Angry Birds: Star Wars (PS3) | Análise

 

 angry birds sw  

  • Editora: Activision
  • Produtora: Rovio
  • Plataformas: PlayStation 3, Xbox 360, PC, Wii U, 3DS, PS Vita

Classificação  [starreviewmulti id=8 tpl=20 style=’oxygen_gif’ average_stars=’oxygen_gif’]

 

A febre dos “Angry Birds” invadiu os telemóveis de todo o mundo e não demorou muito a chegar às consolas. Agora a poderosa aliança entre estes pássaros e o universo “Star Wars” salta dos smartphone e chegam às nossas televisões. Mas será possível transformar para um comando um jogo onde estamos habituados a tocar no ecrã?

O primeiro ponto que devemos assinalar é que a Rovio não se limitou a juntar “Angry Birds” e “Star Wars”. Existiu trabalho, cuidado e criatividade, pois estamos perante um trabalho que consegue tirar grande partido destes dois grandes nomes, criando excelentes momentos para os fãs das séries. Existe uma boa exploração das características das personagens que conhecemos, como o nosso pássaro Luke a ter um sabre de luz, Obi-Wan a usar a força contra os objetos ou o Han Solo que consegue disparar. Quem já tenha jogado no seu telemóvel, sabe o que esperar e como tirar partido destes poderes únicos. Quem jogar este jogo pela primeira vez, irá aos poucos perceber tudo o que este jogo nos pode oferecer e como ter o máximo de estrelas possíveis em cada nível. Mas preparem-se, porque algumas serão muito complicadas.

ABSW obi wan

Devemos ainda salientar a diversidade dos níveis e a forma como se encaixam com a história dos primeiros filmes da saga. Começando em Tatooine, passando pelas lutas nos espaço e na Estrela da morte, continuando em Hoth e ainda mais além, os fãs de Star Wars poderão sentir aquela sensação de nostalgia que este jogo tão bem consegue criar. Falando ainda da diversidade, é aqui que está o grande trunfo deste jogo e que nos leva a continuar a jogar: constantes novos desafios, que nos levam a pensar e a usar tudo o que temos ao nosso dispor para alcançar o máximo de estrelas possíveis, misturados em pequenos detalhes que os fãs de “SW” irão gostar. É especialmente interessante usar as armas dos inimigos, que constantemente disparam, para conseguir passar de nível e juntar mais umas estrelas às que já temos. Ainda falando dos níveis, é difícil não mencionar os níveis baseados nos treinos de Luke com Yoda. Muito bom!

absw jedi

Na versão das consolas que agora testamos, existe muito, mas mesmo muito para se colecionar,  vários níveis de bónus e ainda outros níveis exclusivos. No entanto, nota-se que as versões de consolas deveriam ter algo mais que os distinguisse das outras versões, pois o custo aqui é superior. Mas, o que diferencia este jogo das anteriores versões é, obviamente, a jogabilidade. A Rovio tinha o desafio de tornar este jogo jogável com um comando sem sentirmos que estaríamos limitados pelo mesmo. E a Rovio conseguiu. No início sentimos que algo não está bem. Falta a capacidade de imediatamente tocar no ecrã e o nosso pássaro disparar nessa direção, mas, aos poucos, ganhamos o hábito e ao fim de pouco tempo fazemos tudo tão bem como nos nossos smartphones, apenas com a ajuda de um botão e um analógico. Pouco mais é usado neste jogo e tal demonstra como a Rovio tornou tudo simples. Todavia, as opções de jogabilidade falham um pouco no controlo da câmara que tantas vezes é importante para uma melhor compreensão do que devemos/podemos fazer num determinado cenário.

ABSW_Multiplayer_Screen

Em termos sonoros de gráficos não há nada de novo. A transição foi feita para as consolas sem grandes alterações, e por isso temos uma banda sonora baseada no universo que George Lucas criou, bons efeitos sonoros e os gráficos são os mesmos que nas versões anteriores. Num olhar à programação do jogo em si, é impossível não salientar o básico, mas perfeito, sistema físico implementado, onde tudo funciona na perfeição, quer seja nos níveis nos planetas ou no espaço onde a forma como usamos a gravidade fará a diferença. Ainda em termos gráficos, alguns pormenores, como os dois sóis de Tatooine, conseguem criar a atmosfera que este jogo teria de ter.

ABSW

“Angry Birds: Star Wars” para consolas é um jogo que tem o mérito de proporcionar uma jogabilidade muito boa, fazendo esquecer o painel tátil que andávamos a usar até agora. Não traz grandes inovações em termos de gráficos ou efeitos sonoros (em relação às versões já existentes), e devido ao preço do jogo talvez se pedissem mais níveis, no entanto este é um jogo que agradará a todos, mas principalmente àqueles que ainda não conhecem este produto e agora o podem experimentar, e de certeza que terão muitas horas de jogo e troféus fáceis de serem alcançados.

 

O modo multiplayer é interessante e dá alguma longevidade ao jogo, tal como a inclusão da opção de jogarmos com o comando Move. Todavia, no Move a jogabilidade não consegue ser tão intuitiva. Em termos técnicos este jogo não pode, nem quer, competir com outros jogos. Este é um jogo que vale pela experiência única, pela ideia base e pela constante sensação de progressão e desafio. Agora é ver quantas estrelas conseguem!

 

Pontos fortes:

  • Boa jogabilidade
  • Muitos poderes e outras coisas para se colecionar
  • Excelente mistura entre “Angry Birds” e “Star Wars”
  • Multiplayer

Pontos fracos:

  • Pede-se um maior controlo da câmara
  • Se tivesse trazido o conteúdo do jogo seguinte (“Angry Birds: Star Wars 2”), teria sido fantástico

LP

Lê Também:
Leitores MHD | Qual o teu jogo favorito de 2019?

Luis Pinto

Software developer - Autor do canal Tek Test - Apaixonado por jogos desde o tempo do Spectrum!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *