Uncharted 4 (PS4) | Análise

Um dos jogos mais esperados dos últimos anos é o grande exclusivo Sony deste ano e promete dar que falar nos próximos tempos. Uncharted 4 é o muito aguardado final das aventuras de Nathan Drake e a Naughty Dog não costuma falhar.


uncharted 4

 

Editora: SCEE

Plataformas:  PS4

[starreviewmulti id=8 tpl=20 style=’oxygen_gif’ average_stars=’oxygen_gif’]

 

 


 

 

 

O que salta a vista ao fim de poucos minutos são os gráficos. Uncharted 4 é um colosso gráfico e provavelmente o melhor jogo em termos visuais que já jogámos. Os personagens estão muito bem criados, com expressões faciais e movimentos de grande nível. A realização é perfeita durante todo o jogo, levando a montagem e os ângulos de camera para uma qualidade que poucos jogos conseguiram atingir. A seguir começamos a perceber como os cenários estão fantásticos. Muito do que está à nossa volta pode ser destruído, oferecendo momentos de verdadeiro espetáculo, e a sensação de escala é impressionante. Céu, mar, terra, construções… tudo apresenta texturas de topo e detalhes a cada instante. Tudo isto, capaz de se enquadrar com a jogabilidade que a saga já nos habituou.

uncharted

No enredo a Naughty Dog deu um passo em frente na saga, aproveitando o que aprendeu com The Last of Us, e explorando as personagens de uma forma que nunca tinha feito, levando a que o jogador se aproxime dos quatro personagens principais. Intenso e emocional, toda a narrativa nos empurra para um final marcante sem pontas soltas. É um final ao nível do que esta saga pedia. Este é o jogo que torna todos os outros jogos melhores, tornando os enredos coerentes e com as personagens as mostrarem os seus objetivos, medos e traumas.

 

Lê Também: Dark Souls III (PS4) | Análise

Outro aspeto fantástico é o facto das falas que os personagens têm, enquanto estamos a jogar, fazerem total sentido com as nossas ações, levando a que algumas frases nos indiquem o caminho ou explorem os sentimentos de um personagem. Com um excelente trabalho sonoro, tanto na banda sonora como nos efeitos, destaque também para o perfeito trabalho de vozes originais e para uma dobragem portuguesa de grande qualidade.

Lê Também:
Tom Holland vai continuar a ser Homem-Aranha por mais algum tempo

Por fim admiramos a jogabilidade que encaixa sem defeitos no enredo. Trata-se de um marco o que Uncharted 4 aqui nos apresenta. Toda a jogabilidade promove a intensidade e ação do jogo, mas também a inteligência. A isso adiciona-se o facto de toda a jogabilidade encaixar no enredo de forma perfeita. Quer seja nos tiroteios, a resolver puzzles, a escalar ou a tentar alguma infiltração, o jogo responde sempre bem, sendo raro o personagem não fazer o que queremos. E é aqui que devemos aproveitar para mencionar que Uncharted 4 nos oferece várias vezes a possibilidade de contornarmos os nossos inimigos sem os matarmos, muito ao estilo stealth de TLoU e que encaixa melhor na personalidade de Drake. Por fim, nota muito positiva para a inteligência artificial dos nossos aliados, que reagem ao que fazemos, ajudando sem qualquer quebra de ritmo. É um claro passo em frente em relação ao que outros jogos já conseguiram.

Fora da campanha principal, que se fará numa média de 16 a 18 horas, entramos no multiplayer e aqui a palavra de ordem é intensidade. U4 ganha um ritmo frenético e tenta separar-se da história principal para conseguir oferecer algo de novo. É divertido e original, novamente com excelente inteligência artificial, mas a obra prima será sempre o modo single player.

Uncharted 4 é uma besta técnica, mas é muito mais do que isso. É um jogo sobre família, sobre o que nos leva a continuar, sobre os sentimentos que temos por alguém, sobre o que poderemos sacrificar e quais os nossos limites físicos e emocionais. Mas também é um jogo que nos questiona enquanto jogadores, levando-nos a uma ligação profunda que não devemos evitar ou esquecer. É, em todos os aspetos, o melhor jogo da saga, e será recordado como um dos melhores jogos desta ainda recente geração de consolas. Como a Naughty Dog consegue puxar a mais pela consola em relação a outras produtoras, não sabemos, mas que voltaram a fazer uma obra de arte, sim… é verdade. Estamos, mais ou menos, a meio do ano, e parece mesmo muito difícil que algum jogo em 2016 seja melhor do que Uncharted 4.

Lê Também:
Tom Holland vai continuar a ser Homem-Aranha por mais algum tempo

Numa nota mais pessoal digo-vos o seguinte: Uncharted 4 pode até nem ser o meu jogo favorito desta geração, mas é claramente o melhor até agora. Em 5 anos a analisar jogos para a MagazineHD e ao fim de centenas de análises, apenas por 4 vezes dei a nota máxima (The Last of us, GTA V, The Witcher III e Metal Gear Solid V), porque a exigência assim o obriga… mas Uncharted 4 merece, claramente, a nota máxima.

 

Pontos fortes:

  • Graficamente o melhor de sempre
  • Jogabilidade quase perfeita
  • Trabalho de vozes de grande nível
  • A história é emocional, coerente e não deixa pontas soltas

Pontos fracos:

  • Os puzzles não estão ao nível dos anteriores

Hardware usado pela MHD para teste de jogos:

PS4:

  • PlayStation 4 Glacier White
  • DualShock 4 White
  • Razer Leviathan Sound System

PC:

  • Headphones Razer Carcharias
  • Keyboard Razer Epic Chroma
  • Mouse Razer Naga Epic Chroma

Luís Pinto


 

 

Luis Pinto

Developer de videjogos e inteligência artificial - Autor do canal Luís Pinto - Apaixonado por jogos desde o tempo do Spectrum!

Luis Pinto has 827 posts and counting. See all posts by Luis Pinto

0 thoughts on “Uncharted 4 (PS4) | Análise

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *