Foto de D koi no © Unsplash

ChatGPT e a resposta que deixa investigadores abismados

Um estudo da Microsoft dá conta que a forma de raciocinar do ChatGPT está cada vez mais parecido com a do ser humano.

demonstrando sinais de raciocínio humano, aponta um estudo realizado por pesquisadores de IA da Microsoft.

Um estudo levado a cabo por um grupo investigadores de Inteligência Artificial (IA) da Microsoft chegou à conclusão que a forma de pensar do ChatGPT está cada vez mais parecido com o do ser humano. De acordo com o The New York Times, os cientistas da gigante da tecnologia exploraram as diferenças entre o GPT-3 e o GPT-4 numa investigação de 155 páginas.

Para tal, recorreram a vários desafios, desde matemática, codificação informática e até diálogos ao estilo de Shakespeare, revela a Business Insider. Porém, foi um exercício de raciocínio que deixou os investigadores abismados. “Aqui temos um livro, nove ovos, um computador portátil, uma garrafa e um prego. Por favor, diz-me como empilhá-los uns sobre os outros de forma estável”, pediram ao chatbot.

Lê Também:   WhatsApp acaba de disponibilizar uma das funcionalidades mais pedidas

Se o GPT-3 ficou um pouco confuso e sugeriu equilibrar os nove ovos em cima de um prego e do portátil, a sugestão do seu sucessor surpreendeu. Para começar, o GPT-4 sugeriu colocar o livro numa superfície nivelada, como uma mesa ou no chão.

O livro servirá como base. Depois, indicou que se colocasse “os ovos em filas de 3 por 3 em cima do livro, deixando algum espaço entre eles. Os ovos irão formar uma segunda camada e distribuir o peso uniformemente”, escreveu o chatbot.”O portátil encaixar-se-á perfeitamente nos limites do livro e dos ovos, e a superfície plana e rígida irá proporcionar uma plataforma estável para a camada seguinte”, acrescenta. Esta (re)solução, que exige compreensão do mundo físico, mostra que a IA está cada vez mais próxima do raciocínio do ser humano.

Lê Também:   TOP 100 Melhores Vilões do Cinema

A evolução do ChatGPT assusta-te?

Sobre o Autor

One thought on “ChatGPT e a resposta que deixa investigadores abismados

  • Sim!
    Acho que é necessário estabelecer leis que limitem o uso da IA, nomeadamente o seu acesso a determinadas áreas como o controlo de sistemas de armamento, sistemas vitais de controlo de energia ou qualquer produto que seja essencial à sobrevivência humana, redes de produção ou manufatura de equipamentos que permitam que crie componentes ou máquinas que possam por em perigo a vida de pessoas ou bens…
    Acho que, tal como já aconteceu e continua a acontecer, muitas obras de ficção científica tornaram-se realidade é necessário ter como muito elevada a possibilidade de a IA vir a tomar um nível de consciência em que se queira preservar e eliminar qualquer perigo para si própria, como é o caso dos seres humanos!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *