EA Sports UFC (PS4) | Análise

 

 boxshot_uk_large  

  • Editora: Electronic Arts
  • Produtora: EA Sports
  • Plataformas:  PS4, Xbox One,

Classificação  [starreviewmulti id=8 tpl=20 style=’oxygen_gif’ average_stars=’oxygen_gif’]

 

 

UFC é o grande nome de uma das modalidades mais intensas do momento. E será sempre um desafio enorme conseguir recriar tal intensidade no vídeo jogo. Será que EA Sports UFC consegue tal feito?

 

Começando pela parte gráfica, devemos dizer que estamos, provavelmente, perante a melhor caracterização de personagens alguma vez feita num jogo. O facto de termos um leque de personagens muito mais pequeno do que vemos noutros jogos de desporto, como futebol, oferece a possibilidade de existir um trabalho mais realista e dedicado a cada lutador, originando detalhes muito interessantes, não só no trabalho da caracterização do corpo e face, mas também dos próprios movimentos que cada lutador costuma ter em certos momentos, como alguns rituais antes do início de cada combate.

 

 

Ainda na parte gráfica temos de salientar os movimentos durante os combate. São fluidos, sem quebras, sem cortes e sem aquela sensação que após dar um murro, o posicionamento do nosso lutador muda automaticamente para afetuar um pontapé. Aqui existe uma continuidade que deve ser admirada. Os golpes são realistas e agradou-nos bastante vermos que os lutadores mudam as suas expressões faciais de forma muito convincente, quer seja quando atacam em força ou sofrem um poderoso golpe. É interessante tentar ler o nosso adversário pelas suas expressões, e quando o vemos em dor, sentimos a motivação de que a vitória está mais perto.

 

ufc1

 

Por fim, devemos salientar que foi feito um bom esforço em tornar todo o jogo numa experiência que se assemelha a uma transmissão televisiva e a esse campo junta-se o trabalho sonoro com os comentários durante os combates. Apesar de em alguns momentos serem repetitivos, a verdade é que o trabalho está muito bem conseguido, pois os comentários conseguem transmitir a emoção de um verdadeiro combate em que a qualquer momento podemos ganhar ou perder.

 

 

E é esse o ponto essencial: sentirmos que um simples erro pode fazer a diferença. Nos combates reais de UFC vemos que um simples deslize pode acabar imediatamente com o combate de forma imediata ou, pelo menos, oferecer uma posição de superioridade a um dos lutadores, que raramente não aproveita. É esta sensação que a cada instante podemos perder que falta a este jogo. Ao fim de algum tempo, e quando começamos a dominar os botões, parece um sensação que mesmo que se cometa um deslize, o jogo oferece sempre a hipótese de conseguirmos a salvação de um situação em que na vida real, tal não aconteceria. A nossa sugestão é jogarem na dificuldade mais alta para que a adrenalina seja maior, mas nunca chegará ao nível de intensidade que seria desejável.

 

ufc3

 

Sobre os modos de jogo devemos salientar que o Modo Carreira poderia e deveria ser melhor. É divertido, é competitivo e percebe-se que a EA ainda está a “apalpar” terreno neste desporto, mas existem poucas opções para os fãs. Todavia, a diversão será sempre muita, com bons combates e sem esquecermos a modalidade no lado feminino que aqui tem, e bem, um grande peso, com combates ao mesmo nível de intensidade que os combates masculino oferecem, não sendo apenas um “extra” no qual nunca iremos tocar.

 

Por fim, devemos aplaudir a difícil e complexa jogabilidade mas que consegue oferecer uma curva de aprendizagem aceitável e muitas opções. Apesar de neste género de jogos os movimentos serem sempre repetitivos ao fim de algum tempo, temos aqui um vasto leque de muito que se pode fazer, e é interessante tentarmos criar estratégias e sequências que poderão ser as mais fortes para nos levar a uma posição de vantagem.

 

ufc2

 

Olhando globalmente para este jogo, os atributos técnicos, como gráficos, jogabilidade e som, estão bem conseguidos e voltamos a afirmar que a caracterização das personagens é soberba. Onde o jogo escorrega é no resto, é em não nos oferecer a insegurança do momento, é em não dos incutir a ideia que um simples erro pode levar tudo a perder. É verdade que estamos a ser exigentes, tal como a própria modalidade o é e tal como os gamers são, mas este seria o aspeto que poderia distinguir UFC dos restantes jogos onde enquanto temos um pouco de vida o combate continua.  Este é, essencialmente, um jogo que daqui a uns anos terá muito para dar se a EA apostar no caminho certo. Faltam melhores modos de jogo e pouco mais. O resto está aqui e UFC pode tornar-se, no futuro, num nome a ter em conta dentro dos jogos de desporto. Para já, é a melhor escolha do mercado para quem gosta de combates dentro de um ringue e não irá desiludir os fãs.

Pontos fortes:

  • Caracterização das personagens
  • Apresentação do jogo parecido ao que vemos na TV
  • Movimentos bem conseguidos
  • Comentários com intensidade

Pontos fracos:

  • Faltam melhores modos de jogo
  • Falta a sensação que podemos perder a qualquer momento

LP

Luis Pinto

Developer de videjogos e inteligência artificial - Autor do canal Luís Pinto - Apaixonado por jogos desde o tempo do Spectrum!

Luis Pinto has 830 posts and counting. See all posts by Luis Pinto

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *