15 Filmes mais sobrevalorizados do século XXI | Homem de Ferro (2008)

                   https://www.magazine-hd.com/apps/wp/?p=297186

O MCU é deveras profícuo em filmes sobrevalorizados. Basta fazer uma pesquisa pelos agregadores Rotten Tomatoes e Metacritic para encontrar (já) dezenas de exemplos de filmes da Marvel que têm classificações bem mais elevadas do que mereceriam. “Homem de Ferro”, por ser considerado um dos melhores filmes do MCU, é o nosso caso de estudo.

A fórmula é sempre a mesma: há um herói, um vilão, normalmente há uma donzela metida ao barulho, o vilão está quase (quase) a acabar com o mundo, mas o herói acaba por salvar tudo no último instante. Pelo meio, há piadas. E no caso de Tony Stark, há arrogância também. É esta a fórmula mágica que a Marvel replicou para os filmes seguintes, e o que vemos hoje é um franshise constituído por episódios com carência de originalidade que continuam a ser consumidos pelas massas de forma desmesurada.

Certo: há espaço para todos os géneros de Cinema e há público suficientemente diferenciado para o consumir. No entanto, classificar “Homem de Ferro” (um blockbuster competente, de entretenimento fácil, que se vê e se esquece no dia seguinte) ou qualquer outro filme da Marvel, ao nível dos melhores filmes do ano, é no mínimo uma afronta para os cineastas que realizam, de facto, os melhores filmes do ano.

De recordar que “Homem de Ferro” foi lançado no ano em que estreou – esse sim! – um grande filme de super-heróis: “The Dark Knight”. Tentar elevar o filme da Marvel aos calcanhares do filme de Christopher Nolan é heresia.

                   https://www.magazine-hd.com/apps/wp/?p=297186

Daniel E.S.Rodrigues

Sonho como se estivesse num filme de Wes Anderson, mas na verdade vivo no universo neurótico de Woody Allen. Sou obcecado pela temporada de prémios, e gostaria de ter seguido a carreira de cartomante para poder acertar em todas as previsões dos Óscares, Globos de Ouro (da SIC), Razzies, Troféus TV7 Dias e Corpo do Ano Men's Health. Mas, nesse universo neurótico e imperfeito em que me insiro, acabei por me tornar engenheiro. Sigam-me no Instagram para mais bitaites sobre Cinema, Música, Fotografia e outras coisas desinteressantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *