Arrow | Sugestões de leitura para o hiatus

 

Agora no hiatus da sua terceira temporada, “Arrow” apresentou a um novo público a história de Green Arrow, um dos hérois mais icónicos da DC Comics.

Como o mundo da banda desenhada pode ser confuso e  intimidante, aqui ficam algumas recomendações de leitura para quem quiser saber mais sobre as aventuras de Oliver Queen fora dos ecrãs televisivos.

 LÊ MAIS: Calendário de Séries Mid Season 2015 | Novo ano, novas estreias

 

“Green Arrow: Year One”, de Andy Diggle e Jock

 Um livro tão influente em “Arrow” que um dos autores (o escritor Andy Diggle) teve direito a uma personagem com o seu nome.

Year One” conta a origem de Green Arrow e de como o período na ilha o transformou no famoso arqueiro e protetor de Star City.

Neste livro, Oliver Queen, bilionário arrogante e mimado, vai parar a uma ilha “deserta” após ser traído pelo seu segurança, tendo agora que aprender a sobreviver por sua conta num ambiente perigoso.

Green Arrow Year One Jock

 

“Green Arrow: The Longbow Hunters”, de Mike Grell

Considerado por muitos como a melhor história de Green Arrow. Em “The Longbow Hunters”, o escritor/artista Mike Grell leva Oliver Queen e Dinah Lance (a Black Canary) para Seattle, muda-lhe o fato e vê-se livre das “trick arrows”, optando por uma abordagem mais real e assente na terra.

Nesta mini-série, Green Arrow começa por tentar parar um assassino, vendo-se rapidamente no meio de um esquema de tráfico de droga que vai até ao topo, enfrentando no meio uma arqueira tão boa ou melhor que ele, a misteriosa Shado, que faz aqui a sua primeira aparição.

Green Arrow - The Longbow Hunters #3 - Page 20

Esta obra foi recentemente editada em Portugal pela Levoir, em parceria com o jornal Público, com o nome “Arqueiro Verde: Os Caçadores”.

Lê Também:
Gotham Knights | Já não há versão para a PlayStation 4 e Xbox One

 

“Green Arrow/Green Lantern”, de Denny O’Neil e Neal Adams

Não só uma das obras mais importantes de Green Arrow mas também uma das obras mais importantes da banda desenhada. A dupla O’Neil/Adams, famosa pelo seu trabalho com Batman, leva o Arqueiro e o Lanterna Verde Hal Jordan numa “road trip”, explorando o coração de uma américa pós-Vietname.

Ao longo desta série são explorados temas como o racismo, direito dos trabalhadores e até mesmo a dependência de drogas, assuntos nunca antes tratados pelo mundo da BD, o que encaminhou a indústria para uma abordagem mais madura e adulta.

Green Arrow Green Lantern

O ponto alto de GA/GL é o clássico “Snowbirds Don’t Fly” (Green Lantern/Green Arrow #85 e #86), onde Oliver Queen descobre que o seu companheiro Roy Harper, mais conhecido como Speedy, consome heroína, uma das histórias mais marcantes da 9ª arte.

Em Portugal podemos encontrar uma compilação dos melhores números desta série em “Lanterna Verde/Arqueiro Verde: Inocência Perdida”, também editado pela Levoir e Público.

 

“Green Arrow: Quiver”, de Kevin Smith e Phil Hester

 Oliver Queen morreu nas páginas da BD na década de 90 e em 2001 coube ao cineasta Kevin Smith (“Clerks”, “Dogma”) a tarefa de o ressuscitar.

Com “Quiver” (e “Sounds of Violence”, a sua segunda história), Kevin Smith trouxe Green Arrow de volta à ribalta, tornando-o numa das personagens mais populares da DC Comics, e possivelmente não haveria “Arrow” sem o trabalho deste realizador.

Green Arrow Quiver

Nesta história, Oliver Queen regressa a Star City sem explicação e esquecido de grande parte dos anos que antecederam à sua morte, evento do qual também não se recorda.

Quiver” é uma ‘carta de amor’ de Kevin Smith ao universo DC, e quem não está familiarizado com este mundo pode ter alguma dificuldade neste livro, mas a homenagem feita pelo realizador a toda a história de Green Arrow torna esta obra essencial para qualquer fã.

Lê Também:
Gotham Knights | Já não há versão para a PlayStation 4 e Xbox One

 

“Green Arrow Vol. 4: The Kill Machine”, de Jeff Lemire e Andrea Sorrentino

O período inicial do reboot “New 52” da DC Comics não foi bom para o Arqueiro Verde. Este é agora um herói mais novo, parecido ao da série da TV, e os seus 3 primeiros volumes não conseguiram agradar aos fãs.

A partir do número 17 a equipa criativa de Jeff Lemire e Andrea Sorrentino tomaram as rédeas de “Green Arrow”, conseguindo uma narrativa brilhante com uma arte de tirar a respiração.

Neste “The Kill Machine”, a primeira história elaborada por este duo’, Green Arrow fica frente a frente contra outro arqueiro, Komodo (que apareceu recentemente na série de TV) e entra num caminho que o leva a descobrir mais sobre o seu pai e sobre o seu passado.

Green Arrow Kill Machine

Lemire e Sorrentino incorporaram vários elementos de “Arrow” ao longo da sua passagem pela personagem, tais como John Diggle ou o mistério à volta da ilha onde Oliver fica após o naufrágio, conseguindo aqui uma “porta de entrada” perfeita para os fãs que vêm do Green Arrow televisivo.

0 thoughts on “Arrow | Sugestões de leitura para o hiatus

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.