© European Film Challenge

European Film Challenge | Entrevista à vencedora do desafio Berlinale 2020

Cláudia Bilé foi a grande vencedora do desafio Berlinale 2020 do European Film Challenge e a Magazine.HD teve a oportunidade de saber um pouco mais sobre a sua experiência!

A vencedora portuguesa do desafio do Berlinale do EFC falou brevemente connosco para nos dar a conhecer um pouco da sua experiência. O challenge começou ainda em novembro e terminou no passado dia 10 de janeiro. Alguns dias depois, Cláudia Bilé foi eleita a grande vencedora, tendo visto dez filmes ao longo de quatro plataformas principais, do DVD às salas de cinema, passando pelos serviços de streaming e pelos festivais de cinema.

Lê Também:
European Film Challenge | Tudo o que precisas de saber

Magazine.HD: Dos dez filmes que enviaste, qual o teu favorito?

Cláudia Bilé: Dos dez filmes que vi para o desafio, aquele de que mais gostei foi o “Die Mitte der Welt” (“Center of My World”), de Jakob M. Erwa. Apesar de o filme ser de 2016, foi um dos meus filmes preferidos vistos em 2019. O filme consegue criar um retrato equilibrado entre a “leveza” da juventude e temas mais pesados, fazendo com que o espectador crie uma ligação imediata com a história e as suas personagens. A qualidade do elenco, do qual destaco o desempenho de Louis Hofmann e Sabine Timoteo, também contribuiu para que este seja um filme que recomendo a todos os amantes de cinema e não só.

MHD: Usaste vários tipos de plataformas, das tradicionais salas de cinema, aos velhinhos DVDs e aos recentes serviços de streaming. Tens alguma plataforma de preferência?

CB: Não posso dizer que tenha uma plataforma de preferência, pois cada uma tem os seus pontos positivos. Com a entrada do digital nas nossas vidas, os DVDs foram perdendo protagonismo, mas eu ainda sou daquelas que gosta de comprar DVDs e tem uma coleção deles em casa. Também adoro ir ao cinema. É uma experiência completamente diferente do que ver um filme em casa, e tento ser frequentadora assídua das salas de cinema. Já as plataformas de streaming vieram possibilitar o acesso a conteúdos a que de outra forma seria muito difícil aceder, oferecendo-nos uma leque de opções muito mais diversificado do que aquele a que tínhamos acesso quando estes serviços ainda não existiam.

MHD: Quais as expectativas para o festival? Esperas ver muitos atores e realizadores conhecidos?

CB: Espero, acima de tudo, ver bom cinema, mas claro que também estou entusiasmada por ver que caras conhecidas da sétima arte lá irão aparecer. O Johnny Depp já foi confirmado e, como fã, gostava muito de nem que fosse vislumbrar um bocadinho da sua pessoa. Também sou uma entusiasta do cinema de expressão alemã, por isso também estou curiosa por ver que nomes dessa área lá irei encontrar. Tenho também curiosidade em ver como é o ambiente num festival tão conhecido e importante como é a Berlinale.

MHD: Dos filmes que já foram anunciados para o festival, tens algum em especial que queiras muito ver?

CB: Ainda não tive tempo para ler muito sobre os filmes que vão ser exibidos no festival, mas gostava muito de ver o “Persian Lessons”, de Vadim Perelman, que se passa durante Holocausto, um período da História que me interessa bastante (e com dois dos meus atores alemães preferidos: Lars Eidinger e Jonas Nay), e o “Minamata”, de Andrew Levitas, protagonizado por Johnny Depp.

MHD: Que conselhos darias aos participantes dos futuros desafios?

CB: O mais importante é conseguirem ver o maior número de filmes com pontos extra no maior número de plataformas diferentes. Se não conseguirem ver (muitos) filmes com pontos extra, vejam em plataformas diferentes. Hoje em dia há tantas plataformas que é muito fácil conseguirem pontos muito valiosos desta forma.

A primeira vencedora de 2020 estará pelo Berlinale entre 20 de fevereiro e 1 de março. Por cá, poderás seguir as novidades do festival na MHD. Deixamos também um obrigado à Cláudia por ter disponibilizado o seu tempo para falar um bocadinho connosco 🙂 Boa viagem e esperamos que te divirtas!

Ângela Costa

Mestre em Cinema pela Universidade da Beira-Interior, sou apaixonada pelo cinema japonês e toda a cultura que o envolve. Adoro igualmente fotografia e se tiveres curiosidade passa no meu Instagram ;) Música e videojogos são dois outros grandes interesses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *