Supergirl | Primeiras impressões

 

A grande aposta da CBS chegou! A versão feminina do maior super-herói do mundo estreou com um grande horário e grandes expetativas à sua volta. Numa realidade em que o cinema, a televisão e mesmo a própria banda desenhada aposta maioritariamente em heróis no masculino é com bons olhos que vemos a chegada de uma senhora ao pequeno ecrã.

 

Criada na DC Comics e adaptada pelas mãos que nos trouxeram séries adoradas como Flash ou Arrow, Super Girl conta a história de Kara Danvers (Melissa Benoist) ou  Kara Zor-El, para os amigos mais próximos. Kara, chamemos-lhe assim, vem de Krypton e é prima de Kal-El, que conhecerão mais vulgarmente como Super-Homem. Aliás, é justamente o primo mais novo que a faz abandonar o seu planeta a tempo e salvar-se, ao contrário das suas famílias.

Um contratempo na viagem para a Terra faz com que só chegue 24 anos depois do primo, já ele estava com a sua reputação bem sedimentada. Opta então por uma vida a qual tenta chamar normal e passados 12 anos da ultima vez que usou os seus poderes, um potencial acidente da sua “irmã” (Chyler Leigh, Anatomia de Grey) obriga-a a intervir.

Lê Também:
The Equalizer e séries de FBI com futuro assegurado

LÊ MAIS: 10 séries a não perder até ao final de 2015 | Supergirl

Supergirl

 

A sua aparição traz reacções diferentes do seu circulo mais próximo, começando na irmã passando pelo confidente do escritório, secretamente apaixonado pela nossa heroína, chegando à patroa, a ex Ally Mcbeal, Calista Flockhart.

O primeiro episódio da série apresenta-nos muitas das inseguranças da Super Girl, bem como as suas dificuldades de adaptação ao mundo do combate ao crime, que por factores internos e externos não se afigura simples para Kara, principalmente pela entrada em cena do departamento de operações extra-terrestres, que não tenciona facilitar-lhe a vida.

LÊ TAMBÉM: Supergirl | Nova featurette revela os bastidores do segundo episódio

 

Supergirl

Foi um primeiro episódio clássico de apresentação do elenco e das personagens, e ainda que só as conheçamos a fundo com o passar da temporada, já se notam aqui as relações centrais nomeadamente entre as irmãs e entre Kara e Jimmy Olsen, esta ultima que poderá ser a paixoneta cliché da miúda tímida, mas só o tempo o dirá. Fora alguns lugares comuns que já têm sido visitados pelos criadores em Flash e Arrow, Supergirl tem também o lado positivo dos outros projectos, é uma série de ação e aventura cómica e leve nunca perdendo as razões pelas quais os leitores de comics acompanhavam a sua história. Vale a pena estar atento!

Lê Também:
Magnum P.I. e Good Sam chegam ao fim na CBS

 

Melissa Benoist Supergirl 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.