Cannes 2017: júri completo e mais filmes incluindo um português

Vão se acertando pouco a pouca as coisas, para 70º Festival de Cannes. Depois da composição completa dos jurados das competições, mais filmes entraram na selecção oficial: o novo de Polanski e do sueco Ruben Ostlund, entre outros. O cineasta português Pedro Pinho, vai estar na Quinzena dos Realizadores com ‘A Fábrica do Nada’.

70º Festival de Cannes

Depois da presidência atribuída ao realizador espanhol Pedro Almodóvar, o júri do 70º Festival de Cannes está completo com outras grande figuras do cinema, vindas de várias partes do mundo, e numa escolha bastante diversificada. São quatro mulheres e quatro homens que vão ajudar Almodóvar a escolher os melhores filmes da Competição 70 da Croisette e a Palma de Ouro 2017, que será entregue por um notável elenco de jurados composto por: Pedro Almodóvar – Presidente (Realizador, Argumentista, Produtor – Espanha), Maren Ade (Realizadora, Argumentista, Produtora – Alemanha), Jessica Chastain (Actriz, Produtora – EUA), Fan Bingbing (Actriz, Produtora – China), Agnès Jaoui (Actriz, Argumentista, Realizadora, Cantora – França), Park Chan-wook, (Realizador, Argumentista, Produtor – Coreia do Sul), Will Smith (Actor, Produtor, Musico – EUA), Paolo Sorrentino (Realizador, Argumentista – Itália), Gabriel Yared (Compositor – França). Os vencedores vão ser anunciados na cerimónia de encerramento que terá lugar no domingo, 28 de Maio ao final da tarde. Por seu lado, a actriz norte-americana Uma Thurman, vai presidir ao júri  da Un Certain Regard, um secção oficial competitiva do Festival de Cannes, muito aberta aos novos talentos e novas experiências cinematográficas.

70º Festival de Cannes

MAIS FILMES NA SELECÇAO OFICIAL

Foi anunciado igualmente alguns interessantes, mas mais ou menos previsíveis acrescentos à Selecção Oficial com: The Square, de Ruben Ostlund (Competição), D’après une histoire vraie, de Roman Polanski (Fora da Competição), La Cordillera, de Santiago Mitre e Walking past the Future, de Li Ruijun (Un Certain Regard), Le Vénérable W., de Barbet Schroeder e Carré 35, de Eric Caravaca (Sessões Especiais), Zombillénium, de Arthur de Pins e Alexis Ducord (Sessões para Crianças), e ainda um Tributo a André Téchiné, com a apresentação do seu novo filme Nos années folles, bem como um evento que junta concerto e o filme Djam, de Tony Gatlif, que vai ser projectado ao ar livre, no grande ecrã do Cinéma de la Plage.

70º Festival de Cannes
‘A Fábrica de Nada’, de Pedro Pinto.

OS PORTUGUESES NAS SECÇÕES PARALELAS

Parece também que com jeitinho vamos alargando a representação portuguesa desta feita com uma longa metragem na Quinzena dos Realizadores de Cannes: A Fábrica de Nada, de Pedro Pinho, junta-se às três curtas metragens que estão nas secções paralelas à Selecção Oficial. A Fábrica de Nada, de Pedro Pinho, conta a história de um grupo de operários que percebe que a administração que num critério de deslocalização, está a roubar as máquinas e as matérias-primas para continuarem a laborar. Ao decidirem organizar-se são forçados a permanecer nos seus postos sem trabalhar, enquanto prosseguem as negociações para  o despedimento colectivo. O filme de Pedro Pinto estará na Quinzena dos Realizadores ao lado de Alive in France, de Abel Ferrara — um auto-retrato documental do próprio Ferrara, através da música dos seus filmes —, L’Amant d’un Jour, de Philippe Garrel, Frost, de Sharunas Bartas, com Vanessa Paradis, Jeannette, L’Enfance de Jeanne D’Arc, de Bruno Dumont (Ma Loute) uma comédia musical electro pop, com coreografias de Philippe Découflé —, Un Beau Soleil, de Claire Denis, com Julienne Binoche, Gérard Depardieu e Josiane Balasko, (filme de abertura da Quinzena), West of the Jordan River (Field Diary Revisited), um documentário do israelita Amos Gitai, sobre os 70 anos de conflitos israelo-palestinianas, ou L’intrusa, de Constazo Di Costanzo, um filme sobre uma mullher-terrorista. 

70º Festival de Cannes
‘Água Mole’, a animação portuguesa

Depois de ter sido anunciado uma Selecção Oficial, em que não há nenhum filme português, são as secções paralelas como a Quinzena dos Realizadores e a Semana da Crítica, a anunciaram, respectivamente, as curtas metragens Farpões, baldios, de Marta Mateus, e a animação Água Mole, de Laura Gonçalves e   e Coelho Mau, de Carlos Conceição.

JVM



Também do teu Interesse:


About The Author


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *