Entrevista a Cavaliers of Fun, vencedores do EDP Live Bands 2015

Cavaliers of Fun, vencedores do EDP Live Bands 2015, lançaram este ano o seu primeiro álbum, Astral Division. Composto por dez canções, este leva-nos numa viagem, onde guiados pela imaginação somos levados aos cosmos, a uma galáxia secreta, a um novo plano astral.

Cavaliers of Fun

Porquê a necessidade da criação de uma nova banda, os Cavaliers of Fun?

Cavaliers of Fun: No fundo ou faríamos uma banda ou, neste momento, seria pasta verde flamejante em Jukki. Perdemos uma aposta com um bandido no complexo sistema de Jukki na Constelação de Fohu. A morte pareceu-nos uma péssima ideia e a alternativa seria fazer uma banda em que, eventualmente teríamos que adicionar saxofone.

De onde surgiu a ideia do nome? Consideram-se cavaleiros cuja batalha é contagiar com boas energias quem vos ouve?

COF: Lá está. Isso teria sido uma óptima ideia mas na verdade tivemos de fugir de cavalo enquanto disparavam lasers de uma pistola raríssima chamada F.U.N. (Fighting Unicorns Now). Achámos que faria sentido.

Como foi o processo criativo deste primeiro álbum?

COF: Foram 7 dias intensos num estúdio de Alcântara em Terra. Entre alguns pregos e cervejas conseguimos ter tempo para comer moluscos e outros derivados. E ainda entre isso fizemos 10 canções que, tocadas na ordem correcta, abrem um portal para um planeta vulcânico chamado Jaiir. Em Jaiir não se curte. É um aviso.

Vê também: Netflix em julho | Os filmes que recomendamos

Vocês dizem que o disco é composto por dez dimensões. São dez histórias muito diferentes ou existe no fundo um fio condutor?

COF: São diferentes mas no todo funcionam como um fio condutor. Esse fio já conduz há alguns anos mas raramente teve acidentes. É também aderente ao condutor cool. O fio quando bebe recusa a conduzir.

Cavaliers of Fun

O que é isso do “Pop Tropical Futurista”? Quais são as vossas principais inspirações?

COF: Pop Tropical Futurista, abreviado é PTF. PTF é uma droga potentíssima que transforma unicórnios em pessoas. Nós somos unicórnios transformistas. Somos belíssimos.

O que motivou a participação no EDP Live Bands?

COF: Estávamos sobre a influência do PTF e havia uma convenção de unicórnios no LX FAKTORY. Nessa convenção de auto-ajuda, de procura do caminho para ser um melhor unicórnio, passaram-nos a informação do EDP Live Bands. Pareceu-nos apropriados.

Consideram que o percurso dos COF teria sido diferente se não tivessem participado/ganho o concurso?

COF: Em entrevistas já referi que, provavelmente, seriamos apanhadores de lixo cósmico. O destino não quis essa vida, dura e extenuante, para nós. O destino quis mais. Obrigado destino.

O que podemos esperar dos COF ao vivo?

COF: Um misto de coisas sérias com o ocasional momento parvo. Um misto de dança com estar parado. Um misto de canções com notas colocadas sem sentido algum. No fundo queremos que dancem connosco este bailado cósmico que nos move.

Fiquem com um pequeno gosto daquilo que podem esperar de Astral Division.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.