TOP 100 – Os Melhores Jogos de Sempre! Do 10 ao 1…

 

A contagem decrescente chega ao fim! Para nós, estes são os melhores jogos de sempre, aqueles que todos devem jogar e voltar a jogar daqui a muitos anos. Verdadeiras obras primas, essenciais em qualquer estante!

Preparados para o fim?

Então vejam as nossas escolhas e depois digam-nos qual é para vocês o melhor jogo de sempre!

 

10 – Super Mario Galaxy (Wii)

 

Após o fabuloso “Mario 64” o mundo estava de olhos postos neste jogo que viria a tornar-se o primeiro grande colosso da Wii. “Super Mario Galaxy” apresentou um design fantástico, com níveis que ficam na memória de quem os jogou. Com gráficos 3D de luxo, cheios de vida e cor, foi impossível não fazer novamente uma vénia ao canalizador mais famoso do mundo. Em termos sonoros o nível foi altíssimo e a jogabilidade voltou a estar perfeita, e nenhuma outra série conseguiu constantemente manter os padrões tão altos. No global podemos dizer que a história não está ao nível, mas neste género o que é essencial está perfeito neste jogo. Um marco histórico nos videojogos, um jogo que fez as delícias dos fãs mas que também mostrou a novas gerações como um jogo de plataformas pode ser tão bom e viciante. Apesar de não ser em termos técnicos o melhor Super Mario já feito, pois esse título pertence por agora a “SMG2”, esta obra prima para a Wii está nesta posição porque foi um impressionante salto qualitativo e que não tinha concorrente à vista. Tal como qualquer jogo deste nosso top 10, “SMG” é obrigatório!

 

9- World of Warcraft (PC)

 

“World of Warcraft” foi um dos maiores marcos do mundo dos videojogos e é o rei dos MMORPGs. Este jogo online conta já com várias expansões, mas a versão original foi aquela que conquistou a maioria os fãs, que foram atraídos por um mundo fantasia cheio de missões, atividades sociais e itens mágicos. A Blizzard conseguiu oferecer aos jogadores uma experiência de grande qualidade e estes decidiram dedicar grande parte do seu tempo livre a explorar o mundo virtual, criando guildas para enfrentar inimigos e cumprir os desafios mais complicados. Que mais há a dizer sobre “WoW”? Um jogo viciante, divertido e com uma jogabilidade refinada. Só nos resta gritar até arrebentarmos os pulmões: “LEEROOOOOOY JENKINS!!!”

 

8 – Metal Gear Solid (Playstation)

 

E depois deste jogo o mundo dos videojogos nunca mais foi o mesmo. “Metal Gear Solid” foi o jogo que deu o primeiro passo decisivo no atual caminho em que os jogos cada vez mais se aproximam do cinema. Com gráficos de luxo e uma narrativa diferente do tudo o que tínhamos visto até então, “MGS” foi considerado por muitos como o melhor jogo de sempre. A jogabilidade levou-nos por um caminho nunca antes experimentado, com a palavra stealth a fazer-se ouvir pela primeira vez. Era o adeus dos tiros e da jogabilidade “à Rambo”. O jogo leva-nos a pensar e maravilha-nos com momentos de pura genialidade. É impossível esquecer a luta contra Psycho Mantis onde temos de trocar a ligação do nosso comando ou retirar o cartão de memória. Quem não se lembra de ir ver à parte de trás da caixa a frequência de rádio da Meryl? Com uma banda sonora de verdadeiro luxo, de longe uma das melhores de sempre, e uma história perfeita, “MGS” é um dos jogos mais fantásticos de sempre e que reescreveu a forma como os jogos se tentavam ligar com o jogador. Para a História ficam algumas das melhores personagens de sempre, como Snake ou Ocelot. “Snake, what happened? Snake… Snaaaaaake!!!”

 

7 – BioShock (PC, Playstation 3, Xbox 360)

 

Muitos disseram que “BioShock” era demasiado fácil… nós dizemos que “Bioshock” é demasiado bom. Este poderoso e aterrador jogo leva-nos para um mundo sem igual, único, belo, com um ambiente que poucos jogos conseguiram alcançar. O que torna “BioShock” tão bom? Tudo! O design gráfico é sublime, o trabalho de vozes também. As personagens ficam na memória e os efeitos sonoros são tão bons que ainda hoje estão entre o melhor que esta indústria nos ofereceu. Para além disto, claro, as questões morais. “BioShock” leva-nos a decidir e a sentir o que tem de ser feito, obrigando-nos a carregar aos ombros um peso que poucos jogos conseguiram transmitir. Moral e filosófico, percorremos Rapture com Jack e ficamos perante uma das melhores experiências de sempre. E a história? Uma utopia verdadeiramente fantástica, capaz de competir com os grandes clássicos da literatura, misturada com um ambiente aterrorizante. “BioShock” deve ser jogado por qualquer um que tenha coragem para o fazer.

 

6 – Portal (PC)

 

De vez em quando (mesmo que raramente) aparece um jogo que nos oferece algo nunca antes pensado. Uma visão singular que apenas génios conseguem alcançar. São jogos que dão um salto para fora do caminho que os jogos estão a percorrer, e o que vemos é um conceito totalmente novo, e por vezes, genial. “Portal” é o melhor exemplo de um jogo que quebra todas as barreiras do que para nós é um jogo. Com uma física simplesmente avassaladora em todos os aspetos, “Portal” é o jogo que nos obriga a pensar de forma nunca antes feita, e o nosso cérebro demora a perceber todas as potencialidades desta obra prima. E de repente somos atingidos, quando percebemos tudo o que nos é possível graças a estes portais. Com puzzles geniais e toda a liberdade para os resolver, “Portal” oferece uma experiência obrigatória e no fim quase que ficamos com a sensação que também temos de ter alguma genialidade para termos finalizado este fantástico jogo. Preparem-se para enormes desafios, para o sarcasmo que acompanha a nossa personagem e, principalmente, para perceberem que estão perante um jogo que é tão inovador e tão único, que daqui a 50 anos ainda o iremos recordar com saudade.

 

5 – Super Mario Bros (SNES)

 

Vamos ser diretos: se não o jogaram, não são verdadeiros gamers. “Super Mario Bros” fez, praticamente sozinho, um mundo inteiro de crianças pegar num comando e começar a jogar. Muitos, mas mesmo muitos dos que ainda hoje jogam sem parar, começaram aqui. Fechem os olhos, recordem o seu início, e em segundos estarão a ouvir na vossa cabeça a música mais icónica do mundo dos videojogos. Este foi o início da saga de maior sucesso da indústria, mas principalmente, foi o início da própria indústria como a conhecemos: lucrativa, global. Enquanto Mario se tornava na personagem mais famosa dos videojogos, salvando uma princesa que está (até hoje) constantemente em sarilhos, e na companhia do seu irmão que, coitado, ficou muito menos famoso, nós, jogadores, jogámos e repetimos vezes sem conta estes níveis onde corríamos e saltávamos. “SMB” merece este lugar porque deu o salto, levando os jogos das arcadas para as consolas, tornando-os lucrativos e mostrando aos investidores que aqui estava ouro pronto a ser explorado. Se não fosse “SMB”, talvez hoje estivéssemos um pouco atrasados em relação a jogos. Para todos aqueles que neste momento não estejam a ouvir a musica na vossa cabeça, vão jogar!

 

4 – Half-Life 2 (PC)

 

“Half-Life 2” é das grandes obras do mundo dos videojogos. A sequela de “Half-Life” conseguiu surpreender os fãs e críticos graças à qualidade aos seus gráficos, história e motor físico. Gordon Freeman, um dos grandes ícones dos videojogos, regressa nesta aventura fantástica repleta de ação que será certamente recordada durante vários anos. Personagens interessantes, missões variadas, armas únicas (sobretudo a arma gravitacional) e um mundo cheio de vida, que nos desafia a prestar atenção até aos mais pequenos detalhes. Lançamos desde já a questão do momento: para quando o tão esperado “Half-Life 3”?

 

3 – Metal Gear Solid 4: Guns of the Patriots (Playstation 3)

 

Kojima tinha o desafio de criar algo majestoso para o final desta saga… nós temos o desafio de encontrar defeitos em “MGS4”. O terminar da saga de Solid Snake é simplesmente inesquecível, onde todos os parâmetros atingiram a perfeição: gráficos, som, jogabilidade, enredo. Tudo foi perfeito nesta obra prima onde Solid e Liquid se enfrentam pela última vez. As respostas foram dadas, nós ficámos de boca aberta e vimos como tudo encaixou desde o primeiro “Metal Gear Solid”. A mistura entre jogabilidade e história está sublime e a narrativa está cheia de momentos que marcam qualquer jogador, como por exemplo voltar a Shadow Moses, fantástico! Cada segundo deste jogo, sem excepção, é a demonstração do que é levar o detalhe ao máximo, tornando este jogo, provavelmente, na narrativa mais complexa e bem feita da indústria. Quem não se lembra do que sentiu ver as palavras “Big Boss” nos créditos? Com uma saga onde os 4 jogos principais foram sempre elevados a jogos do ano, “MGS4” recebeu as notas máximas da crítica e vergou a concorrência. Um final magistral para Solid Snake. Se ainda não conhecem esta história, então comprem a saga!

 

2 – Final Fantasy VII (Playstation)

 

“Final Fantasy VII” é, provavelmente (impossível de ser comprovado), o jogo mais adorado de sempre. São dezenas as notícias lançadas todos os anos que tentam de alguma forma indiciar que “FFVII” receberá um remake. Os seus criadores ainda não fizeram a vontade aos gamers de todo o mundo, mas estamos à espera. Até lá, ficamos arrepiados sempre que ouvimos aquela melodia no menu inicial. “FFVII” fez duas coisas que o tornam único: em primeiro lugar abriu as portas dos RPGs a todos aqueles que diziam que não gostavam. Se hoje os vários “tipos” de RPGs dominam os videojogos, foi “FFVII” quem mostrou este género ao mundo. E em segundo, e de longe o mais importante, fez com que a Sony ganhasse a corrida contra a Sega. Numa fase em que muitos se dividiam entre Saturn e Playstation, Cloud e companhia apareceram e tornaram a PS a consola rainha. Claro que outros jogos ajudaram, como “GT” ou “Tekken”, mas “FFVII” levou as massas a comprarem uma PS, tornando o reinado da Sony tão evidente que quase podemos afirmar o seguinte: sem “FFVII” a Sony nunca teria apostado tanto nas suas consolas e a indústria não teria evoluído tanto até hoje. “FFVII” foi o catalisador, foi a ponte que juntou jogos asiáticos à Europa e América e é um dos melhores jogos que alguma vez irão jogar. Excelentes personagens, uma banda sonora fantástica (quem não ficava com a pulsação acelerada sempre que começava a ouvir a música do Sephiroth?), uma história única e muito mais! Mudou uma geração e ainda nos faz sonhar. Se fazem parte daqueles que ainda não viram aquele mítico momento entre Sephiroth e Aeris, o que é que ainda estão a fazer a ler este top?

 

1 – The Legend of Zelda: Ocarina of Time (N64)

 

Para nós na MHD, este é o melhor jogo alguma vez feito. Escolher o melhor jogo de sempre nunca será uma tarefa fácil, nunca será unânime, mas muitos são aqueles que olham para esta obra prima como o jogo a abater, o melhor. Um 3D marcante, um mundo vasto, uma banda sonora única, uma câmara que se adaptava ao que fazíamos, uma jogabilidade imaculada… tudo está no top quando se fala de “TLOZ: OFT”. A história é, talvez, o seu ponto mais alto, explorando uma narrativa que consegue ser complexa e simples ao mesmo tempo. Foram muitas as horas que todos nós passámos simplesmente a cavalgar pelos campos, experimentando uma liberdade em 3D como o mundo nunca tinha feito. Pelo meio as músicas que tínhamos de tocar, as galinhas que podíamos apanhar e as batalhas contra os bosses são simplesmente incríveis, onde podemos ver como a câmara e a jogabilidade estão simplesmente perfeitas. Link tem a honra de ser a personagem do melhor jogo de sempre!

 

»» Lista Anterior »»



Sobre Luis Pinto

Software developer - Autor do blog Ler y Criticar - Apaixonado por jogos desde o tempo do Spectrum!