Animes e mangas | O fenómeno japonês em Portugal

 

 

Animes e mangas, o sucesso mundial com origem japonesa que chegou a Portugal há cerca de 45 anos. Atualmente, de que forma este fenómeno está presente no nosso país?

Após uma breve apresentação da maior editora japonesa, está na altura de olharmos para o nosso país e vermos de que maneira está presente este vasto universo de origem japonesa. Como é óbvio, Portugal, tal como vários países do mundo, não ficou de fora desta febre das mangas e dos animes. As primeiras mangas publicadas em Portugal foram Ranma ½ e Spriggan, ambas em 1995. Depois veio a publicação da manga Dragon Ball pela Planeta deAgostini, contando com 42 volumes. As restantes mangas publicadas no nosso país foram feitas através da Bertrand, Devir, Mangaline, ASA Editores, Meribérica/Líber, e Texto Editora. Em Portugal existe ainda uma revista portuguesa inspirada em mangas, a Banzai.

LÊ AINDA: Dragon Ball Super poderá ser transmitido na SIC

Apesar das mangas japonesas terem conseguido estar presentes no nosso país, a verdade é que a publicação de mangas traduzidas em português no nosso país, especialmente de novos lançamentos, tem sido escassa, obrigando os fãs do género a recorrer a versões em inglês. Contudo, durante o ano de 2012, esta tendência começou a ser combatida pela Devir, que passou a publicar mangas da editora japonesa Shueisha como Death Note, Naruto e Blue Exorcist. Este ano a Devir surgiu com uma nova aposta: a tradução da manga All You Need Is Kill, que adapta a light novel do mesmo nome e que serviu de base ao filme No Limite do Amanhã, protagonizado por Tom Cruise e Emily Blunt.

Lê Também:
Netflix avança com um live-action do anime Cowboy Bebop

Animes

LÊ MAIS: Boruto: Naruto the Movie | Divulgado trailer legendado

Recentemente, com o lançamento do segundo volume de All You Need Is Kill, ficámos a saber que a Devir prepara-se para lançar mais uma manga da editora japonesa. Falamos de Assassination Classroom, uma obra de Yusei Matsu, publicada semanalmente na Weekly Shonen Jump desde 2012, que já conta com 14 volumes e que deu origem a uma série anime, cuja segunda temporada estreará em 2016, e ainda um filme live-action que só no fim-de-semana de estreia vendeu 350 mil bilhetes.

Mas não foram apenas as mangas que chegaram até às terras lusitanas. Na verdade, quem chegou primeiro foram as séries anime, sendo a maior parte adaptações para séries televisivas de mangas populares da altura. Portugal começou a transmitir diversas séries anime na década de 70 através da RTP, como Heidi ou Marco e, mais tarde, na década de 90, através da SIC, o grande êxito Dragon Ball, continuando no futuro com as transmissões de As Navegantes da Lua, Samurai X e Digimon na TVI, Pokémon na SIC, Campeões: Oliver e Benji no canal Panda, SIC e RTP2, entre muitas outras séries. Outro canal português que permitiu esta expansão do universo anime foi o canal Animax Portugal, que ficou responsável pela transmissão de séries anime famosas a nível mundial como Ghost in the Shell, NANA, Death Note, Naruto, Naruto Shipppuden, Trigun, Hunter x Hunter, Os Cavaleiros do Zodíaco, Samurai Champloo, entre muitas outras.

Lê Também:
Netflix avança com um live-action do anime Cowboy Bebop

Atualmente é possível assistir a séries anime através da SIC Radical, do Canal Panda e do canal Biggs.

 

Aproveita e lê o nosso artigo sobre a editora Shueisha.

 

 

Filipa Machado

Licenciada em Estudos Artísticos e uma grande apaixonada (e viciada) por Literatura, Televisão, Cinema e, em especial, por Animação Japonesa.

4 thoughts on “Animes e mangas | O fenómeno japonês em Portugal

  • Não esquecer o Locomotion. Esse canal também era um clássico quanto a animes (Silent Mobius, Soul Hunter, Akira, Saber MArionette J, Evangelion, etc…)

  • Bem lembrado Tomás!

  • portugal ainda tem muito para descobrir sobre animes e manga, se formos ver a quantidade de animes e mangas que existem, portugal nao tem quase nada a nao ser os grandes exitos a nivel mundial

  • Tens toda a razão Alex, e concordo inteiramente contigo! Contudo, também gosto de olhar para o lado positivo. Em Portugal a comunidade de fãs de anime e manga cresce diariamente e isso vê-se em eventos como o IberAnime ou a Comic-Con Portugal. Acredito que este crescimento um dia dê frutos, e consigamos ter uma distribuição de animes e mangas mais variada, não se limitando apenas aos grandes nomes da indústria 😀 Por enquanto quem está a dar passos corajosos nesse sentido é a editora Devir, que vai lançar a tradução portuguesa da manga Assassination Classroom, uma obra bastante recente 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *