Ellen Burstyn em “Alice Já Não Mora Aqui"

“American Way of Life” em fevereiro na Cinemateca Portuguesa

Mais do que uma forma de viver, a Cinemateca Portuguesa propõe um conjunto de filmes que refletem igualmente a forma de ver cinema americano. 

O cinema americano, em especial o cinema independente emergente dos anos 60-70, continua a ser capaz de refletir sobre as vidas quotidianas dos nossos dias. As vidas em crise de cidadãos com medos e fragilidades comuns, são o grande foco da Cinemateca Portuguesa-Museu do Cinema em fevereiro.

“American Way of Life: Vidas em Crise”, é o nome do ciclo dado pela Cinemateca Portuguesa que irá dar a conhecer ao espectador a realidade dos EUA. Outros espectadores também já familiarizados com os temas terão oportunidade de rever alguns dos filmes que mais admiram. Segundo o programa da organização,

[…] o cinema norte-americano da década de setenta refletia, no ecrã, todas as ansiedades e inseguranças que viviam na respiração do país e no ambiente de paranoia que contaminava as suas relações sociais e amorosas, uma mistura explosiva que, nas salas de cinema, colocava em causa o lugar dos espectadores dentro de um mundo que era vendido, fora delas, como estável, tolerante e livre.

Vale a pena destacar o primeiro filme, “Iniciação Carnal” (exibido no dia 1 às 21h30). Realizado por Mike Nichols, conta com Jack Nicholson, Art Garfunkel e Ann-Margret (nomeada ao Óscar de Melhor Atriz Secundária pelo desempenho).

“AMERICAN WAY OF LIFE” É UM DOS CICLOS DA CINEMATECA PORTUGUESA EM FEVEREIRO

Cinemateca
“Os Homens do Presidente” (da esquerda para a direita): Dustin Hoffman, Robert Redford, Jason Robards, Jack Warden, Martin Balsam

Seguem-se títulos emblemáticos de nomes de peso de Hollywood como Coppola, Scorsese, Woody Allen, Robert Altman, Alan J. Pakula, entre outros. Destaque para  “Alice Já não Mora Aqui” (1975), “Os Homens do Presidente” (1976) ou “Annie Hall” (1977). No total são 22 filmes, oito deles apresentados pela primeira vez na Cinemateca Portuguesa. São reflexos da vida adulta de uma época que vai além do ecrã, transpondo-se na vida dos americanos.

Os filmes apresentados surgem igualmente na linha entre o clássico e o moderno, num momento de viragem na indústria hollywoodesca. As metamorfoses ocorreram quer a nível temático como artístico, em muito pelo reenquadramento dos géneros.

Com “American Way of Life”, a Cinemateca Portuguesa será facilmente capaz de atrair mais público. Esta é uma oportunidade única de assistir a várias obras conceituadas num ecrã de cinema.

Todas informações sobre o ciclo “American Way of Life: Vidas em Crise” podem ser consultadas aqui. Fica também atento às novidades que teremos em primeira mão sobre os eventos na Cinemateca Portuguesa. 

Virgílio Jesus

Era uma vez em...Portugal um amante de filmes de Hollywood (e sobre Hollywood). Jornalista e editor de conteúdos digitais em diferentes meios nacionais e internacionais, é um dos especialistas na temporada de prémios da MHD, adepto de todas as formas e loucuras fílmicas, e que está sempre pronto para dois (ou muitos mais!) dedos de conversa com várias personalidades do mundo do entretenimento.

Virgílio Jesus has 1375 posts and counting. See all posts by Virgílio Jesus

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.