10 concertos a não perder no Super Bock Super Rock 2015

O rock regressa à cidade amanhã e até ao próximo dia 18. O Super Bock Super Rock tem nova casa no Parque das Nações, com vista privilegiada sobre o Tejo. A nossa vista está, para já, no delicioso cartaz.

O que vos apresentamos hoje são dez concertos imperdíveis desta 21ª edição do Super Bock Super Rock. Não que Noel Gallagher’s High Flying Birds, SBTRT, The Drums, Kindness ou Benjamin Clementine não mereçam o nosso olhar… mas só cabiam dez:

Perfume Genius

perfumegenius-640x426

Mike Hadreas prepara a sua primeira apresentação em Portugal depois do lançamento do aclamado “Too Bright”, para muitos um dos melhores trabalhos discográficos de 2014. Se a sonoridade dos Perfume Genius sofreu uma mutação com este novo álbum (a produção exigiu novos instrumentos que o próprio Mike não dominava), também é verdade que a apresentação em palco sofre uma mudança decisiva. São de esperar solos ao piano intercalados com danças alienígenas no Palco EDP. Tem tudo para ser um dos concertos do Festival.

Palco EDP | 16 de julho – 19h45

The Vaccines

the_vaccines01_website_image_andrewwhittongallery_wxga

Depois do surpreendente “What Did You Expect From The Vaccines” e do não tão cativante “Come of Age”, os The Vaccines chegam este ano ao SBSR com um terceiro trabalho de originais: “English Graffiti”. Recheado de temas viciantes como “Handsome”, “Want You So Bad” ou “Dream Lover”, o indie rock com fortes influências pop promete não desiludir.

Palco Super Bock | 16 de julho – 20h25

Little Dragon

little-dragon-by-Marco-Van-Rijt-nabuma-rubberband

Apesar de terem nascido nos anos 90, só em 2007 se estrearam com um LP homónimo. Fazedores de uma sonoridade pop que se alimenta de electrónica, a música dos Little Dragon é cativante e resulta extraordinariamente bem ao vivo. A voz de Nagano é uma das mais valias da banda. O facto é reconhecido pelo público e pelos seus pares, tanto que Damon Albarn convidou o quarteto para colaborar no disco dos Gorillaz, “Plastic Beach”. Entretanto, os Little Dragon editaram mais três álbuns. O último, do ano passado, chama-se “Nabuma Rubberband”.

Palco EDP | 16 de julho – 21h25

Sting

sting_1200x591

Sting dispensa apresentações e é o caso paradigmático da diversidade que se pode encontrar nesta edição do Super Bock Super Rock. Há música para todos os gostos e todas as idades. Mas, aqui que ninguém nos ouve, quem é que se recusa a entoar “Englishman in New York” numa noite de Verão em frente ao Tejo?

Palco Super Bock | 16 de julho – 23h30

Bombay Bicycle Club

bombaybicycleclub_1200x591

Há fenómenos musicais que vivem pouco. O quarteto inglês Bombay Bicycle Club não cabe neste grupo. Depois de se estrearem em 2009 com “I Had the Blues But I Shook Them Loose”, gravaram nos anos seguintes mais dois LPs. Sólidos nas composições, deambulando pela música indie com rock, folk e pop dentro, ao quarto disco, “So Long See You Tomorrow” (2014), provam que vieram para ficar e durar. A edição do ano passado é a mais retumbante da carreira dos BBC, granjeando-lhes uma nomeação para um Mercury Prize, um primeiro lugar no top britânico, levando-os também aos melhores palcos mundiais como Glastonbury, Reading, Fuji Rocks, Lollapalooza, entre outros.

Palco EDP | 17 de julho – 22h45

Blur

Blur_770

“Os Blur são os Blur e poderíamos, se a preguiça imperasse, ficar por aqui com esta apresentação.”, diz a organização do SBSR. Não diríamos melhor. A pop é-lhes corpo e vísceras e dela e com ela criaram clássicos inesquecíveis como Song 2, Coffee And TV, Girls And Boys, The Universal, Parklife, Tender, On Your Own, Country House, To The End, entre muitos outros. Com os discos, 5 deles #1 do top britânico, ganharam uma mão cheia de Brit Awards e foram duas vezes nomeados para o Mercury Music Award.

Palco Super Bock | 17 de julho – 1h00

Crystal Fighters

crystalfighters_1200x591

A música dos Crystal Fighters resulta de uma fusão improvável de géneros mas que, pelo talento e criatividade do quinteto, ganha uma dimensão sonora coerente, peculiar, inventiva e muito cativante. A banda formada em Londres tem dois Lps editados, “Star of Love” (2010) e “Cave Rave” (2013). As canções promovem a dança, e cozinham-se de elementos folk, electro, punk, techno, dubstep e pop. O som dos Crystal Fighters é único e poderoso, ao vivo cresce para uma efervescência contagiante que ninguém vai querer perder.

Palco Super Bock | 18 de julho – 21h50

Franz Ferdinand and Sparks

franzferdinandsparks_1200x591

Os Franz Ferdinand são considerados, quase unanimemente, como uma das melhores bandas indie dos nossos dias. Com quatro discos em carteira, estrearam-se em 2004 com um título homónimo que, até aos nossos dias, vendeu mais de 3,6 milhões de cópias. Premiados com um Mercury Music Prize e dois Brits Awards, daí para cá a carreira dos de Glasgow foi sempre a subir, espalhando magia e energia em palco, disparando o rico repertório constituído por quatro LPs. Os Sparks atravessaram o tempo e distintos géneros com irreverência, criatividade e humor incomparáveis. Os irmãos Ron e Russell Mael mantêm viva a paixão pela música desde os anos sessenta, lançando dezenas de discos que engrandeceram estilos como o psicadelismo, a electrónica experimental, new wave e pop. Juntos, surpreendentemente juntos, tocarão no Super Bock Super Rock.

Palco Super Bock | 18 de julho – 23h20

Unknown Mortal Orchestra

Unknown-Mortal-Orchestra

Depois de marcarem presença na edição de 2014 do NOS Alive, os Unkown Mortal Orchestra regressam a Portugal com mais um álbum na bagagem. Depois de se estrearem em 2011 com um título homónimo e dois anos depois terem oferecido “II”, os Unknown Mortal Orquestra fixaram-se no mercado com uma das mais incríveis novas bandas que, explorando os sons dos anos 60, cruzam com o indie-rock contemporâneo com linhas sonoras que se enlaçam para um psicadelismo irresistível. Se as canções de “II” melodiaram mais lânguidas de ritmo, com o novo Multi-Love, Ruban Nielson (composições, voz e guitarra) recupera velocidade e acrescenta novos elementos sonoros às canções.

Palco EDP | 18 de julho – 21h20

Florence + the Machine

FlorenceMachine_Large_Picture

Talvez seja Florence Welch a grande arrasta multidões deste SBSR. Depois de um concerto cancelado no ainda Optimus Alive, Florence regressa a Lisboa e ao Tejo e com mais um novo álbum, “How Big How Blue How Beautiful”. Imperdível, repetimos.

Palco Super Bock | 18 de julho – 1h00

 

Fonte: superbocksuperrock.pt

 

 

Daniel E.S.Rodrigues

Sonho como se estivesse num filme de Wes Anderson, mas na verdade vivo no universo neurótico de Woody Allen. Sou obcecado pela temporada de prémios, e gostaria de ter seguido a carreira de cartomante para poder acertar em todas as previsões dos Óscares, Globos de Ouro (da SIC), Razzies, Troféus TV7 Dias e Corpo do Ano Men's Health. Mas, nesse universo neurótico e imperfeito em que me insiro, acabei por me tornar engenheiro. Sigam-me no Instagram para mais bitaites sobre Cinema, Música, Fotografia e outras coisas desinteressantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *