Batman: The Telltale Series – Episódio 5 Final (PS4) | Análise

City of Light marca o final de Batman: The Telltale Series, uma série que contará certamente com uma sequela. É tempo de olhar para o jogo no seu todo e perceber o que trouxe para o mundo Telltale.

batman telltale series  

  • Editora: Telltale Games
  • Produtora: Telltale Games
  • Plataformas: PS3, PS4, Xbox 360, Xbox One, PC

Classificação  [starreviewmulti id=8 tpl=20 style=’oxygen_gif’ average_stars=’oxygen_gif’]

 

City of Light (Cidade de Luz) inicia-se imediatamente a seguir aos eventos de Guardian of Gotham e obriga Batman a mostrar do que realmente é capaz. Muito está em jogo e várias personagens estarão em perigo agora que Lady Arkham está prestes a conseguir o que sempre sonhou.

O episódio consegue fechar a narrativa de forma positiva e satisfatória, dando às personagens oportunidade de crescer e evoluir. Bruce Wayne, Harvey Dent, Oswald Cobblepot, Vicki Vale, e Alfred Pennyworth são algumas das personagens que enfrentam finalmente os seus passados e os seus demónios internos, permitindo-lhes seguir em frente sem nunca regressar ao que eram no início de Batman: The Telltale Series.

Lê também: Final Fantasy XV (PS4) | Análise

No final, claro, Gotham é salva e apesar das enormes perdas, Batman estará lá sempre para proteger a sua cidade de futuras ameaças, introduzidas pelas últimas cenas de City of Light. Confirmando a suspeita de muitos jogadores, um dos mais amados vilões do universo de Batman está finalmente em liberdade, indicando um possível vilão para uma segunda temporada.

Em termos de espaços este é o episódio onde existe maior variação de designs, sendo o mais interessante o lugar onde Lady Arkham enfrenta Batman pela últimas vez, um espaço escondido no coração da cidade, perfeita metáfora a Vicki Vale.

O combate é intenso e abrange grande parte deste último episódio, não fosse Batman ter de saltar de fogo em fogo para conseguir parar Lady Arkham antes que seja tarde demais.

Lê ainda: Pokémon Sun & Moon (Nintendo 3DS) | Análise

A banda sonora é envolvente e vai se enquadrando nos ambientes, lembrando em muito a música de The Wolf Among Us, um jogo da Telltale que revolve igualmente à volta do trabalho de detective.

telltale batman city of light catwoman selina

Porém, infelizmente este é o episódio onde se notam mais problemas. O primeiro deles a constante queda no framerate e os bugs que incluem personagens mal renderizadas onde só os olhos aparecem.

O segundo, duas investigações que deixam muito a desejar e que transmitem a ideia de terem sido criadas à pressa, nas quais apesar da resolução ser óbvia e simples, Batman demora vários minutos para conseguir juntar as provas e chegar a uma conclusão, algo pouco normal para um personagem perspicaz e conhecido pela sua rápida dedução.

telltale batman city of light

Em suma, enquanto point-and-click de acção, centrado na parte narrativa, Batman: The Telltale Series conseguiu, de forma geral, ultrapassar os trabalhos anteriores da Telltale, mostrando como a empresa tem vindo a aprender com as suas experiências passadas (encontrando-se o sistema de combate a precisar de melhorias rápidas). É um jogo perfeito para quem deseja um gameplay diferente do dos títulos mais comerciais mas igualmente cativante.

Lê também: Dishonored 2 (PS4) | Análise

Os fãs de Batman irão certamente apreciar a adaptação feita à maioria das personagens. Ainda que as suas essências estejam presentes, a Telltale concedeu-lhes nova vida e nova interpretação, deixando no ar alguma curiosidade para saber quais serão as próximas personagens a entrarem para o mundo Telltale e de que forma serão elas reinventadas.

De salvar está também a chance de jogar com Bruce Wayne e mergulhar no papel do galã milionário, a máscara por detrás de Batman como Alfred menciona em City of Light. Esta é uma novidade interessante e que infelizmente não foi englobada na trilogia Arkham ou em Arkham Knight. É bom poder finalmente explorar o outro lado do vigilante.

joker telltale batman city of light

Pontos Fortes:

  • Excelente adaptação das personagens do universo Batman
  • História cativante e evolução das personagens
  • Junção de cenas de acção com cenas onde a narrativa possui um papel importante
  • Gameplay alternado entre Batman e Bruce Wayne

Pontos Fracos:

  • Queda excessiva de framerate em City of Light
  • Missões de investigação pouco desenvolvidas em City of Light
  • Sistema de combate por vezes inútil e que em nada muda as cenas de combate

HARDWARE USADO PELA MHD PARA TESTES DE JOGOS

PS4:

  • PlayStation 4 Glacier White
  • DualShock 4 White
  • Razer Leviathan Sound System

PC:

  • Headphones Razer Carcharias
  • Keyboard Razer Epic Chroma
  • Mouse Razer Naga Epic Chroma

Esta “primeira temporada” conseguiu cativar e interessar ao mesmo tempo que abriu as portas para futuras histórias agora que as personagens estão apresentadas e as suas motivações definidas.

Ângela Costa



Também do teu Interesse:


About The Author


Lê Também:   Treinador de Margot Robbie revela como é trabalhar com celebridades

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *