Engenheiros da Apple preferem demissão a terem de ajudar o FBI (atualização)

A batalha entre o FBI e a Apple em torno do sistema de encriptação do iPhone continua.

Se o FBI convencer os tribunais a forçar a Apple a desbloquear um iPhone, os engenheiros de Silicon Valley ameaçam recusar-se categoricamente ou até demitirem-se dos seus postos de trabalho, por forma a não comprometerem o esforço investido na segurança da encriptação que criaram. Os advogados da Apple afirmam que “uma tal conscrição é uma ofensa aos princípios que estão ao cerne da Apple e representaria uma séria ameça à autonomia da Apple e dos seus engenheiros” e que as exigências do governo são um atentado à liberdade de expressão pois obrigaria a companhia a fazer algo que os seus trabalhadores consideram inaceitável.

Lê também: Os melhores e piores posters da semana (13/03-19/03)

Este conflito decorre desde fevereiro deste ano, quando o FBI pediu ajuda à Apple com a encriptação do iPhone de um homem chamado Syed Farook. Syeed foi o autor de um tiroteio em São Bernardino no mês de dezembro e o FBI tem o seu iPhone, o qual pode conter informação vital, mas não consegue ter acesso aos seus dados devido ao sistema de encriptação do iPhone que bloqueia o telemóvel se o código de acesso for introduzido de forma errada demasiadas vezes, podendo até mesmo levar ao apagamento total da informação nele continda. Portanto, o FBI pediu à Apple que criasse um software que permitisse aos seus analistas contornar o sistema de segurança e experimentar tantos códigos quanto precise, mas o seu pedido foi recusado e assim a situação passou para os tribunais onde o debate continua acesso entre os que acreditam que o FBI está a fazer o seu trabalho em perseguir terroristas e os que defendem que este tipo de ação é um atentado à privacidade com potencial para ser abusado no futuro.

Apple

Atualização a 28 de Março, 2016 – De acordo com um documento apresentado pelo FBI, a agência afirma que provavelmente já não necessita a ajuda da Apple para aceder à informação contida no telemóvel, recorrendo aos serviços de terceiros. No entanto, este método terá de ser testado primeiro para assegurar que nenhuns dados sejam perdidos. De acordo com o Departamento de Justiça “É necessário fazer testes para determinar se este é um método viável que não comprometa os dados do iPhone de Farok. Se o método for viável, deverá eliminar a necessidade de assistência por parte da Apple Inc. (“Apple”).”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.