Top Filmes Japoneses de Terror | 2. Noroi

Noroi é um documentário que explora os eventos que precedem o misterioso e estranho desaparecimento de Masafumi Kobayashi, o jornalista e especialista no paranormal.


<< JU-ON | RING >>


Desconhecido pela maioria dos fãs de terror, Noroi (2005) segue a investigação de Masafumi Kobayashi, autor de inúmeros livros e documentários sobre a atividade paranormal no Japão. Um dia ele desaparece durante a produção do seu mais recente e arrepiante documentário, “A Maldição”.

A obra, realizada por Koji Shiraishi, é um “falso-documentário” e consiste nas gravações feitas pelo câmara de Kobayashi, seguindo a sua pesquisa e as suas visitas a pessoas de interesse.

noroi

Ainda que falso, Noroi pode ser facilmente encarado como um documentário verdadeiro pelo realismo e seriedade com que foi executado. Os frequentes close-ups, tão típicos do entretenimento sensacionalista, servem para que o espectador possa ver ao pormenor as expressões dos personagens (muitas vezes desconfortáveis pela presença da câmara) mas também para o incapacitar de olhar em volta, alimentando-se do seu medo pelo desconhecido.

Lê Também:
Esquadrão Suicida | Katana e as suas vestes de combate

A espontaneidade sinistra da obra é bastante visível pela veracidade com que as 25 personagens são interpretadas. Um excelente trabalho de atores, pouco conhecidos porém dons de um grande talento, como Jin Muraki, Rio Kanno, Tomono Kuga, Ai Iijima, e Satoru Jitsunashi.

Curiosamente no cast encontram-se Marika Matsumoto e Maria Takagi, duas ídolos relativamente populares na época que acrescentam ainda mais realismo à obra.

Preparado para descobrir a verdade, mesmo que esta seja aterrorizante?


<< JU-ON | RING >>


 

Ângela Costa

Mestre em Cinema pela Universidade da Beira-Interior, sou apaixonada pelo cinema japonês e toda a cultura que o envolve. Adoro igualmente fotografia e se tiveres curiosidade passa no meu Instagram ;) Música e videojogos são dois outros grandes interesses.

Ângela Costa has 2279 posts and counting. See all posts by Ângela Costa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *