou-se, tendo-se mantido apenas o vocalista Robert Smith que, desde há alguns anos acompanhado por Simon Gallup (baixo), Jason Cooper (bateria), Roger O’Donnell (teclados) e Reeves Gabrels (guitarra) e os The Cure voltaram a Portugal umas meia dúzia de vezes – a última actuação foi no antigo Optimus Alive, em 2012.

Consulta:  The XX dão a conhecer duas novas canções

Ao longo de uma carreira repleta de êxitos, o entusiasmo do público português foi sempre constante, o que justificou, este ano, a mais uma paragem em  Lisboa, naquela que é uma das maiores digressões europeias da banda. Adivinha-se um concerto longo – os The Cure costumam tocar cerca de três horas, com vários encores pelo meio – onde não faltarão êxitos como Friday, I’m In Love, Boys Don’t Cry e Just Like Heaven. E também temas novos e obscuros, porque a banda caracteriza-se pelo seu gosto por arriscar nos alinhamentos.

Cátia Santos

Observadora, comunicadora, crítica, muito curiosa, apaixonada pela escrita criativa e informativa. Devoradora de livros e de música, com um especial gosto por tecnologia.

Cátia Santos has 1098 posts and counting. See all posts by Cátia Santos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.