JJ Abrams

J.J.Abrams abraça a música indie e lança a sua editora discográfica

A Bad Robot, empresa de J.J.Abrams, lançou a Loud Robot, uma editora de música indie, que permitirá também a criação de música original para filmes, TV e jogos.

A Bad Robot, famosa empresa de produção de conteúdos cinematográficos e televisivos, pertencente a J.J. Abrams, irá agora ter a sua própria editora discográfica, Loud Robot.

Em parceria com a Capitol Music Group, que financiará este empreendimento, a Loud Robot irá funcionar como uma marca independente, dando oportunidade à Bad Robot de colocar música original nos seus filmes, programas televisivos e jogos.

Um dos focos da Loud Robot será o de criar colaborações de curto prazo, procurando sempre músicas originais e artistas tanto já conhecidos como emergentes no mundo da música. Esta marca será dirigida pelos co-gerentes McKee Floyd e Nicky Berger, juntamente com Charles Scott, que dirige a atual divisão de música da Bad Robot e que tem sido o principal supervisor de música para os filmes desta empresa.

Lê Também:
Orquestra de Hans Zimmer em Lisboa no próximo ano

Berger fundou a Berger Management aquando dos seus estudos na faculdade, gerenciando a banda de rock alternativo Grouplove. Desde 2016 que a sua empresa se fundiu com outros dois gerentes, dando origem à Fort William Artist Management, que inclui nomes como Fleet Foxes, War on Drugs e Grizzly Bear.

Já McKee vem da Glassnote Entertainment Group, onde foi chefe de marketing e supervisionou várias produções de vídeo, numa lista de artistas que inclui nomes como Mumford & Sons, Phoenix e CHVRCHES. O seu trabalho numa campanha de marketing para o álbum de 2014 de Childish Gambino ganhou um Prémio Clio.

Loud Robot representa a expansão de uma empresa que pretende ir muito além da criação de conteúdo tradicional de Hollywood. Em junho, a Bad Robot anunciou a Bad Robot Games, em parceria com a empresa chinesa Tencent e que conta com a Warner Bros Interactive Entertainment como investidor minoritário.

O que pensas desta expansão? Deixa-nos a tua opinião!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *