"Batman: O Longo Halloween, Parte Um" ©Warner Bros. Animation

Batman: O Longo Halloween, Parte Um e Dois, em análise

Uma das melhores histórias de Batman no papel torna-se também um dos melhores filmes do super-herói. “Batman: O Longo Halloween” é um clássico instantâneo e uma experiência obrigatória para os fãs em geral do Cavaleiro das Trevas, para os seguidores da animação da DC e ainda para quem apreciou a trilogia de Nolan.

A série de filmes animados da DC Universe Animated Original Movies, baseados nas personagens e histórias da DC Comics e produzidos principalmente pela Warner Bros. Animation, correspondem sem dúvida ao topo da qualidade de filmes de animação de super-heróis na atualidade. Com mais de 40 longa-metragens e meia dúzia de curtas lançadas, desde o seu começo em 2007 com “Superman: Doomsday”, que a série tem sido bem recebida sendo elogiada tanto por fãs como críticos. Dos filmes já estreados destacam-se “Batman: Under The Red Hood” (2010), “Batman: The Dark Knight Returns, Part One and Part Two” (2012/2013), “Justice League: The Flashpoint Paradox” (2013) e “Justice League Dark: Apokolips War” (2020).

Os mais recentes filmes, estreados em 2021, são uma adaptação do lendário clássico “Batman: The Long Halloween” dividido em duas partes, lançadas em Junho e Julho deste ano em online streaming, digital download, DVD e Blu-ray. A série de comics foi originalmente publicada em 13 capítulos entre 1996 e 1997 e é considerada não só uma das melhores histórias do Batman até à data, mas também uma das melhores novelas gráficas de sempre já publicadas. Tanto a narrativa de Jeph Loeb como estilo da arte de Tim Sale são altamente aclamados e os responsáveis pelo sucesso da história.

Lê Também:
Batman: Arkham Origins (PS3) | Análise

Quanto a adaptações anteriores para o ecrã, na 4ª temporada da série “Gotham” pudemos acompanhar a adaptação de alguns elementos de “The Long Halloween”. No entanto, o impacto desta história é particularmente relevante na influência que teve na trilogia de Batman de Christopher Nolan. Naquele que é considerado por muitos o melhor filme do Batman já lançado, “The Dark Knight” (2008) é onde conseguimos encontrar mais elementos desta minissérie de banda desenhada.

Nolan mistura elementos de “Batman: Year One” (série de comics também já adaptada em filme animado) com “The Long Halloween”, criando uma continuação que começa em “Batman Begins”, prossegue em “The Dark Knight” e que resulta no hiper-realismo encontrado na trilogia e que fornece uma excelente contextualização de Batman no mundo real.

As adaptações de clássicos anteriores como “Batman: Year One”, “Batman: The Killing Joke” e “Batman: Hush” receberam críticas mistas, com a adaptação demasiado livre e a introdução de elementos estranhos à narrativa apontados como os principais aspetos negativos. Neste caso “O Longo Halloween” adapta fielmente o material de origem, conseguindo ainda assim ter um pouco da sua própria identidade através de complementos em vez de grandes alterações na história.

Batman
“Batman: O Longo Halloween, Parte Um” ©Warner Bros. Animation

A nova animação é realizada por Chris Palmer (“Superman: Man of Tomorrow”, “Voltron: Legendary Defender”) e é estrelada pelos talentos vocais de Jensen Ackles como Batman/Bruce Wayne, Josh Duhamel como Harvey Dent, Billy Burke como James Gordon, Titus Welliver como Carmine Falcone, David Dastmalchian como Calendar Man, Troy Baker como Joker, Amy Landecker como Barbara Gordon, Julie Nathanson como Gilda Dent, Jack Quaid como Alberto, Fred Tatasciore como Solomon Grundy, Jim Pirri como Sal Maroni, Alastair Duncan como Alfred e Naya Rivera em seu papel final no cinema como Catwoman.

Jensen Ackles é mais conhecido pelo seu papel como Dean na série “Supernatural”, mas o seu nome também já estava gravado no universo animado da DC Comics. Há mais de uma década que Ackles foi elogiado pela sua interpretação de Red Hood/Jason Todd no filme “Under the Red Hood”. A sua prestação ajudou a tornar dessa animação uma das mais prestigiadas da série e permitiu-lhe a graduação de Robin para Batman neste novo filme, sendo que mais uma vez volta a provar estar à altura do desafio. O valor do elenco desta produção de Palmer vai no entanto mais além do protagonismo de Batman, pois também são de realçar os talentos de Josh Duhamel, Troy Baker e Naya Rivera. O Joker de Braker regressa desde a sua presença no videojogo “Arkham Origins” e confirma-se que o ator mantém a qualidade e credibilidade como o Clown Prince of Crime.

O Longo Halloween
“Batman: O Longo Halloween, Parte Um” ©Warner Bros. Animation

Embora muitos fãs estivessem à espera que a arte para este filme fosse adaptada ao icónico estilo de Tim Sale, o departamento artístico decidiu ir por outra direção e optou pelo estilo usado nos filmes anteriores mais recentes de “Superman: Man of Tomorrow” e em “Justice Society: World War II”. A arte sombria e temperamental de Sale seria a ideal, e iria de encontro ao já realizado no caso de “The Dark Knight Returns” onde se recriou o estilo de Miller, porém não se pode dizer que a arte escolhida também não encaixe bem nesta adaptação. A inspiração no estilo da série dos anos 90 “Batman: The Animated Series” e a glorificação de cenários noir clássicos recriam um ambiente na cidade de Gotham e dão uma personalidade às personagens que vão de acordo com os elementos de Sale nos comics.

O melhoramento da animação é uma constante preocupação nesta série de filmes e os estúdios jogam com diferentes estilos de arte e animações assim como com a sua mistura. Neste novo filme do Batman a animação complementa de forma quase natural o estilo da arte e apresenta movimentos elegantes assim como cenas de ação vibrantes.

Long Halloween
“Batman: O Longo Halloween, Parte Dois” ©Warner Bros. Animation

De forma semelhante ao feito com “Batman: The Dark Knight Returns” e com “The Death of Superman/Reign of the Supermen” o material de origem foi dividido em duas partes para a adaptação cinematográfica. É certo que a duração normal de apenas um filme não seria o suficiente para “O Longo Halloween” e isso resultaria numa versão resumida e apressada sem a substância que fez sobressair a novela gráfica. Apesar disso, a divisão em duas partes corta o momentum da história, e este filme é melhor apreciado se visto no seu conjunto. Dessa forma, a versão combinada do filme que o estúdio tem planeado lançar em 2022 será sem dúvida uma mais-valia e uma melhor opção para experienciar esta produção.

Batman
“Batman: O Longo Halloween, Parte Um” ©Warner Bros. Animation

“Batman: O Longo Halloween” era um clássico merecedor de adaptação cinematográfica. A expectativa era elevada, mas Chris Palmer conseguiu produzir uma obra que ficará no registo como uma das grandes vitórias da DC Universe Animated Original Movies.

Batman: O Longo Halloween, Parte Um e Dois, em análise
Batman

Movie title: Batman: O Longo Halloween

Movie description: A cada feriado um assassinato ocorre em Gotham. Batman irá investigar estes crimes, mas desta vez para acabar com a onda de mortes precisará de ajuda e de companheiros.

Date published: 27 de July de 2021

Country: EUA

Duration: 172 minutos

Director(s): Chris Palmer

Actor(s): Jensen Ackles, Josh Duhamel , Billy Burke, Titus Welliver , David Dastmalchian , Troy Baker , Amy Landecker , Julie Nathanson , Jack Quaid , Fred Tatasciore , Jim Pirri , Alastair Duncan, Naya Rivera

Genre: Animação, Ação, Crime

  • Emanuel Candeias - 85
85

CONCLUSÃO

“Batman: O Longo Halloween” era um clássico merecedor de adaptação cinematográfica. A expectativa era elevada, mas Chris Palmer conseguiu produzir uma obra que ficará no registo como uma das grandes vitórias da DC Universe Animated Original Movies.

Pros

  • Fiel adaptação da série de comics com complementações originais.
  • Estilo de arte e animação.
  • Jensen Ackles como Batman e o suporte de estrelas como Josh Duhamel, Troy Baker e Naya Rivera.

Cons

  • Divisão em duas partes
  • Escolha do estilo da arte poderá ser uma desilusão para os fãs de Tim Sale
Sending
User Review
0 (0 votes)
Comments Rating 0 (0 reviews)

Leave a Reply

Sending